Revista Habitus - Revista do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia

Conteúdo da capa - Habitus

A revista Habitus é uma publicação semestral do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia que visa divulgar a produção científica nas áreas de arqueologia, antropologia, da documentação audiovisual e do meio-ambiente, tendo como eixo central a investigação e a produção culturais das sociedades humanas e intercâmbio com 339 instituições.

Habitus magazine is a semiannual publication of the Institute Goiano of Prehistory and Anthropology that aims to disseminate scientific production in the areas of archeology, anthropology, audiovisual documentation and the environment, having as central axis the research and cultural production of societies and exchanges with 339 institutions.

  Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3    


Próximas Edições:

A revista Habitus, editada pela PUC Goiás/IGPA está recebendo artigos, resenhas, dossiê acadêmico, entrevistas e resumos de teses e dissertações para os próximos números indicados abaixo:

Dossiê: A profissionalização da arqueologia: perspectivas pós regulamentação

A recente regulamentação da profissão de arqueólogo no Brasil, por meio da Lei Federal nº 13.653, de 18 de abril de 2018, resultado de três décadas de trabalho coletivo da comunidade arqueológica, inaugura um novo cenário para a prática da arqueologia no país. Os esforços formais em favor da regulamentação da profissão tiveram início nos anos 1980. Naquela época só havia um curso de formação na área - o bacharelado em Arqueologia, da FINES, no Rio de Janeiro. Parte expressiva da formação de pesquisadorxs no âmbito da disciplina ocorria, em geral, em universidades que ofereciam cursos de História, com linhas de pesquisa em Arqueologia, e em diversos centros de pesquisa. A própria Sociedade de Arqueologia Brasileira contava com poucas dezenas de associados. Portanto, é compreensível que nesse panorama o tema da regulamentação da profissão tenha sido debatido de forma tímida. O contexto atual é bastante distinto. Houve nos últimos anos um crescimento significativo de cursos de formação, em nível de graduação e pós-graduação, em todas as regiões do país. Soma-se a isso, o surgimento de diversas empresas de consultoria e a ampliação do quadro de arqueólogxs em instituições públicas, como o Iphan. Hoje há centenas de estudantes e profissionais atuando na área de Arqueologia no Brasil, o que tem fomentado os debates sobre a prática da disciplina. A regulamentação da profissão, em 2018, pôs fim a uma luta de décadas e, ao mesmo tempo, deu início a uma nova fase da trajetória da Arqueologia no Brasil que necessita ser examinada, sobretudo, à luz da conjuntura política vigente. É nesse sentido que propomos a organização do dossiê e estimulamos a submissão de artigos que permitam, de forma crítica, compreender os caminhos percorridos pela profissão até a sua regulamentação, considerando os impactos decorrentes desse marco legal no nosso exercício profissional. São aceitos artigos em idioma nacional ou em língua estrangeira.Resenhas de obras recentes que tratem de temas que colaborem para essas discussões também serão bem-vindas.

O volume também está aberto a artigos que versem sobre temas contemporâneos em arqueologia, antropologia e áreas afins.

Editores Responsáveis:
Carlos Alberto Santos Costa (UFRB) (Ed. Convidado)
Marcia Bezerra (UFPA) (Ed. Convidada)

Dossier:The Professionalization of Archeology: post-regulation perspectives

The volume 18, n. 1, year 2020 Habitus edition associated to PUC Goiás/IGPA, will be edited as a issue of articles that find common ground on the theme “The Professionalization of Archeology: post-regulation perspectives”. The recent legal landmark of the archeologist profession in Brazil, under Federal Law #13.653 of April the 18th 2018, was the result of three decades of efforts from the archeology community in the country. The formal efforts toward the professional legal landmark started in the 1980s. Back in those years there was only one academic program in the field: the Archeology undergraduate program at FINES, in Rio de Janeiro. A significant share of the researchers in the field was located within Universities with History programs that developed research in archeology, as well as in research centers. The Brazilian Archeology Society had only a few dozen members. Hence, it’s understandable that, in such a context, the debate around the topic of professional regulation wasn’t particularly assertive. However, the current context is quite different. A growth among both undergraduate and graduate academic programs was observed in the last years across all the regions in the country, as well as the creation of many consulting firms and the increasing presence of archeologists in the staff of government agencies such as IPHAN. There are today hundreds of students and professionals working in the Archeology field in Brazil, which has been encouraging debates on the practices within the field. The profession’s legal landmark from 2018 was the outcome of decades of struggle and, at the same time, triggered a new phase in the Brazilian Archeology trajectory that needs to be examined, particularly under the perspective of the current political context. It’s in this spirit that we propose to organize this issue and encourage the submission of articles that allow a critical comprehension of the trajectories of the archeologist profession until its regulation, considering the impacts from this legal landmark on our profession. We will accept articles in any language. Reviews of recent works that tackle topics that foster the debate we are proposing are also welcome. The works may be sent until February the 20th 2020 to the magazine’s website http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/habitus/index We’d like to invite you especially to be part of this edition, considering the importance of your research in this field.

Editors:
Carlos Alberto Santos Costa (UFRB) (Ed. Convidado)
Marcia Bezerra (UFPA) (Ed. Convidada)

Dossiê: A História de uma prática científica: 30 anos do livro Cerâmica Guarani

Em 1989 Fernando La Salvia e José Brochado lançaram uma proposta para avançar na construção do conhecimento de uma materialidade fundamental na arqueologia da Bacia Platina. Em 2019, após 30 anos, é fato que eles impulsionaram interesses na busca de novas direções não apenas no caso Guarani, mas também sobre as cerâmicas de qualquer população produtora e consumidora de cerâmica. Este dossiê comemorativo pretende reunir pesquisadores que usaram, debateram ou trouxeram novas perspectivas sobre o método em diferentes contextos de produção de cerâmica no presente e/ou passado. O objetivo é reunir pesquisas que seguem os seguintes temas: 1) integração de dados arqueológicos, históricos, etnográficos e linguísticos; 2) debate e proposição de alternativas para aperfeiçoar as propostas originais; 3) estudo de coleções; 4) análises arqueométricas sobre funcionalidade baseada nos dados de António Ruiz de Montoya ou de qualquer fonte histórica similar; 5) relações de gênero na produção, consumo e segurança alimentar; 6) transmissão de conhecimentos na longa duração; 7) relações entre uso, cosmologia e tecnologia.

