‘AS FLORES DO MAL’: ARQUEOLOGIA DAS ESTRUTURAS DA VIOLÊNCIA POLÍTICA DA DITADURA, O CASO DO DOPS/MG

Autores

  • Caroline Murta Lemos Universidade Federal de Minas Gerais
  • Denise Neves Batista Costa Universidade Federal de Minas Gerais
  • Andrés Zarankin Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.18224/hab.v19i2.9252

Palavras-chave:

Arqueologia da Violência. Arqueologia Contemporânea. Arqueologia da Repressão e da Resistência. Ditadura civil-militar brasileira. DOPS/MG.

Resumo

Nas últimas décadas começaram a se consolidar linhas de pesquisa associadas ao que pode ser entendido como Arqueologia Contemporânea. Entre essas, talvez uma das que mais visibilidade e impacto tiveram foi a chamada Arqueologia da Repressão e da Resistência, campo de pesquisa que ainda possui barreiras político-acadêmicas para ultrapassar. Uma delas foi superada ano passado, quando, pela primeira vez, foram implementadas intervenções arqueológicas em um centro de detenção da ditadura civil-militar brasileira com o objetivo de estudar suas materialidades e as experiências cotidianas a elas relacionadas. Essa pesquisa arqueológica teve um caráter diagnóstico e foi realizada no DOPS/MG para subsidiar a futura criação do Memorial de Direitos Humanos no local. Nesse texto serão apresentadas as atividades desenvolvidas durante esse trabalho que, além de pioneiro, tem como objeto de estudo um importante órgão repressivo da ditadura civil-militar em Minas Gerais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Murta Lemos, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Arqueologia (UFS). Mestre em Antropologia com área de concentração em Arqueologia (UFMG). Bacharela em Arqueologia (PUC-GO). Pós-doutoranda (UFMG).

Denise Neves Batista Costa, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestre em Antropologia com área de concentração em Arqueologia (UFMG). Bacharela em Ciências Sociais (UFMG). Doutoranda em Antropologia com área de concentração em Arqueologia (UFMG).

Andrés Zarankin, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em História (UNICAMP). Especialização em História e Crítica da Arquitetura (Universidade de Buenos Aires). Graduado em Antropologia com orientação em Arqueologia (Universidade de Buenos Aires). Professor Titular do Departamento de Antropologia e Arqueologia (UFMG).

Referências

ÂNGELO, Durval. O Vôo do Tucano. Belo Horizonte: O Lutador, 1999.

ANJOS, Giullia Caldas dos. A arqueologia da repressão no contexto das ditaduras militares da Argentina, Uruguai e Brasil. Revista de Arqueologia Pública, Campinas, v. 5, n. 1[5], p. 79-92. 2012.

ASSUNÇÃO, Rosângela Pereira de Abreu. DOPS/MG. Imaginário anticomunista e policiamento político (1935-1964). Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.

BANKS, Iain. Conflict archaeology. In: ORSER, Charles; ZARANKIN, Andrés; FUNARI, Pedro Paulo Abreu; LAWRENCE, Susan; SYMONDS, James (eds.). The routledge handbook of global historical archaeology. Londres e Nova York: Routledge Taylor & Francis Group, 2020. p. 192-214.

BARBOSA, Júlia Lettícia Camargos. Conhecendo o inimigo: Criminalidade política e subversão, o DOPS mineiro na ditadura militar (1964-1973). Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de São João Del Rey, São João Del Rey, 2012.

BARETTA, Jocyane Ricelly. Arqueologia e a construção de memórias materiais da ditadura militar em Porto Alegre/RS (1964/1985). Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

BARETTA, Jocyane Ricelly. Uma arqueologia do inferno. Misoginia e feminização através do aparato material da Ditadura em Porto Alegre/RS (1964/1985). Tese (Doutorado em Antropologia) - Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2020.

BAUER, Caroline Silveira. O Departamento de Ordem Política e Social do Rio Grande do Sul (DOPS/RS): Terrorismo de Estado e ação de polícia política durante a ditadura civil-militar brasileira. Revista Ágora, Vitória, n. 5, p. 1-31. 2007.

