Sobre a Revista

A revista Mosaico é um periódico do Programa de Pós-Graduação em História da PUC Goiás que enfatiza, na grande área das ciências humanas, os estudos históricos e culturais, de forma interdisciplinar, para divulgação da produção científica e para o estabelecimento de intercâmbio com outras instituições locais, nacionais e internacionais. Publica em Fluxo Contínuo, em português, inglês e espanhol.

Edição Atual

v. 17 n. 1 (2024): Edição Especial: Áfricas e Memórias Entrelaçadas
					Visualizar v. 17 n. 1 (2024): Edição Especial: Áfricas  e Memórias Entrelaçadas

O curso de graduação em História (Licenciatura) e o Programa de Pós-Graduação em História da PUC Goiás têm buscado ampliar os canais de divulgação científica dos estudos históricos e historiográficos, proporcionando maior impacto social e científico das pesquisas desenvolvidas por discentes, docentes e egressos da instituição, bem como qualificar o debate hisrotiográfico por meio de parcerias interinstitucionais e redes de pesquisas, favorecendo a formação acadêmica dos discentes, tanto da graduação, quanto do mestrado e pós-doutorado, para docência e a pesquisa. Com esse propósito organiza semestralmente a Semana Científica de História, que em dezembro de 2023 completa sua décima oitava edição e o Seminário das Linhas de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em História/PUC Goiás, que é anual, e está em sua sétima edição.

Nesse ano, buscamos ampliar a projeção do evento a nível internacional, agregando o I Simpósio Internacional da Rede Latino-Americana e Caribenha sobre Feminismos de Terreiros – RELFET e o I Simpósio Internacional sobre Histórias Entrelaçadas – SIHE. Essa rede (RELFET) é sediada na PUC Goiás e envolve pesquisadoras da PUC Goiás, UFRGS, IFG, UFG, Faculdades Est, UFT, UFMA, UNILAB, UESB e Universidad Santo Tomás, cuja missão é evidenciar a participação histórica de sujeitos subalternizados na construção do Brasil, para contribuir com os dispositivos jurídicos que propõem resgatar a contribuição do povo negro e indígena nas áreas social, econômica e política pertinente à História do Brasil, dispostos nas leis 10.639/2003 e 11.645/2008, nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana, orientadores da BNCC.

A partir dessa parceria, tendo em vista, a oportunidade criada pelo Programa de Desenvolvimento da Pós-Graduação (PDPG) Pós-Doutorado Estratégico/CAPES, visamos com esse evento contribuir para promover uma nova forma de se pensar o "outro", o diferente, percebendo a complexidade de outras formações culturais e entendendo outras práticas culturais dentro de uma lógica própria, partindo de seus próprios parâmetros, construindo desta forma, uma percepção de que a dita cultura universal é apenas uma das formas possíveis de perceber e interpretar o mundo e que todas as culturas são igualmente válidas e fazem sentido para seus participantes. A Historiografia brasileira, devido sua base eurocentrada, reproduz um silêncio em relação às contribuições dos subalternizados, sem que suas particularidades sejam conhecidas ou consideradas. Visamos contribuir para suprir essa lacuna promovendo uma História do Brasil a partir do pluralismo e heterogeneidade histórica, que apontam para uma História Entrelaçada.

Interessa-nos a discussão sobre as lutas e significados de "invenção da liberdade", através de afro-biografias de pessoas escravizadas, libertas e livres "de cor" que conquistaram e ampliaram a presença negro-africana nos diversos lugares sociais. Almeja-se também agregar pesquisas que permitam um olhar sobre as construções identitárias, suas implicações políticas, seus conteúdos culturais e transformações ao longo dos séculos XVIII e XIX. São bem-vindos trabalhos que abordem: emancipação/escravidão negra, os associativismos negros, os territórios negros rurais e urbanos, os processos de racialização e os significados políticos das classificações raciais a questão africana na educação básica e as escrevivências baseada em micro e macro histórias. Com pretensão de ser um evento anual, ficou a cargo da linha de pesquisa Eduacação Histórica e Diversidade Cultural do Programa de pós-graduação em História da PUC Goiás, em parceria com a RELFET, a definção do tema: ÁFRICAS E MEMÓRIAS ENTRELAÇADAS.

