MEMÓRIA E REPRESENTAÇÕES DO HOLOCAUSTO NO MEMORIAL AOS JUDEUS MORTOS NA EUROPA E MEMORIAL E MUSEU SACHSENHAUSEN (1945-2015)

Rafael Haddad Cury Pinto

Resumo


Esse estudo analisa os processos de rememoração e esquecimento, acerca da temática do Holocausto na Alemanha, no período compreendido entre os anos de 1945 e 2015. Utilizaremos como instrumentalização para tal, trabalhar com perspectivas comparativas que envolvem a trajetória de dois lugares de memória, criados no país germânico em dois recortes temporais distintos: o “Memorial aos Judeus Mortos na Europa” e o “Memorial e Museu Sachsenhausen”. Utilizando como fontes de análise os sites dessas instituições museais, tangenciaremos as nuances das políticas institucionais alemãs de estímulo à memória e combate ao esquecimento sobre o Holocausto, que possibilitaram a criação ou remodelação de diversos lugares de memória por todo o país principalmente após a reunificação, pavimentando mudanças de paradigmas interpretativos no país sobre sua própria participação no genocídio de milhões de pessoas.

Palavras-chave


Holocausto; Memória; Esquecimento; Museus; Alemanha

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. São Paulo, Editora Boitempo, 2008.

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. São Paulo, Editora Companhia das Letras, 1999.

BORDAGE, Roger. Sachsenhausen, un museo mal concebido. Paris, França, Revista Museum International UNESCO, nº 177, vol. 15, 1993, pp. 26-31.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade e Holocausto. Rio de Janeiro, Editora Jorge Zahar, 1998.

BESSEL, Richard. Alemanha, 1945: da guerra à paz. São Paulo, Companhia das Letras, 2010.

CARTER, Jennifer. L'éthiquedans lês musées, créateurs de sens: nouvelles frontières, nouveaux enjeux. Montreal, Canadá. In: Musées, Société dês Musées Québecois, vol. 31, 2013, pp. 46-55.

CARVALHO, Bruno Leal Pastor de. Lembrar ou Repetir: práticas discursivas da imprensa na construção da memória do Holocausto. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Memória Social. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), 2009. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2021

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. Rio de Janeiro, Editora Contraponto, 1997.

DIDI-HUBERMAN, Georges. “Quando as imagens tocam o real”. Belo Horizonte, Revista Pós, nº. 04, vol. 02, 2012, pp. 204-219.

DE TORO MUÑOZ, Francisco Miguel. La Memoria del Holocausto en Alemania: la memoria dividida. Valência, Espanha, Revista História Social. Editora Fundacion Instituto de Historia Social, nº. 65, 2009, pp. 87-104.

DUCLOS-ORSELLO, Elizabeth. Shared Authority: The Key to Museum Education as Social Change. Amsterdã, Holanda, Journal of Museum Education, nº. 02, vol. 38, 2013, pp. 121–128.

EISENMAN, Peter. Memorial aos Judeus Assassinados da Europa. Lisboa, Portugal, Revista Arqa: Memórias Difusas, nº45, 2007, pp. 45-59.

ELIAS, Norbert. Os Alemães: a luta pelo poder e a evolução do habitus nos séculos XIX e XX. Rio de Janeiro, Editora Jorge Zahar, 1997.

ESCHEBACH, Insa. Soil, Ashes, Commemoration: Processes of Sacralization at the Ravensbrück Former Concentration Camp. Revista History and Memory, nº 01, vol 23. Indianápolis, EUA, Editora Indiana University Press, 2011, pp 131-156.

EVANS, Richard. Terceiro Reich na História e na Memória: Novas perspectivas sobre o nazismo, seu poder político, sua intrincada economia e seus efeitos na Alemanha do pós-guerra. São Paulo, Editora Crítica, 2018.

FINKELSTEIN, Norman. A Indústria do Holocausto. São Paulo, Editora Record, 2001.

FRIEDLÄNDER, Saul. Nazi Germany and the Jews: The Years of Persecution (1933-1939). Nova York, EUA, Editora Harper Collins, 1998.

HALBWACHS. Maurice. A memória coletiva. São Paulo, Editora Vértice, 1990.

HERNÁNDEZ, Diego Íñiguez. El gran momento de la RDA. Madri, Espanha Revista Política Exterior, nº 132, vol. 23, 2009, pp. 55-68.

HILBERG, Raul. The Destruction of the European Jews. Chicago, EUA, Editora Quadrangle Books, 1961.

_____________. The Politics of memory: The Journey of a Holocaust Historian. Chicago, EUA, Editora Ivan R. Dee, 1996.

HUYSSEN, Andreas. Culturas do passado-presente: modernismos, artes visuais, políticas da memória. Rio de Janeiro, Editora Contraponto, 2014.

