ARQUEOLOGIA DO PEABIRU: ENTRELAÇANDO CAMINHOS E CONFLITOS

Autores

  • Cláudia Ines Parellada UFPR, e Museu Paranaense

DOI:

https://doi.org/10.18224/hab.v19i2.9178

Palavras-chave:

Peabiru, Arqueologia, Paraná, Caminhos, Conflitos.

Resumo

No sul da América do Sul foram descritos, desde o século XVI, vários caminhos originários, como o Peabiru, que promoveram redes de sociabilidades e conflitos entre povos indígenas e conquistadores de outros continentes, abrangendo diferentes tempos e etnicidades. Possibilitaram alianças e guerras, entrelaçando pessoas, espaços sagrados e profanos, oceanos, rios, aldeias, roças, vilas, missões religiosas, onde as relações podiam se expressar com muita violência. Conhecer as principais rotas e trilhas através das populações nativas configurou-se em elemento estratégico, ampliando o saque, a destruição, a cobiça de novos territórios e de riquezas minerais. No sistema de caminhos do Peabiru, no Guairá, nos séculos XVI e XVII, na área do atual Paraná, sul do Brasil, aconteceram vários conflitos, e a atual implementação de turismo e ações de educação patrimonial associadas a trilhas pode tornar esses locais como pontes de ressignificação do passado colonial, e de valorização dos povos indígenas e comunidades tradicionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Ines Parellada, UFPR, e Museu Paranaense

Docente do Programa de Pós graduação em Antropologia e Arqueologia da Universidade Federal do Paraná, e Curadora Científica do departamento de Arqueologia do Museu Paranaense

Referências

ABREU, Capistrano de. Capítulos de história colonial e os caminhos antigos e o povoamento do Brasil. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1982.

AFONSO, Germano Bruno. O Peabiru tem o traçado da via láctea. Cadernos da Ilha, Florianópolis, v. 2, p. 13-18, 2004.

AFONSO, Germano B.; NADAL, Carlos. A arqueoastronomia no Brasil. In: MATSUURA, Oscar T. (org.). História da astronomia no Brasil. v. 1. Recife: CEPE/ SECTEC, Rio de Janeiro: MAST/ MCTI, 2013. p. 50-86.

ANDRADE, Sabrina A. A retomada dos territórios ancestrais: os Guarani e a Cidade Real do Guairá. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP, v. 24, p. 91-107, 2014.

ANGRIZANI, Rodrigo C.; COLOBIG, María M.; BONOMO, Mariano. Taxonomia funcional e análise de microvestígios botânicos em vasilhas arqueológicas Guarani na Argentina. Habitus, IGPA, Goiânia, v. 18, n. 2, p. 421-449, 2020.

BECKER, Ítala Irene; LAROQUE, Luis Fernando. O índio Kaingang do Paraná. São Leopoldo: UNISINOS, 1999.

BEHLING, Hermann; PILLAR, Valerio; ORLÓCI, Laszlo; BAUERMANN, Soraia. Late Quaternary Araucaria forest, grassland (Campos), fire and climate dynamics, studied by high-resolution pollen, charcoal and multivariate analysis of the Cambará do Sul core in southern Brazil. Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology, v. 203, n. 3-4, p. 277-297, 2004.

BELLUZZO, Ana Maria; AMOROSO, Martha; SEVCENKO, Nicolau; PICCOLI, Valéria. Do contato ao confronto: a conquista de Guarapuava no século XVIII. São Paulo: BNP- Paribas, 2003.

BERTONI, Moisés Santiago. Resumen de prehistoria y protohistoria de los paises guaraníes: conferencias dadas en el Colegio Nacional de segunda enseñanza de la Asunción los días 26 de julio, 8 y 21 de agosto de 1913. Asunción: J.E. O'Leary, director del Colegio Nacional, 1914.