Publicado: 10.05.2024

Editorial

  • DESPEDIDA EM MOSAICO: DAS TESSELAS À TOTALIDADE

    Thais Alves Marinho
    1-3
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.14014

Apresentação

  • ÁFRICAS E MEMÓRIAS ENTRELAÇADAS

    Thais Alves Marinho, Rosinalda Correia da Silva Simoni, Ludmila Pereira de Almeida
    4-18
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.14013

Artigos de Dossiê

  • ANÁLISE DE UM CASO DE RACISMO E XENOFOBIA: UM EXEMPLO DE NEONAZISMO EM UMA FAMÍLIA DE CLASSE MÉDIA ALTA NO BRASIL

    Álvaro Maximiliano Pino Coviello
    19-31
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13907
  • A FORÇA DO TERRITÓRIO: AS YABASSÉS E O CORPO FEMININO DE RESISTÊNCIA NA CERIMÔNIA DE OLUBAJÉ NUM TERREIRO DE UMBANDA NO DISTRITO FEDERAL, BRASIL

    Cláudia de Oliveira d’Arêde d’Arêde, Jaqueline C. M. Bonifácio Bonne
    32-46
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13908
  • ESCRITA TRANSGRESSORA NO BRASIL OITOCENTISTA: JOSEFINA ÁLVARES DE AZEVEDO E A EMANCIPAÇÃO DAS MULHERES

    Débora José Barros, Maria do Espìrito Santo Rosa Cavalcante Ribeiro
    47-54
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13917
  • AS IABASSÉS E IABÁS: AS SUAS COZINHAS COMO TERRITÓRIOS DE MATRIARCADO LITÚRGICOS E PROFANOS PARA A PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO ADEQUADA E SAUDÁVEL EM TERREIROS DE CANDOMBLÉ

    Denise Oliveira e Silva, Fabio Liborio Rocha
    55-65
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13921
  • MULHERES NEGRAS E A REPRESENTAÇÃO DOS SENTIDOS NA CONSTRUÇÃO DO SAGRADO-EDUCATIVO EM TERREIROS

    Deyvson Barreto Simões da Silva Silva, Denise Maria Botelho
    66-76
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13922
  • UM POVO DO DAOMÉ: BENIN, RELIGIÃO E HISTÓRIA

    Gean Filipe Silva Tavares, Donizete Aparecido Rodrigues
    77-89
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13918
  • RELATO DE EXPERIÊNCIA: VIVÊNCIAS DE UMA PESQUISADORA NEGRA NO CONTEXTO CIENTÍFICO

    Gracilene Paiva Araujo
    90-94
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13923
  • PRETAGOGIAS AFROREFERENCIADAS: A PRÁTICA DO APODERAMENTO NO COLETIVO QUILOMBELAS E A CULTURA NEGRA NO ESPAÇO ESCOLAR

    Helena Soares Meireles
    95-106
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13924
  • AS PERFORMANCES AFRO-BRASILEIRAS NA CIDADE DE GOIÂNIA E SUAS IMPLICAÇÕES NO ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA

    João Pedro Donizete Nunes, Cleber de Sousa Carvalho
    107-116
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13925
  • SOCIABILIDADES E REFERÊNCIAS CULTURAIS EM SEDE DE SANTA LUZIA

    Lis Katia Cunha Bastos
    117-123
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13926
  • A CONSTITUIÇÃO DO CANDOMBLÉ EM JUAZEIRO DO NORTE-CE: ENTRE ROTAS, MEMÓRIAS E SUJEITOS

    Maria Edina Marques Ferreira; Jacqueline da Silva Costa
    124-132
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13927
  • O SAMBA-ENREDO COMO FERRAMENTA DE VALORIZAÇÃO DA CULTURA AFRO-BRASILEIRA NO ENSINO DE HISTÓRIA

    Pedro Covre Marchiori
    133-141
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13928
  • RESISTÊNCIAS E PROTAGONISMOS DAS MULHERES SERTANEJAS NA HISTÓRIA E POLÍTICA DO ESTADO DE GOIÁS: MEMÓRIAS, LITERATURA E EDUCAÇÃO