BELLÉ, Matheus Fuscaldo. 2017. Memória em conflito: dilemas da arqueologia da repressão em Porto Alegre/RS. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.

BRASIL: NUNCA MAIS. Projeto A. Tomo V. v. I. São Paulo: Arquidiocese de São Paulo, 1985.

BUCHLI, Victor; LUCAS, Gavin. (eds.). Archaeologies of the Contemporary Past. Londres: Routledge, 2001.

CARMAN, John. A heritage of conflict, and conflicts of heritage. In: BERGERBRANT, Sophie; SABATINI, Serena (eds.). Counterpoint: Essays in Archaeology and Heritage Studies in Honour of Professor Kristian Kristiansen, BAR International Series 2508. Oxford: Archaeopress, 2013. p. 747-751.

CARMAN, John. Challenging the military: a critical approach to the study of conflict over the long term. What Threatens? Building bridges in Security and Conflict Studies, Birmingham, 2009.

CNV, Comissão Nacional da Verdade. Relatório/Comissão Nacional da Verdade. Brasília: Comissão Nacional da Verdade, 2014.

COSTA, Denise Neves Batista. Memórias de repressão, memórias de resistência: As marcas da ditadura no DOPS/MG (1964 - ?). Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

FERNANDES, Mariana Costa de Moraes; CORONEL, Luciana Paiva; THIESEN, Beatriz Valladão. Arqueologia e ação política: resultados da instalação vestígios de uma ausência. Revista de Arqueologia Pública, Campinas, v. 14, n. 1, p. 57-74. 2019.

FONDEBRIDER, Luis. Arqueología y Antropología Forense: un breve balance. In: FUNARI, Pedro Paulo Abreu; ZARANKIN, Andrés. (orgs.). Arqueología de la represión y la resistencia en América Latina 1960-1980. Córdoba: Encuentro Grupo Editor, 2006. p. 129-138.

FUENTES, Miguel; SEPÚLVEDA, Jairo; SAN FRANCISCO, Alexander. Espacios de represión, lugar de memoria. El Estadio Víctor Jara como campo de detención y tortura masiva de la dictadura en Chile. Revista Atlántica-Mediterránea de Prehistoria y Arqueología Social, v. 11, n. 1, p. 137-169. 2009.

FUENZALIDA BAHAMONDES, Nicole. Cuartel Terranova análisis de la Configuración espacial en relación a las estrategias de represión y control de los cuerpos de detenidos y torturados. La Zaranda de Ideas: Revista de Jóvenes Investigadores en Arqueología, Buenos Aires, v. 7, n. 1, p. 49-63. 2011.

FUENZALIDA, Nicole; MURA, Natalia La; IRRAZABAL, Luis, GONZÁLEZ, Camila. Capas de memorias e interpretación arqueológica de Nido 20. Un centro secreto de detención, tortura y extermínio. In: TEJERIZO-GARCÍA, Carlos; SUÁREZ, Carlos Marín; ROSIGNOLI, Bruno. (eds.). Arqueología de la dictadura en Latinoamérica y Europa / Archaeology of Dictatorship in Latin America and Europe, BAR International Series 2979. Oxford: BAR Publishing, 2020. p. 156-170.

FUNARI, Pedro Paulo Abreu; OLIVEIRA, Nanci Vieira de. A arqueologia do conflito no Brasil. In: FUNARI, Pedro Paulo Abreu; ZARANKIN, Andrés. Arqueología de la represión y la resistencia en América Latina 1960-1980. Córdoba: Encuentro Grupo Editor, 2006. p. 121-128.

FUNARI, Pedro Paulo Abreu; ZARANKIN, Andrés. Arqueología de la represión y la resistencia en América Latina 1960-1980. Córdoba: Encuentro Grupo Editor, 2006.

GONZÁLEZ?RUIBAL, Alfredo. Time to destroy. An archaeology of supermodernity. Current Anthropology, v. 49, n. 2, p. 247-279. 2008.

GRAVES-BROWN, Paul. Matter, Materiality and Modern Culture. Londres: Routledge, 2000.

HARRISON, Rodney. Arqueologias de Futuros e Presentes Emergentes. VESTÍGIOS – Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica, v. 12, n. 2, p. 81-104, jul./dez. 2018.

HATTORI, Márcia Lika. Enquadramentos de uma Antropologia Forense Brasileira na busca de Desaparecidos Políticos. In: AMADEO, Javier. (org.). Violência de Estado na América Latina. São Paulo: Editora Unifesp, 2019. p. 497-520.

IEPHA, Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais. Processo n.º PTE-149/2015 para tombamento do imóvel situado na avenida Afonso Pena, n 2.351 (antiga sede do DOPS - Departamento de Ordem Política e Social de Minas Gerais) localizado no município de Belo Horizonte. Acervo IEPHA/MG, 2015.

JOFFILY, Mariana. No centro da engrenagem: os interrogatórios na Operação Bandeirante e no DOI de São Paulo (1969-1975). Tese (Doutorado em História Social) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

JUSTAMAND, Michael.; MECHI, Patrícia Sposito. Arqueologia, História e Direitos Humanos: um estudo da Guerrilha do Araguaia. Revista de Arqueologia Pública, Campinas, v. 9, n. 3[13], p. 122-133. 2015.

KUSHNIR, Beatriz. Decifrando as astúcias do mal. Revista do Arquivo Público Mineiro, Ano 42, n. 1, p. 41-51, jan./jun. 2006.

LEMOS, Caroline Murta. Arquitetando o terror: um estudo sensorial dos centros de detenção oficiais e clandestinos da ditadura civil-militar do brasil (1964-1985). Tese (Doutorado em Arqueologia) - Universidade Federal de Sergipe, Laranjeiras, 2019.

LEMOS, Caroline Murta. 2020. A violência institucional do terrorismo de Estado e suas materialidades: Por uma Arqueologia da Repressão e da Resistência. In: TEJERIZO-GARCÍA, Carlos; SUÁREZ, Carlos Marín; ROSIGNOLI, Bruno. (eds.). Arqueología de la dictadura en Latinoamérica y Europa / Archaeology of Dictatorship in Latin America and Europe, BAR International Series 2979. Oxford: BAR Publishing, 2020. p. 22-31.

LESSA, Andrea. Arqueologia da agressividade humana: a violência sob uma perspectiva paleoepidemiológica. História, Ciências, Saúde — Manguinhos, v. 11, n. 2, p. 279-96, mai./ago. 2004.

LESSA, Andrea; SCHERER, Luciane Zanenga. O outro lado do paraíso: novos dados e reflexões sobre violência entre pescadores-coletores pré-coloniais. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v. 18, p. 89-100. 2008.

LINO, Jaisson Teixeira; FUNARI, Pedro Paulo Abreu. Introdução: Considerações sobre a Arqueologia da Guerra e do Conflito. In: LINO, Jaisson Teixeira; FUNARI, Pedro Paulo Abreu. (orgs.). Arqueologia da Guerra e do Conflito. Erechim: Habilis, 2013. p. 13-21.

LINO, Jaisson Teixeira; SILVA, Jaciara Andrade; SANTANA, Elaine Alves de; SILVA, Elisana Reis da. Guerra, conflito e violência na pré-história brasileira. In: LINO, Jaisson Teixeira; FUNARI, Pedro Paulo Abreu. (orgs.). Arqueologia da Guerra e do Conflito. Erechim: Habilis, 2013. p. 23-42.

MAGUIRE, Pedro Pablo Fermín. Por una arqueología de las ‘cárceles indígenas’ de Minas Gerais, Brasil. In: TEJERIZO-GARCÍA, Carlos; SUÁREZ, Carlos Marín; ROSIGNOLI, Bruno. (eds.). Arqueología de la dictadura en Latinoamérica y Europa / Archaeology of Dictatorship in Latin America and Europe, BAR International Series 2979. Oxford: BAR Publishing, 2020. p. 94-111.