_________________. Seduzidos pela memória. Rio de Janeiro, Editora da Universidade Cândido Mendes, 2000.

JASPERS, Karl. El problema de la culpa: sobre la responsabilidad política de Alemania. Barcelona, Espanha, Editora Ediciones Paidós, 1998.

JOLY, Martine. Introdução à análise da imagem. Campinas, Editora Papirus, 2003.

JUDT, Tony. Pós-Guerra: Uma História da Europa desde 1945. Rio de Janeiro, Editora Objetiva, 2008.

KAMINSKY, Anne. Campos soviéticos em Alemania, 1945-1950: Museos Memoriales. Barcelona, Espanha, Revista História, Antropologia y Fuentes Orales, nº 20, 1998, pp. 105-113.

KATER, Michael Hans. The Nazi Party - A Social profile of membres and leaders (1919-45). Londres, Inglaterra, Editora Albion Press, 2016.

KERSHAW, Ian. La dictadura nazi. Problemas y perspectivas de investigación. Buenos Aires, Argentina, Editora Siglo XXI, 2004.

KITCHEN, Martin. História da Alemanha Moderna: de 1800 aos dias atuais. São Paulo, Editora Cultrix, 2013.

KOSHAR, Rudy. From Monuments to Traces: Artifacts of Germany Memory (1870-1990). Los Angeles, EUA, Editora University California Press, 2000.

LACAPRA, Dominick. Representar el Holocausto: historia, teoria y trauma. Buenos Aires, Argentina, Editora Promete Libros, 2008.

LEVI, Primo. É isto um homem. Rio de Janeiro, Editora Rocco, 1988.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas, Editora UNICAMP, 2003.

LÜBBE, Hermann. Der Nationalsozialismus im politischen Bewusstsein der Gegenwart, in BROSZAT, Martin (org.). Deutschlands Weg in die Diktatur: Internationale Konferenz zur nationalsozialistischen Machtübernahme im Reichstagsgebäude zu Berlin. Berlim, Alemanha Ocidental, 1983, pp. 329–349.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. Do teatro da memória ao laboratório da história: A exposição museológica e o conhecimento histórico. São Paulo, Anais do Museu Paulista, nº. 01, vol. 03, 1995, pp. 01-27.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. São Paulo, Projeto História, nº 10, 1993, pp. 07-28.

PFLEIDERER, Georg. Gewissen und Öffentlichkeit: Ein Deutungsvorschlag zur Walser-Bubis-Kontroverse. In: Revista ZeitschriftfürevangelischeEthik. Munique, Alemanha, nº 43, 1999, pp. 247-261.

READING, Anna. Digital interactivity in public memory institutions: the uses of new technologies in Holocaust museums. Londres, Reino Unido, Journal Media, Culture and Society, nº 01, vol. 25, 2003, pp. 67-85.

RICOUER, Paul. A história, a memória, o esquecimento. Campinas, Editora Unicamp, 2007.

SERENY, Gitta. O trauma alemão: experiências e reflexões (1938-2000). Rio de Janeiro, Editora Bertrand Brasil, 2007.

TAYLOR, Frederick. Exorcising Hitler: the occupation and desnazification of Germany. Londres, Inglaterra, Editora Bloomsbury Publishing, 2011.

YAMAMOTO, João. Entre Eisenman, Berlim e o Memorial. São Paulo, Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Design e Arquitetura, Universidade de São Paulo (USP), 2014. Disponível em: . Acesso em: 01. Ago. 2021.

FONTES

Denkmal für die im Nationalsozialismus ermordeten Sinti und Roma Europas. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2021.

Deutscher Bundestag. Stenographischer Berichtzur 48. Seção de 25 de junho de 1999. Bonn, Alemanha, 1999.

Deutsches Historiches Museum. Disponível em: . Acesso em 19 jun. 2021.

Gedenk und Informationsort für die opfer der Nationalsozialistischen “Euthanasie” morde. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2021.

International Holocaust Remembrance Alliance (IHRA). Open Letter from the International Sachsenhausen Committee to the President and Members of the European Parliament, Declaração de 11 de Novembro de 2011. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2021.

Memorial and Museum Sachsenhausen. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2021.

Nationalsozialismus verfolgten Homosexuellen. Disponível em: https://www.stiftung-denkmal.de/denkmaeler/denkmal-fuer-die-im-nationalsozialismus-verfolgtenhomosexuellen. Acesso em: 27 jul. 2021.

Portal Crimes Nazistas. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2021.

Stiftung Denkmalfür die ermordeten Juden Europas. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2021.

Yad Vashem – The World Holocaust Remembrance Center. Disponível em: . Acesso em: 12 ago. 2021.




DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v15i1.9150

Rodapé - Mosaico
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND

MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (05/09/2017 - 12/08/2021)

Fonte: Google Analytics.