BLASI, Oldemar; PASTINA FILHO, José; PONTES FILHO, Almir. Primeiras notícias sobre a descoberta dos vestígios do provável assentamento do Tambo das minas de ferro na antiga província do Guairá. Estudos Íbero-Americanos, Porto Alegre, v. 15, p. 235-244, 1989.

BOND, Rosana. O Caminho de Peabiru. Campo Mourão: Kromoset, 1996.

BOND, Rosana. A saga de Aleixo Garcia: o descobridor do Império Inca. Florianópolis: Insular, 1998.

BOND, Rosana. História do caminho de Peabiru. Descobertas e segredos da rota indígena que ligava o Atlântico ao Pacifico. v. 1. Rio de Janeiro: Aimberê, 2009.

BONOMO, Mariano; ANGRIZANI, Rodrigo C.; APOLINAIRE, Eduardo; NOELLI, Francisco S. A model for the Guarani expansion in the La Plata Basin and litoral zone of southern Brazil. Quaternary International, v. 356, p. 54-73, 2015.

BORBA, Telemaco M. Actualidade indígena. Coritiba: Impr. Paranaense, 1908.

BOUTIN, Leonidas. Colônias militares do Paraná. Boletim do Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico Paranaense. v. 33, p. 13-68, 1977.

BOUTIN, Leonidas. Colônias indígenas na Província do Paraná. Boletim do Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico Paranaense. v. 35, p. 47-112, 1979.

BRAZIL, José Maria S. Paranhos Júnior. Statement submitted by the United States of Brazil to the President of the United States of America as arbitrator under the provisions of the treaty concluded september 7, 1889, between Brazil and the Argentine Republic. Vol. V e VI, New York: Knickerbocker Press, 1894.

BROCHADO, José Proenza. Migraciones que difundieron la tradición alfarera Tupiguarani. Relaciones n.s. v. 7, p. 7-39, 1973.

BORGES, André E. Caminhos da cultura indígena: o Peabiru e o neoindianismo. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina, 2006.

CARDOZO, Ramón I. El Guairá, historia de la antigua provincia (1554-1676). Asunción: El Arte, 1970.

CASEMIRO, Sinclair P. Terra Sem Mal: Uma leitura com a participação do relato da Guarani Nhandeva do interior do Paraná, da Reserva Arai Werá. Anais do V Simpósio sobre o Caminho de Peabiru na COMCAM, microrregião 12 do Paraná. Campo Mourão. p 45–64, 2007.

CAVALCANTE, Thiago Leandro. O mito do São Tomé americano e a circularidade cultural na América colonial. Revista de História Regional, Ponta Grossa, v.13, n.1, p. 65-93, 2008.

CAVALHEIRO, Antonio C. M. Relatório final do recadastramento de 69 sítio arqueológicos localizados no oeste do Paraná, CNSA/ CNA/ IPHAN, processo nº 01508.000827/2016-41. Curitiba: IPHAN.

CHMYZ, Igor. Contribuição arqueológica e histórica ao estudo da comunidade espanhola de Ciudad Real do Guairá. Revista de História, Curitiba, v. 2, p. 67-114, 1963.

CHMYZ, Igor. Arqueologia e história da vila espanhola de Ciudad Real de Guairá. Cadernos de Arqueologia, UFPR, Curitiba, v. 1, p. 7-103, 1976.

CHMYZ, Igor (coord.). Sétimo relatório das pesquisas realizadas na área de Itaipu (1981-3). Curitiba: ITAIPU, 1983.

CHMYZ, Igor. Pesquisas de arqueologia histórica no Paraná. Dédalo, São Paulo, v. 24, p. 171-197, 1985.

CHMYZ, Igor; CHMYZ, João Carlos G.; BROCHIER, Laércio L. Bens arqueológicos associados às ruínas de Ciudad Real del Guayrá. Maringá: Massine, 2015.

CHMYZ, Igor; SAUNER, Zulmara. Nota prévia sobre as pesquisas arqueológicas no Vale do Rio Piquiri. Dédalo, São Paulo, v. 7, n. 13, p. 7-31, 1971.

CLASTRES, Pierre. A fala sagrada/mitos e cantos sagrados dos índios Guarani. Campinas: Ed. Papirus, 1990.

COLAVITE, Ana Paula; BARROS, Mirian. Geoprocessamento aplicado a estudos de Caminho de Peabiru. Revista da ANPEGE, v. 5, n. 5, p. 86-105, 2009.

EREMITES DE OLIVEIRA, Jorge; ESSELIN, Paulo M. Uma breve história (indígena) da erva-mate na região platina: da Província do Guairá ao antigo sul de Mato Grosso. Espaço Ameríndio, v. 9, n. 3, p. 278- 318, jul./dez. 2015.

EREMITES DE OLIVEIRA, Jorge; PEREIRA, Levi Marques. Reconhecimento de territórios indígenas e quilombolas em Mato Grosso do Sul: desafios para a antropologia social e a arqueologia em ambientes colonialistas. In: AGUIAR, R. L. S.; EREMITES DE OLIVEIRA, Jorge; PEREIRA, Levi Marques. (org.). Arqueologia, Etnologia e Etno-história em Iberoamérica: fronteiras, cosmologia e antropologia em aplicação. 1. ed. Dourados: Editora UFGD, 2010. p. 185-208.

FLEMING, Andrew. Post-processual landscape archaeology: a critique. Cambridge Archaeological Journal, v. 16, n. 3, p. 267-280, 2006.

FLORES, Giancarlo Marcone. Guía de identificación y registro del Qhapaq Ñan. 2. ed. Lima: Mega Trazo, 2016.

FRANCISCON, Anderson; MARQUES, Carolina Salgueiro P.; AZUMA, Maurício H. A arquitetura na reprodução da memória: o caminho de Peabiru. Akrópolis, Umuarama, v. 25, p. 103-116, jul./dez. 2017.

FRANCO, Arthur M. Diogo Pinto e a conquista de Guarapuava. Curitiba: Museu Paranaense, 1943.

FUNARI, Pedro Paulo A. Teoria e a arqueologia histórica: a América Latina e o mundo. Vestígios, v. 1, n. 1, p. 51-58, 2007.

GARCIA ACEVEDO, Daniel. Contribución al estudio de la cartografia de los países del Río de la Plata. Montevideo: Imp. El Siglo Ilustrado, 1905.

GARROTE, Martin S.; DAMBROWSKI, Vanessa; SANTOS, Gilberto F. História e natureza nos campos do Quiriri – SC. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH, São Paulo, julho 2011, p. 1-16.

GIBSON, M. El patrimonio mundial y el reto del cambio climático. Revista Patrimonio Mundial, n. 42, p. 2-9, jul. 2006.

GUZMAN, Ruy Diaz. Argentina: historia del descubrimiento y conquista del Río de la Plata de Ruy Díaz de Guzmán, con prólogo de Silvia Tieffemberg. 1. ed. Buenos Aires: Edit. Universidad Buenos Aires, 2012 [1612].

HERBERTS, Ana Lúcia. Arqueologia do caminho das tropas: estudo das estruturas viárias remanescentes entre os rios Pelotas e Canoas, SC. Tese (Doutorado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 2009.

ICMBIO. Manual de sinalização de trilhas. Brasília: ICMBIO, 2018.

INGOLD, Tim. The perception of the environment: essays on livelihood, dwelling and skill. 1. ed. London: Routledge, 2002.

INGOLD, Tim. Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais. Horizontes Antropológicos, v. 18, n. 37, p. 25-44, 2012.

KARSBURG, Alexandre. O eremita das Américas: a odisseia de um peregrino italiano no século XIX. Santa Maria: Editora da UFSM, 2014.

KELLER, Joseph; KELLER, Franz. Exploração da região noroeste do estado do Paraná entre os rios Ivaí e Paraná. Curitiba: Dep. de Terras do Estado do Paraná, 1933.

