A Comida como Linguagem

Autores

  • Ellen F. Woortmann

DOI:

https://doi.org/10.18224/hab.v11.1.2013.5-17

Resumo

Resumo: com base na noção de habitus de Bourdieu e em especial a concepção de Mary Douglas e outros de que a comida constitui uma linguagem, uma modalidade de código, propõe-se que a comida expressa meios de sociabilidade e aponta para distinções socialmente identificáveis. Nessa perspectiva, discute-se algumas práticas alimentares atuais e historicamente engendradas, que muitas vezes são naturalizadas. Palavras-chave: Práticas alimentares. Códigos. Distinções Sociais. Memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

WOORTMANN, E. F. A Comida como Linguagem. Revista Habitus - Revista do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia, Goiânia, Brasil, v. 11, n. 1, p. 5–17, 2013. DOI: 10.18224/hab.v11.1.2013.5-17. Disponível em: https://seer.pucgoias.edu.br/index.php/habitus/article/view/2844. Acesso em: 15 jun. 2024.