QUE BRANCO É ESSE NO RAP? - ROTEIROS DE MASCULINIDADES PERFORMADOS POR RAPPERS BRANCOS EM VIDEOCLIPES

Thiago Soares, Winglison Henrique do Nascimento Tenório

Resumo


O artigo analisa seis videoclipes protagonizados por dois rappers brancos estadunidenses para traçar roteiros performáticos (TAYLOR, 2013) da masculinidade e da branquitude neste gênero musical. Ressalta a interseccionalidade como importante moduladora do enquadramento de produtos da indústria musical. A metodologia de análise midiática de videoclipes (SOARES, 2013) evidencia como o privilégio branco é teatralizado em videoclipes de rap em encenações que remontam a ideais de paternidade, maturidade e consumo.

Palavras-chave


Rap; Videoclipe; Performance; Branquitude; Masculinidades

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Silvio. O que é racismo estrutural?. Belo Horizonte, MG: Letramento, 2018.

AMARAL, Adriana; SOARES, Thiago; POLIVANOV, Beatriz. Disputas sobre performance nos estudos de Comunicação: desafios teóricos, derivas metodológicas. Intercom, Rev. Bras. Ciênc. Comun. [online]. 2018, vol.41, n.1, p.63-79. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1809-5844201813. Acesso em: 03 ago. 2019.

CANCLINI, Néstor Garcia. Consumidores e cidadãos. Rio de Janeiro: UFRJ, 1999.

CONNELL, Raewyn. Gênero: Uma perspectiva global. São Paulo: nVersos, 2015.

DYER, Richard. White. New York, NY: Routledge, 1997.

FRITH, Simon. Performing Rites: on the value of popular music. Cambridge: Harvard University Press, 1996.

JANOTTI JR., Jeder; SÁ, Simone Pereira de. Revisitando a noção de gênero musical em tempos de cultura musical digital. In: XXVII ENCONTRO ANUAL DA COMPÓS, 12., 2018, Belo Horizonte, Minas Gerais. Anais eletrônicos... Belo Horizonte, Minas Gerais: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2018. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/arquivos_2018/trabalhos_arquivo_P68BF9GO895W6B37YQXZ_27_6266_09_02_2018_07_30_30.pdf. Acesso em: 05 jun. 2019.

_________________, ALCANTARA, João André. O videoclipe na era pós-televisiva: questões de gênero e categorias musicais nas obras de Daniel Peixoto e Johnny Hooker. Curitiba: Appris, 2018.

JANUÁRIO, Soraya Barreto. Masculinidades em (re)construção: Gênero, Corpo e Publicidade. Covilhã: Editora LabCom.IFP, 2016.

KOLKO, Jed. America Really Is a Nation of Suburb. Bloomberg CityLab, 2018. Disponível em: https://www.bloomberg.com/news/articles/2018-11-14/u-s-is-majority-suburban-but-doesn-t-define-suburb. Acesso em: 30 jun. 2020

MATEUS, Suzana Maria de Sousa. Narrativas do feminino nas performances de Beyoncé. 2018. 113f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Programa de Pós-Graduação em Comunicação, da Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/33298. Acesso em: 13 out. 2019.

MÜLLER, Tânia M. P., CARDOSO, Lourenço (org.). Branquitude: estudos sobre a identidade branca no Brasil. Curitiba: Appris, 2017.

RODMAN, Gilbert B. Race... and Other Four Letter Words: Eminem and the Cultural Politics of Authenticity. Popular Communication, 4(2), p. 95-121, mai. 2006. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/228809964_Race_and_Other_Four_Letter_Words_Eminem_and_the_Cultural_Politics_of_Authenticity. Acesso em: 03 de out. de 2019.

ROLIM, Mário Augusto Oliveira Monteiro. Rosto branco, voz “negra”: Iggy Azalea e as tensões do pop-rap. 2018. 172f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Programa de Pós-Graduação em Comunicação, da Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/31854. Acesso em: 02 ago. 2019.

SÁ, Simone Pereira de. Cultura digital, videoclipes e a consolidação da rede de música brasileira pop periférica. In: GRUPO DE TRABALHO SOM E MÚSICA DO XXVI ENCONTRO ANUAL DA COMPÓS, 2017, São Paulo, São Paulo. Anais eletrônicos... São Paulo, São Paulo: Faculdade Cásper Líbero, 2017. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/arquivos_2017/trabalhos_arquivo_V3WAH2PZJLO4JW7ZXWJG_26_5215_09_02_2017_07_48_56.pdf. Acesso em: 14 dez. 2017.

SOARES, Thiago. Videoclipe – O Elogio da Desarmonia. Recife: Livro Rápido, 2004.

________. A Estética do Videoclipe. João Pessoa: Editora da UFPB, 2013.

________. Construindo imagens de som & fúria: considerações sobre o conceito de performance na análise de videoclipes. Contemporânea: Comunicação e Cultura, Bahia, UFBA, v.12, n.02, p. 323-339, maio-ago 2014. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/contemporaneaposcom/article/view/10721. Acesso em: 09 set. 2019.

_______. Percursos para estudos sobre música pop in SÁ, Simone Pereira de, CARREIRO, Rodrigo, FERRAZ, Rogerio (org.). Cultura pop. Salvador: EDUFBA; Compós, 2015.

SOVIK, Liv. Aqui ninguém é branco. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2009.

TAYLOR, Diana. O arquivo e o repertório: performance e memória cultural das Américas. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

VIGOYA, Mara Viveiros. As Cores da Masculinidade. Rio de Janeiro: Papéis Selvagens, 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/pan.v10i2.8375

Rodapé - Panorama
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Não Comercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0)


PANORAMA | Comunicação Social | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-1087 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B2