A IMPORTÂNCIA DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA IDOSOS

Autores

  • Osvaldo Daniel dos Pinheiro Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC
  • Silvia Virginia Coutinho Areosa Universidade de Santa Cruz do Sul

DOI:

https://doi.org/10.18224/baru.v4i2.6724

Palavras-chave:

políticas públicas, idosos, envelhecimento

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de pensar os idosos na contemporaneidade. A elevação do número de idosos no Brasil é notável, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que indicam tendência de aumento da proporção de idosos na população, ressaltando a relevância do tema. Foi desenvolvido a partir da apresentação de conceitos sobre o idoso e o envelhecimento, com ênfase nas dimensões do envelhecimento biológica, psicológica, sociológica e cronológica, as políticas públicas para os idosos e as etapas para uma análise de uma política pública, perpassando suas fases: formulação, implementação e avaliação. A partir do referencial teórico apresentado, é entendido o quanto se faz importante pensar as políticas públicas para essa população, de forma a garantir seus direitos em sociedade, pois é através dessas que se pode atender as necessidades e demandas, assegurando que os direitos básicos sejam atendidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Osvaldo Daniel dos Pinheiro, Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC

Doutorando em Desenvolvimento Regional pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC). Mestre pelo em Estratégias de Marketing pela UNISC. MBA em Marketing Estratégico pela UNISC. Graduado em Administração pela UNISC.

Silvia Virginia Coutinho Areosa, Universidade de Santa Cruz do Sul

Pós-Doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Doutora em Serviço Social pela PUCRS. Mestre em Psicologia Social e da Personalidade pela PUCRS. Graduada em Psicologia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Professora do Departamento de Psicologia e do Programa de Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento Regional da Universidade de Santa Cruz do Sul.

Referências

AREOSA, S.V.C. Envelhecimento, contexto social e relações familiares: o idoso, de assistido a provedor da família. Tese (Doutorado em Serviço Social) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008. Disponível em: < http://tede2.pucrs.br/tede2/bitstream/tede/428/1/408714.pdf >. Acesso em: 13 jul. 2018.

BONETI, L. W. Educação, exclusão e cidadania. Ijuí: Unijuí, 1997.

BRASIL. Portaria n. 2.528 de 19 de outubro de 2006. Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Diário Oficial da União. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt2528_19_10_2006.html >. Acesso em: 28 jul. 2018.

BRASIL. Estatuto do idoso. Lei n. 10.741, de 1 de outubro de 2003. Diário Oficial da União, 03 out. 2003. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.741compilado.htm >. Acesso em: 25 jul. 2018.

BRASIL. Lei 8.842 de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Diário Oficial da União, 05 jan. 1994. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/cciVil_03/Leis/L8842.htm >. Acesso em: 30 jun. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF, 5 out. 1988. Seção 1. Anexo. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm >. Acesso em: 20 jul. 2018.

FONSECA, A M. O envelhecimento bem-sucedido. In: PAÚL, C; FONSECA, A (Coord.). Envelhecer em Portugal. Lisboa: Climepsi Editores, 2005.

INSTITUTO BRASILEIRO E GEOGRAFIA DE ESTATÍSTICA (IBGE). Atlas do censo demográfico 2010. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 16 jul 2018.

LIMA, M. Envelhecimento(s). Coimbra, Portugal: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2010.

LIMA, L.; DASCENZI, L. Implementação de políticas públicas: perspectivas analíticas. Revista de Sociologia e Política, v. 21, n. 48, p. 101-110, dez. 2013. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rsocp/v21n48/a06v21n48.pdf >. Acesso em: 01 jun. 2018.

NERI, A. L. Palavras-chave em gerontologia. Campinas: Alínea, 2005.

NERI, A. L. Qualidade de vida no adulto maduro: interpretações teóricas e evidências de pesquisa. I:. NERI, A. L. (Org.). Qualidade de vida e idade madura. Campinas: Alínea, 2001.

NETO, F.; MONTEIRO, H. Universidade da Terceira Idade: da solidão a motivação. Porto: Livpsi, 2008.

NETTO, P. M. Gerontologia: a velhice e o envelhecimento em visão globalizada. São Paulo: Editora Atheneu; 2002.

ONU (Organizações das Nações Unidas). Plan de Acción Internacional sobre el Envejecimiento. Madrid, Espanha, 2002 (Resolución, 57/167). Disponível em: < https://social.un.org/ageing-working-group/documents/mipaa-sp.pdf >. Acesso em: 10 jul. 2018.

PASCHOAL, S. M. P. Qualidade de vida do idoso: elaboração de um instrumento que privilegia sua opinião. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

QUEIROZ, G. A. A qualidade de vida em instituições de longa permanência para idosos: considerações a partir de um modelo alternativo de assistência. Dissertação (Programa de Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de São João del-Rei. 2010. Disponível em:

< http://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/ppgpsi/Publicacoes/Dissertacoes/GLEICIMARA%20ARAUJO%20QUEIROZ.pdf >. Acesso em: 01 ago. 2018.

RAMOS, M. P.; SCHABBACH, L. O estado da arte da avaliação de políticas públicas: conceituação e exemplos de avaliação no Brasil. Revista de Administração Pblica, v. 45, n. 05, 2012. Disponível em: < http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/7140/5692 >. Acesso em: 02 jun. 2018.

SECCHI, Leonardo. Políticas públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. São Paulo: Cengage Learnig, 2012.

SILVA, V. Velhice e envelhecimento: qualidade de vida para os idosos inseridos nos projetos do Sesc-Estreito. Monografia (Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2009. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/119776/287076.pdf?sequence=1&isAllowed=y >. Acesso em: 19 jul. 2018.

SOUZA, C. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 16, p. 20-45, dez, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/soc/n16/a03n16>. Acesso em 10 jul. 2018.

TEIXEIRA, S. M. Envelhecimento e trabalho no tempo do capital: implicações para a proteção social no Brasil. São Paulo: Cortez, 2008.

TERRA, N. Envelhecendo com qualidade de vida. Porto Alegre: Edipucrs; 2001.

ZIMERMAN, G. I. Velhice: aspectos biopsicossociais. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Downloads

Publicado

07.02.2019

Como Citar

PINHEIRO, O. D. dos; AREOSA, S. V. C. A IMPORTÂNCIA DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA IDOSOS. Revista Baru - Revista Brasileira de Assuntos Regionais e Urbanos, Goiânia, Brasil, v. 4, n. 2, p. 183–193, 2019. DOI: 10.18224/baru.v4i2.6724. Disponível em: https://seer.pucgoias.edu.br/index.php/baru/article/view/6724. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos