PAULO FREIRE E DOM PAULO EVARISTO ARNS: HOMENS À FRENTE DO SEU TEMPO

Eliane Silva, Romilson Martins Siqueira

Resumo


O presente artigo discute a fertilidade do pensamento de Paulo Freire e Dom Evaristo Arns no ano em que se comemora o centenário de nascimento desses dois expoentes. Trata, sobretudo, de explicitar os fundamentos epistemológicos, políticos e humanos presentes no conjunto da obra desses autores sem, contudo, conciliar, equiparar ou sobrepor suas ideias. Cada um no seu contexto histórico foi capaz de expressar de maneira contundente um humanismo cristão profundamente comprometido com a questão humana e com a transformação social e política do seu tempo. A defesa pelos direitos humanos e a luta contra a ditadura marcam a posição desses autores por um projeto educativo alicerçado na dialética como forma de compreender o mundo pela contradição e pela luta contra a desigualdade social. Nesse sentido, destaca-se o ver-julgar-agir como processo capaz de traduzir o modo gnosiológico proposto pelos autores para desvelar a realidade e aquilo que a constitui como fenômeno de opressão, mas, também, de libertação.

Palavras-chave


Paulo Freire e Dom Paulo Evaristo Arns; Projetos Educativos; Dialética

Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaio sobre literatura e história da cultura. Rio de Janeiro: Brasiliense, 1985. v. 1.

BUCI-GLUCKSMANN, Christinne. Gramsci e o Estado. Trad. de Angelina Peralva. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980. (Coleção Pensamento Crítico, v. 39).

DOURADO, Luiz Fernandes; OLIVEIRA, João Ferreira de. A qualidade da educação: perspectivas e desafios. Cadernos Cedes, Campinas, v. 29, n. 78, p. 201-215, maio/ago. 2009.

ENGELS, Friedrich. A dialética da natureza. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

FREIRE, Paulo. Educação como prática de liberdade. 12. ed. Rio de Janeiro: Ed. Paz e Terra, 1981.

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? 8. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e a crise do capitalismo real. 3. ed. São Paulo, Cortez, 1999.

GIANNOTTI, José Arthur A. Origens da dialética do trabalho. São Paulo: Difel, 1966.

GADOTTI, Moacir. Los aportes de Paulo Freire a La pedagogia crítica. Revista Educación, v. 26, n. 2, p. 51‐60, 2002.

GONÇALVES, Maria da Graça Marchina. A contribuição da Psicologia Sócio-Histórica para a elaboração de políticas públicas. In: BOCK, Ana Mercês Bahia (org.) Psicologia e o compromisso social. 2. ed. rev. São Paulo: Cortez, 2009.

INSTITUTO HUMANITAS. As origens do método “ver, julgar e agir”, que foi consagrado na caminhada da igreja latino-americana. Observatório da Evangelização PUC Minas. 2011. Disponível em: https://observatoriodaevangelizacao.wordpress.com/2018/06/11/as-origens-do-metodo-ver-julgar-e-agir-que-foi-consagrado-na-caminhada-da-igreja-latino-americana/. Acesso em: 12 jan. 2021.

LEONTIEV. Alexis Nikolaevich. O desenvolvimento do psiquismo. São Paulo: Centauro, 2004.

LÉVINAS, Emmanuel. Humanismo do outro homem. Petrópolis: Vozes, 1993.

LANE, Sílvia Tatiana Maurer. A Psicologia Social e uma nova concepção do homem para a Psicologia. In: LANE, Silvia T. M.; CODO, Wanderley (orgs.). Psicologia Social: o homem em movimento. São Paulo: Brasiliense, 2001.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos: inquietações e buscas. Educar, Curitiba, n. 17, p. 153-176, 2001.

LIBÂNEO, José Carlos. Tendências pedagógicas na prática escolar: In: LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 6. ed. São Paulo: Loyola, 1984.p. 19-82.

LIBÂNEO, José Carlos; SILVA, Eliane. Finalidades educativas escolares e escola socialmente justa: a abordagem pedagógica da diversidade social e cultural. RPGE – Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 24, n. esp. 1, p. 816-840, ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v 24iesp1.13783.

SIQUEIRA, Romilson Martins; DOURADO, Luiz Fernandes. A educação infantil no campo de disputa entre o direito social e o mercado In: SIQUEIRA, Romilson Martins; PELEGRINE, Marcilene Gomes; MACIAEL, Carina Elisabeth (orgs.). Políticas educacionais democráticas em tempos de resistência. [Meio Eletrônico]. Brasília, ANPAE, 2021.

TOURAINE, Alain. Production de la société. Paris: Editions du Seuil, 1973.

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Filosofia da praxis. Tradução de Luiz Fernando Cardoso. 2. ed, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

VIGOTSKI, Lev Semeonovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 2000.




DOI: https://doi.org/10.18224/frag.v31i4.12230

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 12/08/2021)

Fonte: Google Analytics.