ATRÁS DAS CORTINAS: O FORTE PRÍNCIPE DA BEIRA E O SISTEMA ECONÔMICO DO SECRETO PLANO DE COMÉRCIO NA AMAZÔNIA

Autores

  • Louise Cardoso de Mello Universidade Federal Fluminense em cotutela com a Universidad Pablo de Olavide de Sevilha

DOI:

https://doi.org/10.18224/hab.v19i2.12092

Palavras-chave:

Forte Príncipe da Beira, Guaporé, Arqueologia Amazônica, Quilombolas, Patrimônio

Resumo

Este artigo apresenta um estudo sobre o registro arqueológico do Forte Príncipe da Beira, uma fortificação do último quartel do século XVIII situada às margens do rio Guaporé na atual região fronteiriça entre a Amazônia brasileira e boliviana (em Rondônia). Ao se concentrar nas décadas iniciais da fortificação, período definido pela historiografia como de ‘paz armada’, o presente artigo enfoca na origem e importância comercial do Forte Príncipe da Beira enquanto feitoria, e em seu processo de construção a partir do trabalho de africanos escravizados na(s) canteira(s). Parte de uma pesquisa de doutorado em andamento, este estudo propõe um novo entendimento da distribuição interna dos edifícios da fortaleza referentes aos armazéns e produz insumos para compreender sua conexão com o sítio denominado Labirinto, não só contribuindo ao avanço do conhecimento sobre a fortificação, mas também atestando o protagonismo comunitário dos quilombolas do Forte Príncipe da Beira para sua produção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Louise Cardoso de Mello, Universidade Federal Fluminense em cotutela com a Universidad Pablo de Olavide de Sevilha

Mestre em História Indígena da América Latina (UPO). Candidata a doutora em História na Universidade Federal Fluminense em cotutela com a Universidad Pablo de Olavide de Sevilha. Arqueóloga do Museu de Huelva (Espanha).

Referências

ALBUQUERQUE, Marcos; LUCENA, Veleda. Arqueologia Amazônica: O potencial arqueológico dos assentamentos e fortificações de diferentes bandeiras. In: PEREIRA, Edithe; GUAPINDAIA, Vera. Arqueologia Amazônica 2, Belém: MPEG; IPHAN; SECULT, 2010. p. 968-1019.

ARAÚJO. Renata Malcher de. A urbanização do Mato Grosso no século XVIII: discurso e método. Tese (Doutorado em História da Arte) – Universidade Nova de Lisboa, 2000.

BARCELOS, Giovani da Silva. Forte Príncipe da Beira: conhecimento, valoração e preservação. Dissertação (Mestrado em Preservação do Patrimônio Cultural) – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro, 2018.

BARROSO, Lourismar da Silva. Real Forte Príncipe da Beira: ocupação oeste da Capitania de Mato Grosso e seu processo construtivo (1775-1783). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

BOMBARDI, Fernanda Aires. Fortificações militares nas capitanias do Cabo do Norte e norte do Grão-Pará: território, povoamento e comércio (1668-1706). In: RODRIGUES, Fernando da Silva; FERRAZ, Francisco; PINTO, Surama Conde Sá (orgs.). História Militar: novos caminhos e novas abordagens. Jundiaí: Paco Editorial, 2015. p. 19-42.

BRITO, Adilson Jr. I. Domar as águas e os sertões da fronteira intra-americana: a centralidade dos caminhos fluviais nas disputas luso-espanholas do Tratado de Santo Ildefonso. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 39, n. 82, p. 107-129, 2019, Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1806-93472019v39n82-06. Acesso em: 12 jan. 2021.

CARDOSO DE MELLO, Louise. The Amazonian Fortress of Príncipe da Beira: from fortified plaza to social arena and some considerations on materiality. Archaeological Review from Cambridge, v. 31, n. 1, p. 39-62, 2016.

CARVALHO, Francismar Alex. Lealdades negociadas: povos indígenas e expansão dos impérios ibéricos nas regiões centrais da América do Sul (Segunda metade do século XVIII). São Paulo: Editora Alameda, 2014.

Carta a Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, 23 jul. 1778. Arquivo Público de Mato Grosso, BR MTAPMT FNSC-CA-0161-01.

Carta de José Pinheiro de Lacerda a Luís de Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres, Forte Príncipe da Beira, 2 mar. 1780. Arquivo Público de Mato Gross. Ref.: BR MTAPMT RFP-CA-0137.

Carta do Tenente João Soeiro de Almeida e Castro a Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres. Forte Príncipe da Beira, 17 fev. 1785. Arquivo Público de Mato Grosso. Ref.: BR MTAPMT RFP-CA-0356.

Cópia do ofício de 13 de julho de 1773 expedido pelo Marquês de Pombal a João Pereira e Caldas. Ofício de João Pereira e Caldas a Martinho de Melo e Castro, Pará, 17 out. 1773. Arquivo Histórico Ultramarino, Belém do Pará, AHU_CL_CU_013, Cx. 71, D. 6052.

CASTRO, Adler Homero F. Muralhas de pedra, canhões de bronze, homens de ferro: fortificações do Brasil de 1504 a 2006. , v. 4. Rio de Janeiro: FUNCEB, 2009.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

CHAUÍ, Marilena. Cidadania cultural: o direito à cultura. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2006.

CHAVES, Otávio R. O Secretíssimo Plano de Comércio e de Segurança: o contrabando na fronteira oeste da América Portuguesa e as antigas missões jesuíticas de Mojos e Chiquitos, Vice Reinado do Peru/Vice Reinado do Prata, 1770-1777. Revista História e Diversidade, v. 8, n. 1, p. 189-206, 2016.

COSTA, Camilla. Destrucción del Amazonas: las principales amenazas para la mayor selva tropical del mundo en los 9 países que la comparten. BBC News Mundo, 18 fev. 2020. Disponível em: https://www.bbc.com/mundo/noticias-america-latina-51377234. Acesso em: 12 jan. 2021.

DAVIDSON, David M. Rivers and empire: the Madeira route and the incorporation of the Brazilian far west, 1737-1808. Tese (Doutorado em História) – Yale University, 1970.

FERNANDES, Suelme E. O Forte do Príncipe da Beira e a Fronteira Noroeste da América Portuguesa (1776-1796). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2003.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 20. ed. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1999.

GOMES, Masília Aparecida da S. Os “gêneros do país”: a produção de alimentos em Vila Bela da Santíssima Trindade (1748-1790). In: ANZAI, Leny Caselli; BOHN MARTINS, Maria Cristina. Histórias coloniais em áreas de fronteiras. Cuiabá: EdUFMT, 2008. p. 99-125.

GONZÁLEZ GARCÍA, Clemente. Campos de batalla en Gallegos de Argañán, Salamanca, ss. XVII-XIX. Primera fase. SAGVNTVM (P.L.A.V.), n. 50, p. 219-240, 2018.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (IPHAN). Candidatura de Fortificações a Patrimônio Mundial é tema de oficina em Florianópolis (SC), 5 de junho de 2019. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/5112/candidatura-de-fortificacoes-a-patrimonio-mundial-e-tema-de-oficina-em-florianopolis-sc. Acesso em: 12 jan. 2020.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (IPHAN). Projeto Executivo da Consolidação e Restauração do Conjunto Poterna/Latrinas e Proteção dos remanescentes de piso e divisórias das edificações internas (Anexo I-E). In: Restauração do Conjunto Poterna/Latrinas e Outros Serviços de Conservação do Real Forte Príncipe da Beira. Processo n.º 01450.002176/2018-06 (SEI n.º 0451190). Brasília: CGCO/DEPAM/IPHAN, 2018. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Edital%202_2018_Principe%20da%20Beira.pdf. Acesso em: 23 fev. 2021.

Instrução com que Sua Majestade manda passar à Capitania do Grão Pará e Maranhão o Governador e Capitão General João Pereira Caldas, Palácio de Nossa Senhora da Ajuda, Lisboa, 2 out. 1772. Registro de cartas régias, regimentos, ordens e ofícios expedidos aos governadores e aos governadores e mais autoridades do Grão Pará e Maranhão e de Mato Grosso, 1772-1790. Arquivo Histórico Ultramarino, Códices, AHU_ACL_CU - Cód. 596, fl. 1-9.

