A AÇÃO DIALÓGICA DE PAULO FREIRE E OS PROCESSOS FORMATIVOS EM CONTEXTOS DE RESISTÊNCIA

Aldimar Jacinto Duarte

Resumo


No presente artigo busca-se analisar a importância de os intelectuais (lideranças/educadores) em se fundamentarem na perspectiva teórica e metodológica de Paulo Freire, em especial no que concerne à ação dialógica, enquanto processo de enfretamento ao desmonte da democracia no Brasil nos últimos anos. A pesquisa, fundamentada em Paulo Freire e outros autores que analisaram e analisam criticamente a realidade brasileira e os processos de construção/desconstrução da democracia no mundo ocidental, conclui que o processo efetivo de resistência está no diálogo solidário e humilde junto ao povo, por meio do envolvimento radical e dialógico com os excluídos na luta pela defesa dos direitos humanos, da democracia, da cidadania ativa e da justiça social como valores inalienáveis, em todos os espaços sociais.

Palavras-chave


Paulo Freire; Ação dialógica; Democracia; Resistência.

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel. G. Outros sujeitos, outras pedagogias. Petrópolis: Editora Vozes, 2012.

GRZYBOWSK, Cândido. Nova onda de democratização, por onde recomeçar? Disponível em: https://ibase.br/pt/opiniao/nova-onda-de-democratizacao-por-onde-recomecar/. Acesso em: 10 set. 2015.

CHAUÍ, Marilena. Cultura e democracia. São Paulo: Editora Cortez, 2003.

FERNANDES, Florestan. Mudanças sociais no Brasil. Aspectos do desenvolvimento da sociedade brasileira. São Paulo: Editora Global, 2008.

FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. Medos e ousadia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Reglus Neves. Educação e Atualidade Brasileira. São Paulo: Editora Cortez, 2001.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A gênese das teses do Escola sem Partido: esfinge e ovo da serpente que ameaçam a sociedade e a educação. In: FRIGOTTO, G. (org.). Escola “sem” Partido. Rio de Janeiro, LPP/UERJ, 2017.

LEVITSKY, Steven; ZIBLATT, Daniel. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro: Zahar Editora, 2018.

OLIVEIRA, Francisco. Privatização do público, destruição da fala e anulação da política: o totalitarismo neoliberal. In: OLIVEIRA, Francisco; PAOLI. Maria Célia. Os sentidos da democracia: políticas do dissenso e hegemonia global. Petrópolis, RJ: 1999.

SANTOS, Boaventura de Souza. A difícil democracia. Reiventar as esquerdas. São Paulo: Boitempo, 2016.

WEFFORT, Francisco C. Educação e política: Reflexões sociológicas sobre uma pedagogia da liberdade.(apresentação) In: FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2017.




DOI: https://doi.org/10.18224/frag.v31i4.12138

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 12/08/2021)

Fonte: Google Analytics.