MAGUIRE, Pedro Pablo Fermín; COSTA, Denise Neves Batista. ‘Scientific torture’? Scientism and the marks of torture inside a police station in Belo Horizonte, Brazil. Vibrant - Virtual Brazilian Anthropology, v. 15, n. 3, p. 23, set./dez. 2018.

MAZZ, José María López. Una mirada arqueológica a la represión política en Uruguay (1971-1985). In: FUNARI, Pedro Paulo Abreu; ZARANKIN, Andrés. (orgs.). Arqueología de la represión y la resistencia en América Latina 1960-1980. Córdoba: Encuentro Grupo Editor, 2006. p. 147-158.

MCATACKNEY, Laura. Contemporary Archaeology. In: ORSER, Charles; ZARANKIN, Andrés; FUNARI, Pedro Paulo Abreu; LAWRENCE, Susan; SYMONDS, James (eds.). The routledge handbook of global historical archaeology. Londres e Nova York: Routledge Taylor & Francis Group, 2020. p. 215-230.

MOSHENSKA, Gabriel; GONZÁLEZ?RUIBAL, Alfredo. Introduction: The only way is Ethics. In: MOSHENSKA, Gabriel; GONZÁLEZ?RUIBAL, Alfredo. (eds.). Ethics and the Archaeology of Violence. New York: Springer; London: Heidelberg Dordrecht, 2015. p. 1-18.

MOTTA, Rodrigo Patto de Sá. Arquivos da polícia sob o foco da História. Revista do Arquivo Público Mineiro, Ano 49, n. 1, p. 61-77, jan./dez. 2013.

MOTTA, Rodrigo Patto de Sá. O Ofício das sombras. Revista do Arquivo Público Mineiro, Ano 42, n. 1, p. 53-69, jan. 2006.

ORSER, Charles. Introdução à Arqueologia Histórica. Belo Horizonte: Oficina de Livros, 1992.

PADILLA, Elías; REVECO, Isabel. Memorias del Grupo de Antropología Forense y su Aporte al Campo de los Derechos Humanos en Chile. Tomo II Actas 5º Congreso Chileno de Antropología, San Felipe, p. 1100-1108. 2004.

POLONI, Rita Juliana Soares. Arqueologia da repressão e da resistência: as contribuições da ciência na justiça de transição e na sociedade democrática. Projeto História, São Paulo, n. 50, p. 247-273, ago. 2014.

POLONI, Rita Juliana Soares; FUNARI, Pedro Paulo Abreu; MARCHI, Darlan de Mamann. Patrimônio, mudanças e memórias traumáticas: a Arqueologia da Repressão e da Resistência. Estudos Ibero-Americanos, Porto Alegre, v. 45, n. 3, p. 51-62, set./dez. 2019.

SALERNO, Melisa Anabella; ZARANKIN, Andrés. Consolidar o realizado; ir pelo que falta: arqueologia das ditaduras militares na América do Sul. Revista de Arqueologia Pública, Campinas, v. 9, n. 4[14], p. 72-98. 2015.

SALERNO, Melisa Anabella; ZARANKIN, Andrés; PEROSINO, María Celeste. Arqueologías de la clandestinidad. Una revisión de los trabajos efectuados en los centros de detención clandestinos de la última dictadura militar en Argentina. Revista Universitaria de Historia Militar, v. 1, n. 2, p. 49-84. 2012.

SEGUEL, Roxana Quintana; ROUBILLARD, Marcela Escudero; ESPINOSA, Fernanda Ipinza; ESCOBAR, América Inostroza. Prospección Exploratoria para la Búsqueda, Recuperación y Análisis de Evidencia Cultural y Biológica Asociada a la Ocupación del Inmueble de Londres 38, con Especial Énfasis en el Período septiembre 1973 – septiembre 1974. Santiago: Centro Nacional de Conservación y Restauración, 2013.