Editores Convidados:
Francisco Silva Noelli - Doutorando em arqueologia, Universidade de Lisboa/Portugal
Ângelo Alves Corrêa - Prof. do Curso de Arqueologia da Universidade Federal do Piauí/Brasil
Marianne Sallum - Pós-doutoranda no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo/Brasil

Dossier: The History of a Practice: 30 years of the Guarani Potter's Book

In 1989 Fernando La Salvia and José Brochado published a proposal to advance the construction of knowledge of one of the fundamental materiality in the archeology of the Platina Basin. In 2019, after 30 years, it was a fact that they boosted interests in the search for new directions not only in the Guarani case but also for any population that produces and consumes ceramics in Brazil. This commemorative dossier seeks to gather researchers that are using, debating, or bringing new perspectives about the method in different contexts of ceramic production in the present or/and past. The objective is to gather research that follows the themes: 1) integration of archaeological, historical, ethnographic and linguistic data; 2) debate and proposition of alternatives to improve the original proposals; 3) study of collections; 4) archaeometry analyzes of the functionality based on António Ruiz de Montoya data or any similar historical source; 5) gender relations of production, consumption, and food security; 6) transmission of knowledge in a long-term history; and 7) relationships between use, cosmology, and technology.

Editors:
Francisco Silva Noelli - Doutorando em arqueologia, Universidade de Lisboa/Portugal
Ângelo Alves Corrêa - Prof. do Curso de Arqueologia da Universidade Federal do Piauí/Brasil
Marianne Sallum - Pós-doutoranda no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo/Brasil

Dossiê Temático: Arqueologia da Guerra e da Violência

O estudo sistemático da guerra e da violência na arqueologia contribuiu para avançar nossa compreensão da escala e dos papéis que elas desempenharam no passado, e como estas se relacionam com a sociedade e a cultura. Uma ampla gama de evidências arqueológicas tem sido usada para identificar a guerra e a violência no tempo e no espaço, como traumas esqueléticos, armas, tecnologias de combate, valas comuns e apetrechos rituais relacionados à guerra, fortificações e iconografias marciais, além de informações etnográficas e etno-históricas. São aceitos neste dossiê temático artigos de natureza arqueológica, antropológica e multidisciplinar, que tratam sobre a violência e/ou guerra em qualquer época e lugar. Os tópicos incluem (mas não estão limitados): o impacto social da guerra; as maneiras pelas quais as comunidades consideraram, responderam e usaram a violência; e as interconexões potenciais da violência e da guerra com gênero, infância, raça, etnia e classe, bem como com ritual, cosmologia, ideologia e outras formas de prática e desempenho cultural. Os estudos de caso são particularmente bem-vindos, bem como discussões teóricas e metodológicas sobre as maneiras pelas quais pesquisadores podem estudar a violência e/ou a guerra no passado.

Os artigos devem ser enviados em inglês, português e espanhol seguindo as normas editoriais da revista e submetidos eletronicamente: Submissões. Em caso de dúvidas, entrar em contato com as editoras da revista: habitus@pucgoias.edu.br.

Editores Convidados:
Dra. Fernanda Neubauer (University of Wisconsin-Madison)
Dr. Nam C. Kim (University of Wisconsin-Madison)

Thematic Issue: Archaeology of Violence and Warfare

The systematic study of warfare and violence in archaeology has led to advances in our understanding of the scale and roles that they played in the past, and how they relate to society and culture. A wide range of archaeological evidence has been used to identify warfare and violence across time and space, such as skeletal trauma, weapons, fighting technologies, war-related ritual paraphernalia and mass graves, fortifications, and martial iconographies, along with ethnographic and ethnohistoric information. This volume welcomes archaeological, anthropological and multidisciplinary papers in English, Portuguese, and Spanish from scholars researching violence and/or warfare in any time and place. Topics include, but are not limited to: the social impact of warfare; the ways in which communities have viewed, responded to, and used violence; and the potential interconnections of violence and warfare with gender, childhood, race, ethnicity, and class, as well as with ritual, cosmology, ideology, and other forms of cultural practice and performance. Case studies are particularly welcome, as well as theoretical and methodological discussions of the ways that researchers can study violence and/or warfare in the past.

Habitus is the peer-reviewed journal of the Brazilian Institute Goiano of Prehistory and Anthropology. Submissions should be made online at the journal’s website, following the journal’s guidelines: Submissões. Questions should be directed to the journal’s editors at habitus@pucgoias.edu.br.

Guest Editors:
Dra. Fernanda Neubauer (University of Wisconsin-Madison)
Dr. Nam C. Kim (University of Wisconsin-Madison)

Os artigos devem ser enviados, seguindo as normas editoriais da revista e submetidos eletronicamente. Em caso de duvidas, entrar em contato com as editoras: habitus@pucgoias.edu.br


v. 17, n. 2 (2019)


Capa da revista
Foto: Asilo de Indígenas e Órfãs
Colégio Santa Clara – década de 1910.
Arquivo do Colégio Santa Clara, Itambacuri, MG.
Pesquisa: Izabel Missagia de Mattos