Instrução de Martinho de Mello e Castro para o Governador e Capitão General de Mato Grosso Luís de Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres, Palácio de Nossa Senhora da Ajuda, 30 set. 1772. Registro de cartas régias, regimentos, ordens e ofícios expedidos aos governadores e aos governadores e mais autoridades do Grão Pará e Maranhão e de Mato Grosso, 1772-1790. Arquivo Histórico Ultramarino, Códices, AHU_ACL_CU - Cód. 596, fl. 16v-19.

Instrução secretíssima com que S. Majestade manda passar à capital de Belém do Grão Pará o governador e capitão-general João Pereira Caldas. Palácio de Nossa Senhora da Ajuda, 2 set. 1772. Ofício de João Pereira Caldas para Martinho de Melo e Castro. Pará, 16 dez. 1772. Arquivo Histórico Ultramarino, Pará, AHU_ACL_CU_013, Cx. 69Doc. 5919.

Instruções para servirem de regra ou diretório para o novo estabelecimento do comércio que pretende introduzir a Companhia Geral do Grão-Pará e Maranhão nos domínios de Espanha pelas capitanias de Mato Grosso, do Cuiabá e pelas mais regiões confinantes com as referidas capitanias e com a de São José do Rio Negro. Palácio de Nossa Senhora da Ajuda, 1 set. 1772. Registro de cartas régias, regimentos, ordens e ofícios expedidos aos governadores e aos governadores e mais autoridades do Grão Pará e Maranhão e de Mato Grosso, 1772-1790. Arquivo Histórico Ultramarino, Códices, AHU_ACL_CU - Cód. 596, fl. 11-15.

LANDA, Carlos Gilberto; HERNÁDEZ DE LARA, Odlanyer (orgs.). Sobre campos de batalla: arqueologia de conflitos bélicos em América Latina. Buenos Aires: Aspha, 2014.

LUCUCE, Pedro de. Principios de Fortificación: que contienen las definiciones de los términos principales de las obras de plaza y de Campaña […]. Barcelona: Thomas Piferrer Impresor del Rey, 1772.

MAGALHÃES, Marcos Pereira. Arqueologia na Fortaleza de São José de Macapá. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 1, n. 3, p. 33-59, 2006.

MARQUES, Fernando L. Tavares; LEITE FILHO, Deusdédit Carneiro. 3º Relatório de Atividades. Projeto 2ª etapa dos serviços de estabilização das ruínas do Real Forte Príncipe da Beira, Rondônia. Gradelar: Porto Velho, 2009.

MARQUES, Fernando L. Tavares; LEITE FILHO, Deusdédit Carneiro. 4º Relatório de Atividades. Projeto 2ª etapa dos serviços de estabilização das ruínas do Real Forte Príncipe da Beira, Rondônia. Gradelar: Porto Velho, 2010.

Mapa dos Mantimentos e Gêneros dos Armazéns Reais do Forte Príncipe da Beira, Ribeirão e Palmela. Forte Príncipe da Beira, 08 ago. 1818. Arquivo Público de Mato Grosso. Ref.: BR MTAPMT RFP-MP-1283.

MELLO, Cristiane Figueiredo Pagano de. Os Corpos de Ordenança e Auxiliares. Sobre as relações militares e políticas na América Portuguesa. História: Questões & Debates, n. 45, p. 39-56, 2006.

Memória das instruções e ordens que se devem expedir para a consolidação do Plano de Segurança e Comércio das Capitanias do Grão Pará, São José do Rio Negro e Mato Grosso, aprovado e confirmado por El Rey nosso senhor em resolução de 10 de julho de 1770. Arquivo Histórico Ultramarino, CU, Pará, Cx. 65, Doc. 5657.

NGOZI, Chimamanda. O perigo de uma história única. São Paulo: Companhia das letras, 2019.

Ofício de Luís de Albuquerque Pereira e Cáceres a Martinho de Melo e Castro. Vila Bela, 25 mai. 1773. Arquivo Histórico Ultramarino, Mato Grosso, AHU_ACL_CU_010, Cx. 16Doc. 1030.

Ofício do governador e capitão-general do Estado do Pará e Rio Negro, João Pereira Caldas, a Martinho de Melo e Castro. Pará, 1º fev. 1776. Arquivo Histórico Ultramarino. Pará. AHU_ACL_CU_013, Cx. 75Doc. 6272.