KEMPF, Michael. Modeling multivariate landscape affordances and functional ecosystem connectivity in landscape archeology. Archaeological and Anthropological Sciences, v. 12, n. 8, p. 1-21, 2020.

LANGER, Johnni. Caminhos ancestrais. Nossa História. Rio de Janeiro, ano 2, n. 22, p. 20-24, ago. 2005.

LAROQUE, Luís Fernando. Fronteiras geográficas, étnicas e culturais envolvendo os Kaingang e suas lideranças no sul do Brasil (1889-1930). Pesquisas, Antropologia, São Leopoldo, v. 64, 2007.

LÉNA, Phillipe; ISSBERNER, Liz-Rejane. Anthropocene in Brazil: an inquiry into development on session and policy limits. In: ISSBERNER, Liz-Rejane; LÉNA, Phillipe (ed.). Brazil in the Anthropocene. Conflicts between predatory development and enviromental policies. 1. ed. Londres: Routledge, 2016. p. 1-16.

LIMA, Flávia, BARBOSA, Priscila; CAMPO, Marcio; JAFELICE, Luiz; BORGES, Luiz. Relações céu-terra entre os indígenas no Brasil: distintos céus, diferentes olhares. In: MATSUURA, Oscar T. (org.). História da astronomia no Brasil. v. 1. Recife: CEPE/ SECTEC, Rio de Janeiro: MAST/ MCTI, 2013. p. 88-130.

LOVATO, Leda. A contribuição de Franz Keller a etnografia do Paraná. Boletim do Museu do Índio, Antropologia, Rio de Janeiro, n. 1, nov. 1974.

LOZANO, Pedro. Historia de la conquista del Paraguay, Rio de la Plata y Tucuman. Biblioteca Rio de la Plata, v. 1. Buenos Aires: Imprenta Popular, 1878.

MAACK, Reinhard. Geografia física do estado do Paraná. Rio de Janeiro: Livr. José Olympio, 1968.

MAEDER, Ernesto; GUTIERREZ, Ramon. Atlas histórico del nordeste argentino. Resistencia: Inst. Inv. Geohistoricas, Conicet, Fundanord, 1995.

MANFREDINI, Luiz. Sonhos, utopias e armas: as lutas e revoltas que ajudaram a construir o Paraná. Cadernos Paraná da Gente, Curitiba: SEEC, n. 8, 2010.

MARKUN, Paulo. Cabeza de Vaca. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

MARTINS, Romário. Terra e Gente do Paraná. Curitiba: Diretoria Regional de Geografia do Estado do Paraná, 1944.

MARTINS, Romário. História do Paraná. 3. ed. Curitiba: Guairá, 1955.

MCA I Manuscritos da Coleção De Angelis I. Jesuítas e Bandeirantes no Guairá (1549-1640). Introdução, notas e glossário por Jaime Cortesão. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 1951.

MELIÁ, Bartomeu; SAUL, Marcos Vinicios; MURARO, Valmir F. O Guarani: uma bibliografia etnológica. Santo Ângelo: FUNDAMES, 1987.

MILHEIRA, Rafael G.; SANTOS, Josiel dos. Dos potes ao território: o desafio metodológico Brochadiano em dois contextos Guarani, Habitus, Revista do IGPA, Goiânia, v,18, n.2, p. 50-471, 2020.

MONTEIRO, John Manuel. Negros da terra: índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

MONTOYA, Antonio Ruiz de. Conquista espiritual feita pelos religiosos da Companhia de Jesus nas Províncias do Paraná, Paraguai, Uruguai e Tape. Porto Alegre: Martins Livreiro, 1985 [1639].

MOREIRA, Geraldo; MOREIRA, Wanderley Cardoso. Calendário cosmológico Guarani: os símbolos e as principais constelações na visão Guarani. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

MOTA, Lúcio T. O aço, a cruz e a terra: índios e brancos no Paraná provincial (1853-1889). Tese (Doutorado em História) – Universidade Estadual de São Paulo, Assis, 1998.

