Germinal: Morte e Sepultamento de Pretos Novos no Rio de Janeiro do Século XIX

Autores

  • Júlio César de Medeiros

DOI:

https://doi.org/10.18224/hab.v10.2.2012.173-185

Resumo

Resumo: este artigo examina a morte e o sepultamento de escravos recém-chegados, que ocorreram no Rio de Janeiro, dos séculos XVIII e XIX, no Cemitério dos Pretos Novos que se situava na região do Valongo, parte noroeste da Corte do Rio de Janeiro. A pesquisa histórica demonstrou que, sem nenhum aparato religioso, os escravos que faleciam no mercado do Valongo, eram lançados em covas rasas como se indigentes fossem. Seus corpos eram enterrados sem qualquer rito de sepultamnto, mas a redescoberta de suas ossadas pode ajudar a compreender o legado deixado por eles. Palavras-chave: Cemitérios. Morte. Ritos Funerários. Antropologia. História Cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

DE MEDEIROS, J. C. Germinal: Morte e Sepultamento de Pretos Novos no Rio de Janeiro do Século XIX. Revista Habitus - Revista do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia, Goiânia, Brasil, v. 10, n. 2, p. 173–185, 2013. DOI: 10.18224/hab.v10.2.2012.173-185. Disponível em: https://seer.pucgoias.edu.br/index.php/habitus/article/view/2887. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos / Articles