OLIVEIRA, Mário Mendonça de. As fortalezas e a defesa de Salvador. Brasília: Iphan/Programa Monumenta, 2008.

Plano do exame que o governador e capitão-general Luiz D’Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres fez por ordem de S. M. nas grandes ruinas da incompleta e mal situada Fortaleza da Conceição construída na margem direita do Rio Guaporé [...], s/d [ca. 1774]. Arquivo Histórico do Exército. CO.MT.08.05.1897.

Planta da Fortaleza de N. Sr.ª da Conceição situada na margem do Rio Guaporé, de Thomas de Souza, 1767. Arquivo Histórico do Exército. CO.MT. 08.05.1896.

Planta do novo método das acomodações interiores do Forte Príncipe da Beira criado pelo ajudante de engenheiro José Pinheiro de Lacerda no ano de 1780. Casa da Ínsua, cota nº. 87.

Relação das cargas que chegou no Armazém Real de Jamary para ser entregue ao Real Forte Príncipe da Beira. 6. Mai. 1801. Arquivo Público de Mato Grosso. Ref.: BR MTAPMT RFP-RO-1027.

Relação dos gêneros que se fazem [...] para o fornecimento destes Reais Armazéns para o tempo de um ano, Forte Príncipe da Beira, 11. Nov. 1819. Arquivo Público de Mato Grosso. Ref.: BR MTAPMT RFP-RO-1308.

Relação dos gêneros que se fazem necessários no Armazém Real assinada pelo Joseph Manoel Cardoso da Cunha, Forte Príncipe da Beira, 10 mar. 1800. Arquivo Público de Mato Grosso. Ref.: BR MTAPMT RFP-RO-0968.

Relação feita pelo Escrivão da Fazenda Real Antônio Ferreira Coelho das ferramentas existentes no Armazém Real, Fortaleza de N. S. da Conceição, 16 mai. 1779. Arquivo Público de Mato Grosso. Ref.: BR MTAPMT FNSC-RO-0167.

Relación de los acontecimientos que se produjeron a raíz del establecimiento de los límites en América del Sur, realizada por un oficial por encargo de S. M. [s/l], 1750, Archivo General de Indias, Buenos Aires, leg. 535, doc. 2.

RELATÓRIO apresentado à Assembleia Legislativa Provincial de Mato Grosso pelo Exmo. conselheiro [e presidente da província] Herculano Ferreira Penna, em 3 de maio de 1862. Cuiabá: Typographia do Matto-Grosso, 1864. Disponível em: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/415/000130.html. Acesso em: 20 jan. 2021.

SANTOS, Corcino Medeiros dos. Três ensaios de História Colonial. Brasília: Senado Federal, 2018. (Edições do Senado Federal, v. 86).

SILVA, Marley Antonia. Estimativa do Tráfico de Escravos no Grão-Pará (1671-1815). In: PACHECO, Agenor Sarraf; SILVA, Jerônimo da Silva, (orgs.). Textos e Fontes do Arquivo Público do Pará. Belém: SECULT, 2013, v.1, p. 36-57.

SOUZA, Marcos André T. de; SYMANSKI, Luís Claudio P. Análise distribucional intra-sítio em Arqueologia Histórica: algumas aplicações. Revista de Arqueologia, v. 9, p. 25-42, 1996.

SPIVAK, Gayatri. Can the Subaltern Speak? In: NELSON, Cary; GROSSBERG, Lawrence (ed.). Marxism and the Interpretation of Culture. Urbana: University of Illinois Press, p. 271-313, 1988.

Downloads

Publicado

04-03-2022

Como Citar

DE MELLO, L. C. ATRÁS DAS CORTINAS: O FORTE PRÍNCIPE DA BEIRA E O SISTEMA ECONÔMICO DO SECRETO PLANO DE COMÉRCIO NA AMAZÔNIA. Revista Habitus - Revista do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia, Goiânia, Brasil, v. 19, n. 2, p. 214–238, 2022. DOI: 10.18224/hab.v19i2.12092. Disponível em: https://seer.pucgoias.edu.br/index.php/habitus/article/view/12092. Acesso em: 25 maio. 2024.