MULLER, Lúcia. Monge João Maria: suas lendas, suas fontes de água santa e a prática do batismo. Cadernos PDE, Secretaria de Estado da Educação do Paraná, 2010.

NASCIMENTO, José Francisco Thomaz do. Viagem feita por José Francisco Thomaz do Nascimento pelos desconhecidos sertões de Guarapuava, Província do Paraná, e relações que teve com os índios Coroados mais bravios daquelles lugares. Revista Trimensal do Instituto Histórico e Geographico Brasileiro, Rio de Janeiro, t. XLIX, v. 2, p. 267-281, 1886.

NIMMO, Evelyn R.; NOGUEIRA, João Francisco M. Creating hybrid scientific knowledge and practice: the Jesuit and Guaraní cultivation of yerba mate. Canadian Journal of Latin American and Caribbean Studies, v. 44, n. 3, p. 347-367, 2019.

NIMUENDAJU, Curt. Mapa etno-histórico de Curt Nimuendaju. Rio de Janeiro, IBGE, 1981.

NOELLI, Francisco S.; BROCHADO, José P.; CORRÊA, Ângelo A. A linguagem da cerâmica Guarani: sobre a persistência das práticas e materialidade (parte 1). Revista Brasileira de Linguística Antropológica, v. 10, n. 2, p. 167-200, 2018.

NOELLI, Francisco S.; SALLUM, Marianne. A cerâmica paulista: cinco séculos de persistência de práticas tupiniquim em São Paulo e Paraná, Brasil. Mana, Estudos de Antropologia Social, v. 25, n. 3, p. 701-745, 2019.

PARELLADA, Claudia Inês. Um tesouro herdado: os vestígios arqueológicos na cidade colonial de Villa Rica del Espiritu Santo/ Fênix- PR. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1997.

PARELLADA, Claudia Inês. Estudo arqueológico no alto vale do rio Ribeira: área do gasoduto Bolívia-Brasil, trecho X, Paraná. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

PARELLADA, Claudia Inês. Paraná espanhol; cidades e missões jesuíticas no Guairá. In: SEEC-PR. Missões: conquistando almas e territórios. Curitiba: SEEC-PR, 2009. p. 59-79.

PARELLADA, Claudia Inês. Arqueologia do vale do rio Piquiri, Paraná: paisagens, memórias e transformações. Revista Memorare, Tubarão, v. 1, p. 24-42. 2013a.

PARELLADA, Claudia Inês. Arqueologia das fortificações no Paraná. In: LINO, Jaisson T.; FUNARI, Pedro Paulo A. Arqueologia da guerra e do conflito. Erechim: Ed. Habilis, 2013b. p. 97-128.

PARELLADA, Claudia Inês. Relatório final do programa arqueológico e de educação patrimonial da PCH Cavernoso II, vale do rio Cavernoso, Paraná. Curitiba: Museu Paranaense, 2014.

PARELLADA, Claudia Inês. Paisagens transformadas: a arqueologia de povos Jê no Paraná, sul do Brasil. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v. 27, p. 158-167, 2016.

PARELLADA, Claudia Inês. Missões jesuíticas, cidades espanholas e aldeias indígenas no Guairá (1610-1631), América do Sul: territórios e espaços transformados. In: FLECK, E. C.; ROGGE, J. A ação global da Companhia de Jesus: embaixada política e mediação cultural. São Leopoldo: Editora Oikos, 2018. p. 329-355.

PARELLADA, Claudia Inês; CREMONEZE, Cristina; BATTISTELLI, Edívio; SARAIVA, Maurício P. Vida indígena no Paraná: memória, presença, horizontes. Curitiba: Provopar, 2006.

PREUCEL, Robert W.; HODDER, Ian. (ed.). Contemporary archaeology in theory: a reader. Oxford: Blackwell Publishing, 1996.

