Dossiê: Arqueologia Experimental no Brasil

18-09-2023

Neste dossiê, buscamos apresentar uma compilação inédita no Brasil, de diversas práticas experimentais aplicadas à pesquisa arqueológica. Partimos do entendimento de Arqueologia Experimental como conjuntos de protocolos que permitem que diferentes hipóteses arqueológicas possam ser verificadas no presente. Isso faz dela uma ferramenta empírica adequada para as lacunas de cadeias operatórias, criando pontes entre os fatos observáveis e não observáveis no registro arqueológico (COLES, 1977; LEROI-GOURHAN, 1987; NAMI, 2011; MORGADO & BAENA PREYSLER, 2011; INIZAN et al., 2017). Nossa proposta consiste em agrupar  trabalhos que vem sendo desenvolvidos, inspirados por materialidades de diferentes contextos arqueológicos pré-coloniais e históricos.  A Arqueologia Experimental vem ganhando força, conquistando adeptos e revelando habilidades de estudantes de graduação e pós-graduação, especialmente em contexto nacional ao longo da última década. Tão importante para o processo analítico e interpretativo, a experimentação lança luzes sobre o fazer arqueológico como um todo, agregando conhecimentos sobre cadeia operatória, processos, escolhas culturais, gestos, saberes, acertos, fragilidades, compartilhamentos, vínculos, estratégias, ensino e aprendizagem, individualidades, hibridismos e fenomenologia. Assim, nosso objetivo com esse Dossiê é abrir mais um  caminho para que pesquisadores, tanto em âmbito nacional como internacional, se sintam estimulados a aprofundar os estudos em práticas diversificadas, bem como dar continuidade e  concluir seus estudos experimentais, cientes do potencial de suas pesquisas e da permeabilidade delas para as análises de materialidade em arqueologia.  

Os artigos devem ser enviados até dia 15 de setembro de 2024, pelo sistema on-line da revista Habitus, quando serão encaminhados a pareceristas ad hoc.

Editores Convidados
Glaucia Malerba Sene – UERJ/Rio de Janeiro
Anderson Marques Garcia - UERJ/Rio de Janeiro

Editores Responsáveis:
Marlene C. Ossami de Moura – PUC Goiás/IGPA
Sibeli A. Viana – PUC Goiás/IGPA