SILVA, Débora Raiza Carolina Rocha. Disputas em torno do DOPS/MG: Guerras de narrativas, memorialização e patrimonialização (1989-2018). Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

SOARES, Inês Virgínia Prado. Novas perspectivas para a Arqueologia da Repressão e da Resistência no Brasil depois da comissão nacional da verdade. Revista de Arqueologia Pública, Campinas, v. 8, n. 2[10], p. 177-194. 2014.

SOARES, Inês Virgínia Prado; FUNARI, Pedro Paulo Abreu. Arqueologia da resistência e direitos humanos. Evocati Revista, n. 103, p. 1-7. 2014.

SOARES, Inês Virgínia Prado; FUNARI, Pedro Paulo Abreu. Arqueologia e direitos humanos, uma introdução. Curitiba: Editora Appris, 2019.

SOUSA, Príscila Paula de. Memória, objetos e edifícios: uma análise arqueológica sobre o edifício que sediou o DEOPS/SP. Revista de Arqueologia Pública, Campinas, v. 8, n. 2[10], p. 196-211. 2014.

SOUZA, Rafael de Abreu e. Arqueologia e a Guerrilha do Araguaia ou a materialidade contra a não narrativa. Revista de Arqueologia Pública, Campinas, v. 8, n. 2[10], p. 213-230. 2014.

SUÁREZ, Carlos Marín. “A 80 cm de la superficie”. Once años de arqueología de la dictadura en Uruguay. Revista de Arqueologia, v. 29, n. 2, p. 36-54. 2016.

SUÁREZ, Carlos Marín; GAZZÁN, Nicolás; AGUIRREZABAL, Diego; MILLÁN, Alberto de Austria; CANCELA, Cristina; DÍAZ, Natalia; BLASCO, Jimena; RUIZ, Abel Guillén; MACÉ, Jean François; BIURRUN, Jesús Arguiñarena; HARO, Ignacio Ampudia de; BERTERRECHE, Martín Márquez; IZAGUIRRE, María Julia de. O centro clandestino de detenção e tortura Los Vagones del Barrio Olímpico (Canelones). Testemunho material e prova judicial da participação da polícia uruguaia no terrorismo do estado. Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica, v. 13, n. 2, p. 193-217. 2019.

SUÁREZ, Carlos Marín; TOMASINI, Mauro. La Tablada Nacional. Historia de un edificio de las afueras de Montevideo al servicio del Estado. In: ATALIVA, Víctor; GERÓNIMO, Aldo; ZURITA, Ruy Diego. (coords.). Arqueología forense y procesos de memorias: saberes y reflexiones desde las prácticas. Tucumán: Universidad Nacional de Tucumán, 2019. p. 187-214.

VILCHES, Flora. From nitrate town to internment camp: the cultural biography of Chacabuco, northern Chile. Journal of Material Culture, v. 16, n. 3, p. 241-263. 2011.

ZARANKIN, Andrés; FUNARI, Pedro Paulo Abreu. ‘‘Eternal Sunshine of the Spotless Mind’’: Archaeology and Construction of Memory of Military Repression in South America (1960–1980). Archaeologies: Journal of the World Archaeological Congress, v. 4, n. 2, p. 310-327. 2008.

ZARANKIN, Andrés; SALERNO, Melisa Anabella. Después de la tormenta. Arqueología de la represión en América Latina. Complutum, Madrid, v. 19, n. 2, p. 21-32. 2008.

Downloads

Publicado

04-03-2022

Como Citar

LEMOS, C. M.; COSTA, D. N. B.; ZARANKIN, A. ‘AS FLORES DO MAL’: ARQUEOLOGIA DAS ESTRUTURAS DA VIOLÊNCIA POLÍTICA DA DITADURA, O CASO DO DOPS/MG. Revista Habitus - Revista do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia, Goiânia, Brasil, v. 19, n. 2, p. 163–188, 2022. DOI: 10.18224/hab.v19i2.9252. Disponível em: https://seer.pucgoias.edu.br/index.php/habitus/article/view/9252. Acesso em: 22 jun. 2024.