PROENÇA, Jorge U. Caminhos e descaminhos do Peabiru. São Paulo: Editora Nova, 2015.

ROCHA, Arleto. Caminhos de Peabiru: história & memória. Curitiba: Editora Heliograf, 2020.

ROCHA POMBO, José Francisco. A Guayrá. São Paulo: Tip. Cia Edit.l de São Paulo, 1891.

SANDRINI, Débora B. Mito e história n’A Guayrá, de Rocha Pombo. Monografia (Curso de Graduação em Letras Português/ Inglês) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2018.

SANTOS, Álvaro R. A grande barreira da Serra do Mar. São Paulo: Nome da Rosa, 2004.

SCHADEN, Egon. Aspectos fundamentais da cultura Guarani. Boletim da Universidade de São Paulo, FFCL, 188 Antropologia 4, 1954.

SCHWENGBER, Valdir L. Relatório Final do Programa de Resgate Arqueológico e Educação Patrimonial na área de implantação da PCH Cantu 2, municípios de Laranjal, Palmital, Nova Cantu e Roncador, Estado do Paraná. Tubarão: Espaço Arqueologia, 2015.

SCHMIDL, Ulrico. Viaje al río de la Plata. Buenos Aires. Emecé Editores. 1945.

SILVA, Fernando A. Considerações sobre alguns sítios Tupi-Guarani no sul do Brasil. Revista do Museu Paulista, ns, São Paulo, v. 13, p. 377-397, 1961/1962.

SOARES, Olavo. O andarilho das Américas: Cabeza de Vaca. Ponta Grossa: UEPG, 1981.

TAUNAY, Alfredo E. Documentação hespanhola. Annaes do Museu Paulista, tomo 1, 2 parte, São Paulo, Officinas do Diário Official, p.137-442, 1922.

TAUNAY, Alfredo E. História geral das bandeiras paulistas, tomo I, São Paulo: Typ. Ideal, 1924.

TAUNAY, Alfredo E. Documentação espanhola. Anais do Museu Paulista, tomo II, 2 parte, São Paulo: Officinas do Diário Official, 1925.

TECHO, Nicolás. Historia de la Provincia del Paraguay de la Compañía de Jesus, 1673. Asunción: CEPAG, 2005.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Perspectivismo e multinaturalismo na América indígena. O que nos faz pensar, v. 14, n. 18, p. 225-54, 2004.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. O anti-narciso: lugar e função da Antropologia no mundo contemporâneo. Revista Brasileira de Psicanálise, v. 44, n. 4, p. 5-26, 2010.

WATSON, Virgínia D. Ciudad Real: A Guarani-Spanish site on the alto Paraná river. American Antiquity, v. 13, n. 2, p. 163-176, 1947.

WELTER, Tania. O Profeta São João Maria continua encantando no meio do povo: um estudo sobre os discursos contemporâneos a respeito de João Maria em Santa Catarina. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina, 2007.

ZAMBONI, Ernesta; DIAS, Maria de Fátima S. Apresentação. In: DIAS, Maria de Fátima Sabino; FINOCCHIO, Silvia; ZAMBONI, Ernesta (org.). Peabiru, um caminho, muitas trilhas. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2014. p. 7-15.

ZARANKIN, Andrés; SALERNO, Melisa. El sur por el sur: una revisión sobre la historia y el desarollo de la arqueologia histórica en América meridional. Vestigios, Belo Horizonte, v. 1, n.1, p. 17-47, 2007.

Downloads

Publicado

04-03-2022

Como Citar

PARELLADA, C. I. ARQUEOLOGIA DO PEABIRU: ENTRELAÇANDO CAMINHOS E CONFLITOS. Revista Habitus - Revista do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia, Goiânia, Brasil, v. 19, n. 2, p. 276–301, 2022. DOI: 10.18224/hab.v19i2.9178. Disponível em: https://seer.pucgoias.edu.br/index.php/habitus/article/view/9178. Acesso em: 22 jun. 2024.