    Raquel de Queiroz Greco, Maria do Espìrito Santo Rosa Cavalcante Ribeiro
    142-152
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13929
  • AS SIMBOLOGIAS DA FESTA DO JUDAS NA COMUNIDADE QUILOMBOLA LAGOA DA PEDRA

    Solange Aparecida Nascimento
    153-162
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13942
  • ESTRATÉGIAS DE EVIDENCIAÇÃO NA TRAJETÓRIA DE MERCEDES BAPTISTA

    Taynara Rafaela dos Santos
    163-169
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13930
  • DE OBJETO DE PESQUISA À SUJEITO PESQUISADOR: REFLEXÕES SOBRE CURRÍCULO E EDUCAÇÃO PARA AS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA PÓS-GRADUAÇÃO

    Victoria Tolledo Munhóz, Gabriel Fortes Pereira
    170-181
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13931
  • DO EPISTEMICÍDIO À VALORIZAÇÃO HISTORIOGRÁFICA NEGRA: LUIZ GAMA E LUIZA MAHIN

    Vinícius Ferreira Guimarães, Thais Alves Marinho
    182-190
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13932
  • A HISTÓRIA COMO RUÍNA: TÁTICAS DE RESISTÊNCIA DE UM CORPO ENEGRECIDO

    Wheber Mendes dos Santos, José Carlos Pessôa de Melo
    191-198
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13933
  • ACERVO QUILOMBOLA MARIA ENILDA MARQUES BOEIRA: CONFLUÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS

    Carla Beatriz Meinerz, Laryssa Flores Fontoura
    199-208
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13934

Artigos Livres

  • ENTRE CARVALHOS E PALMEIRAS: PRÁTICA E DOGMA NA REFORMA CATÓLICA NO BISPADO DE MARIANA (1820 – 1890)

    Thales Contin Fernandes
    209-222
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.12308
  • NARRATIVAS DE ASSOMBRAÇÃO NO MUSEU DA MEMÓRIA RONDONIENSE

    Laysa Almeida Diniz Diniz, Mara Genecy Centeno Nogueira
    223-236
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13711
  • HISTÓRIAS ENTRELAÇADAS NA AMÉRICA LATINA: ANÁLISE DAS CONEXÕES DA RESISTÊNCIA DO MST E DO EZLN À GLOBALIZAÇÃO DA AGRICULTURA (1970-1990)

    Émerson Neves da Silva
    237-253
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13689
  • INTERSECCIONALIDADE E DECOLONIALIDADE: UMA DISCUSSÃO SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DO MERETRÍCIO NO RIO DE JANEIRO (1907-1915)

    Alvaro Daniel Costa
    254-263
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13453
  • PROTAGONISMO SUASSUNIANO: REPRESENTAÇÕES ACERCA DA FIGURA DE ARIANO SUASSUNA NOS JORNAIS RECIFENSES NA DÉCADA DE 1970.

    Bruna Maria Batista Pereira, Kacia Mikaela de Sousa
    264-275
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13388
  • UM PRELADO ENTRE OS REVOLTOSOS: AS CARTAS PASTORAIS DE DOM ROMUALDO ANTONIO DE SEIXAS DURANTE A SABINADA (1837-1838)

    Victor Augusto Mendonça Guasti
    276-288
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13282
  • A BNCC E UMA HISTÓRIA SEM LUTAS: EXPRESSÕES DO CURRÍCULO ACERCA DOS MOVIMENTOS SOCIAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL II

    Mariana Esteves de Oliveira
    289-299
    DOI: https://doi.org/10.18224/mos.v17i1.13607
Ver Todas as Edições

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DA PUC GOIÁS LANÇA CANAL DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA

O Programa de Pós-Graduação em História da PUC Goiás criou uma ferramenta para ampliar a divulgação científica a partir das produções docentes e discentes: no dia 21 de setembro, às 19 horas, estreia o primeiro programa do canal Histórias em Mosaico, disponibilizado na plataforma de vídeos YouTube.

Vejam na íntegra a reportagem nos links abaixo: