WARFARE ARCHAEOLOGY IN BRAZILIAN PREHISTORY: AN OVERVIEW

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18224/hab.v19i2.9120

Palavras-chave:

Arqueologia do Conflito, Pré-história brasileira, Cultura Material.

Resumo

O artigo propõe apresentar e discutir alguns aspectos envolvendo evidências materiais de guerras e conflitos na pré-história do Brasil. O objetivo é apresentar um quadro, mesmo que parcial, de como atos de violência podem ser observados na cultura material, realizando-se um estado da arte do tema, e propondo perspectivas para o tema e o período propostos. Se optou por realizar-se uma metodologia transdisciplinar, onde, além da arqueologia, dados históricos e antropológicos contribuem para se refletir sobre o passado pré-colonial brasileiro e as marcas de conflitos deixadas nos registros do passado dos povos indígenas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaisson Teixeira Lino, Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS, campus de Chapecó-SC

Possui graduação em História pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (2002), especialização em Arqueologia pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai (URI) em 2007, mestrado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007) e doutorado pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto-Douro(UTAD) de Portugal (2012), com reconhecimento de diploma no Brasil pela Universidade de São Paulo e Pós-Doutorado pela Universidade de Amsterdã, Holanda. Atualmente é professor adjunto IV da Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS, campus de Chapecó-SC. Tem experiência nas áreas de Arqueologia Pré-histórica e Arqueologia Histórica, atuando principalmente nos seguintes temas: Arqueologia, Arqueologia da Guerra e do Conflito, Arqueologia Industrial, História Indígena, História Regional, Arqueologia Histórica, Arqueologia da Paisagem, Patrimônio Histórico e Cultural e Etnohistória.

Jaciara Andrade Silva, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Professor at Federal University of São Francisco Valley, Brazil.

Elaine Alves de Santana, Universidade Federal de Sergipe

Archaeologist at Federal University of Sergipe, Brazil.

Pedro Paulo Abreu Funari, Unicamp

Professor at State University of Campinas, Brazil.

Elisana Reis da Silva, Colégio Logosófico

Graduated in History at Federal University of Fronteira Sul, Brazil.

Referências

ADAMS, John C. Manual de Fraturas. Tradução da equipe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital do Servidor Público Estadual “Francisco Morato de Oliveira” sob a supervisão do Dr. Plínio de Souza Dias e dos Dr. Paulo Roberto Kopp da Silva e Dr. José Knoplich. São Paulo: Artes Médicas, 1980.

BELARMINO, Vanessa da Silva; Justamand, Michel; OLIVEIRA, Gagriel Frechiani; FUNARI, Pedro Paulo A. Representações da Guerra nas pinturas da Serra da Capivara, PI, Brasil. Somanlu, Manaus, v. 17, n. 2, p. 87-97, jul./dez. 2018.

BENJAMIN, Walter. “Zur Kritik der Gewalt”. In: TIEDEMANN, R.; SCHWEPPENHÄUSER, H. Walter Benjamin Gesammelte Schriften. Frankfurt: Suhrkamp, 1974. p. 179-203.

CARVALHO, Olívia A. de; QUEIROZ, Albérico N. de. Casos de traumatismos provocados por violência na população pré-histórica de Xingó, Sergipe, Brasil. Canindé, Revista do Museu de Arqueologia de Xingó, Xingó, v. 11, n. 1 p. 11-24, jun. 2008.

CERDÁ, Manuel Polo; RICO, Eva Cruz; PRÓSPER, Elisa García. Arqueología y antropología forense de la represión franquista en el territorio de la Agrupación Guerrillera de Levante y Aragón (1947-1948). Ebre 38: revista internacional de la Guerra Civil, 1936-1939, v. 4, n. 12, p. 203-230, 2010.

CUNHA, Eugênia; PINHEIRO, João. A linguagem das fracturas: a perspectiva da Antropologia Forense. Violência, Coimbra, v. 22-23, 2005-2006.

DELLEPIANE, José Castelleti; NÚÑEZ, Maria Antonieta C.; LABRA, Violeta Abarca; SOTO, Maria José Herrera. El fenómeno de la violencia en sociedades cazadoras-recolectoras del semiárido chileno y su articulación al desarrollo de identidades culturales. In: MAZZ, José López; BERÓN, Mónica. Indicadores arqueológicos de violencia, guerra y conflicto. Montevideo: Bibliotecaplural Univerdidad de la republica Uruguay, 2012. p. 139-154.

ETCHEVARNE, Carlos Alberto. Novas imagens sobre as particularidades das expressões gráficas rupestres da tradição Nordeste, em Morro do Chapéu, Bahia. In: FUMDHAMentos IX – Atas do Congresso Internacional de Arte Rupestre da IFRAO 2009 – Piauí / BRASIL. São Raimundo Nonato: Fumdham, 2009. p. 19-32.

FARIAS, Luís; GOMES, Eunice. O papel da bioarqueologia na recolha de evidências de violência interpessoal, ritual e guerra primitiva nos restos osteológicos humanos. Revista Al-Madan, v. 16, n. 14, p. 157-163, dez. 2008.

FAUSTO, Carlos. Inimigos Fiéis: história, guerra e xamanismo na Amazônia. São Paulo: Edusp, 2001.

FAUSTO, Carlos. Os índios antes do Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2005.

FERNANDES, Florestan A função social da guerra na sociedade. Tupinambá, Revista do Museu Paulista, São Paulo, v. 6, n. 1, p. 7-426, 1952.

FERNANDES, Florestan. A função social da guerra na sociedade Tupinambá. São Paulo: Livraria Pioneira, 1970.

FRANCA, Soad Farias; RANZI, Alceu; ROMERO, Marta Adriana B.; RIBEIRO, Rô-mulo José da Costa. Estruturas da paisagem amazônica: construção e desconstru-ção. 4º CONGRESSO LUSO-BRASILEIRO para o Planeamento Urbano. ALGARVE: Universidade do Minho, Universidade de São Paulo, UF de São Carlos, Universida-de do Algarve, 2010.

FRY, Douglas P. The Human Potential for Peace: An Anthropological Challenge to Assumptions about War and Violence. New York: Oxford University Press, 2007.

FUNARI, Pedro Paulo Abreu. A Antiguidade, O Manifesto e a historiografia crítica sobre o mundo antigo. In: COGGIOLA, Osvaldo. Manifesto Comunista, Ontem e Hoje. São Paulo: Xamã, 1999. p. 223-232.

FUNARI, Pedro Paulo Abreu; NOELLI, Francisco Silva. Pré-História do Brasil. São Paulo: Contexto, 2006.

GASPAR, Madu. A arte rupestre no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

HAMES, Raymond. Pacifying Hunter-Gatherers. Human Nature, Lincoln, v. 30, n. 2, p. 155-175, 2019.

HERBERTS, Ana Lúcia. Os Mbayá-Guaicurú: área, assentamento, subsistência e cultura material. Dissertação (Mestrado em História) – Unisinos, São Leopoldo, 1998.

HUFFSCHMID, Anne. Huesos y humanidad: antropología forense y su poder constituyente ante la desaparición forzada. Athenea digital: revista de pensamiento e investigación social, Barcelona, v. 15, n. 3, p. 195-214, 2015.

KEELEY, Lawrence. War before civilization. New York: Oxford University Press, 1996.

LAROQUE, Luís Fernando da Silva. Lideranças Kaingang no Brasil Meridional (1808- 1889). São Leopoldo: Instituto Anchietano de Pesquisas/UNISINOS, 2000.

LAVINA, Rodrigo. Os Xokleng de Santa Catarina: Uma etnohistória e sugestões para os arqueólogos. Dissertação (Mestrado em História) – Unisinos, São Leopoldo, 1994.

LESSA, Andrea; GASPAR. Maria Dulce. Estratégias de subsistência, complexidade social e violência entre grupos sambaquieiros do litoral brasileiro. In: MAZZ, José López; BERÓN, Mónica. Montevideo, Indicadores arqueológicos de violencia, guerra y conflicto. Bibliotecaplural Univerdidad de la republica Uruguay, 2012. p. 55-80.

LESSA, Andrea; SCHERER, Luciane Z. O outro lado do paraíso: novos dados e reflexões sobreviolência entre pescadores-coletores pré-coloniais. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v. 18 n. 18, p. 89-100, 2008.

LESSA, Andrea. Violência, cosmologia e aspectos sóciopolíticos no oásis atacamenho: Dados paleoepidemiológicos e arqueológicos en perspectiva biocultural. In: LUNA, Leandro H.; ARANDA, Claudia M.; SUBY, Jorge A. Avances recientes de la bioarqueología latino-americana. Buenos Aires: Grupo de Investigación en Bioarqueología, 2014. p. 409-435.

LESSA, Andrea. Arqueologia da agressividade humana: a violência sob uma perspectiva paleoepidemiológica. História, Ciências, Saúde, Manguinhos, v. 11, n. 2, p. 279-96, maio-ago. 2004.

LESSA, Andrea. Estudo de Lesões traumáticas agudas como indicadores de tensão social na população do sítio-cemitério Solcor-3, San Pedro de Atacama, Chile. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 1999.

LESSA, Andrea. Reflexões preliminares sobre paleoepidemiologia da violência em grupos ceramistas litorâneos: (I) Sítio Praia da Tapera – SC. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v. 15-16, p. 199-207, 2005-2006.

LESSA, Andrea; MEDEIROS, João Cabral de. Reflexões preliminares sobre a questão da violência em populações construtoras de sambaquis: análise dos sítios Cabeçuda (SC) e Arapuã (RJ). Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v. 11, p. 77-93, 2001.

LINO, Jaisson Teixeira. Arqueologia Guarani no Vale do Rio Araranguá, Santa Catarina. Erechim: Habilis, 2009.

LINO, Jaisson Teixeira; FUNARI, Pedro Paulo A (eds.). Arqueologia da Guerra e do Conflito. Erechim: Habilis, 2013.

LINO, Jaisson Teixeira; SILVA, Jaciara Andrade; SANTANA, Elaine Alves de; SILVA, Elisana Reis da. Guerra, conflito e violência na pré-história brasileira. In: LINO, Jaisson Teixeira; FUNARI, Pedro Paulo A (eds.). Arqueologia da Guerra e do Conflito. Erechim: Habilis, 2013. p. 23-42.

LOVELL, Nancy. Analysis and Interpretation of Skeletal Trauma. In: KATZENBERG, M. Anne; SAUNDERS, Shelley R. Biological Anthropology of the Human Skeleton, New York: Junh Wiley & Sons, 2008. p. 341-386.

LOVELL, Nancy. Trauma analysis in paleopathology. Yearbook of Physical Anthropology. New York, v. 40, p. 139-170, 1997.

MARTIN, Debra L.; HARROD, Ryan P. Bioarchaeological contributions to the study of violence. American journal of physical anthropology, v. 156, p. 116-145, 2015.

MARTIN, Gabriela. Pré-Historia do Nordeste do Brasil. Recife: Pernambuco, 1997.

MARTIN, Gabriela. Amor, Violência e Solidariedade no testemunho da arte rupestre brasileira. Clio: Revista do Curso de Mestrado em História. Recife, v. 1, n. 6, p. 27-37, 1984.

MAYS, S. The archaeology of human bones. New York: Routledge, 1998.

MAZZ, José López; BERÓN, Mónica. Indicadores arqueológicos de violencia, guerra y conflicto. Montevideo: Bibliotecaplural Univerdidad de la republica Uruguay, 2012.

MAZZ, José María López; LUSIARDO, Alicia; SALVO, Ximena. Indicadores antropológicos y arqueológicos de violencia política en Uruguay (1973-1985). In: MAZZ, José López; BERÓN, Mónica. Indicadores arqueológicos de violencia, guerra y conflicto. Montevideo: Bibliotecaplural Univerdidad de la republica Uruguay, 2012. p. 203-219.

MCGUIRE Randall H.; SAITTA, Dean J. Although they have petty captains, they obey them badly: the dialectics of prehispanic Western Pueblo social organization. American Antiquity, v. 61, n. 2, p. 197-216, 1996.

MILANEZ, Felipe; SANTOS, Fabricio Lyrio. Guerras da Conquista: da invasão dos portugueses até os dias de hoje. São Paulo: Harlequin, 2021.

MONTEIRO, John Manuel. Negros da Terra: Índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

MOREAU, Luc. Social inequality before farming? Multidisciplinary approaches to the study of social organization in prehistoric and ethnographic hunter-gatherer-fisher societies. Cambridge: McDonald Institute for Archaeological Research, 2020.

NOELLI, Francisco Silva. A ocupação humana na Região Sul do Brasil: arqueologia, debates e perspectivas – 1872-2000. Revista Usp, São Paulo, v. 44, p. 218-269, 1999-2000.

NOELLI, Francisco; BROCHADO, José. O cauim e as beberagens dos guarani e Tupinambá: equipamentos, técnicas de preparação e consumo. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v. 8, p. 117-128, 1998.

PATOU-MATHIS, Marylène. L'homme préhistorique est aussi une femme. Paris: Allary Éditions, 2020.

PINKER, Steven. Os anjos bons da natureza. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

POLITIS, Gustavo. NUKAK, Ethnoarchaeology of an Amazonian People. London: Routledge, 2007.

PROUS, André. Arqueologia Brasileira. Brasília: Unb, 1992.

SANABRIA. Medina César. Antropología forense y la investigación médico legal de las muertes. Bogotá: Asociación Colombiana de Antropología Forense, 2008.

SANTANA, Elaine Alves de. Enterros desviantes no registro arqueológico: identificação de deposições humanas atípicas e sua possível correlação com evidências sinalizadoras de violência. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) – Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2013.

SANTANA, Elaine Alves. Fratura nos ossos: violência, acidente ou bioturbação?. Monografia (Graduação em Arqueologia) – Universidade Federal de Sergipe, Campus de Laranjeiras, 2010.

SANTANA, Elaine Alves; CARVALHO, Olívia Alexandre. Fraturas nos ossos: violência, acidente ou bioturbação? Cadernos do LEPAARQ, v. 10, n. 20, p. 131-157, 2013.

SAUVET, Geoges, LAYTON, Robert, LENSSEN-ERZ, Tilman, TAÇON, Paul, & WLODARCZYK, André. Thinking with Animals in Upper Palaeolithic Rock Art. Cambridge Archaeological Journal, Cambridge, v. 19, n. 3, p. 319-336, 2009.

SCHAAN, Denise; PÄRSSINEN, Martti; RANZI, Alceu; PICCOLI, Jacó César. Geoglifos da Amazônia ocidental: evidência de complexidade social entre povos da terra firme. Revista de Arqueologia, v. 20, n. 1, p. 67-82, 2007.

SERAFIN, Stanley; LOPE, Carlos Peraza; UC GONZÁLEZ, Eunice. Bioarchaeological investigation of ancient Maya violence and warfare in inland northwest Yucatan, Mexico. American journal of physical anthropology, v. 154, n. 1, p. 140-151, 2014.

SOUZA, Sheila Maria Ferraz Mendonça de. A Paleopatologia no Brasil: crânios, parasitos e doenças do passado. In: FERREIRA, Luiz Fernando; REINHARD, Karl Jan; ARAÚJO, Adauto. Fundamentos da Paleoparasitologia. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz, 2011, p. 53-67.

SOUZA, Sheila Maria Ferraz Mendonça de. Bioarqueologia e Antropologia Forense. Albuquerque. Revista de História, Campo Grande, v. 1, n. 1, p. 121-139, jul./dez. 2009.

STADEN, Hans. Duas Viagens ao Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, 1974.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. A Inconstância da Alma Selvagem. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

WALDRON, T. Paleopatologia. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

Downloads

Publicado

04-03-2022

Como Citar

LINO, J. T.; SILVA, J. A.; DE SANTANA, E. A.; FUNARI, P. P. A.; SILVA, E. R. da. WARFARE ARCHAEOLOGY IN BRAZILIAN PREHISTORY: AN OVERVIEW. Revista Habitus - Revista do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia, Goiânia, Brasil, v. 19, n. 2, p. 302–326, 2022. DOI: 10.18224/hab.v19i2.9120. Disponível em: https://seer.pucgoias.edu.br/index.php/habitus/article/view/9120. Acesso em: 22 jun. 2024.