O ASPECTO EDUCACIONAL DAS MÍDIAS SOCIAIS EM CONTEXTOS DE DESINFORMAÇÃO: INFRAESTRUTURAS E FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS ORIENTADAS À CIDADANIA

Guilherme Lucian

Resumo


Este estudo delineia o aspecto educacional das mídias sociais em contextos de desinformação, com o propósito de investigar o modo como são confrontados os pressupostos cognitivos que orientam o conhecimento da nossa época e também a validade objetiva das crenças que sustentamos. A hipótese é a de que o seu compromisso cívico não deve se limitar apenas à mediação dos diálogos da sociedade, mas sobretudo à responsabilidade de educar cidadãos para a emancipação diante de uma rede bem elaborada de informações imprecisas ou intencionalmente falsas que nos distancia da compreensão — especialmente por seu potencial de descontrole e de circulação. Adotamos como método uma reflexão especulativa, ancorada na análise das medidas de combate às fake news propostas pelo Facebook por meio de infraestruturas e ferramentas computacionais de aprendizagem de máquina, de aprendizagem profunda e de inteligência artificial. Interessa-nos, portanto, conhecer algumas das características de uma ruptura epistemológica que desponta na interface de questões entre a tecnologia, a comunicação e a mídia. Os resultados parciais sugerem que o aspecto educacional deve ser o elemento constitutivo da abordagem informativa das mídias sociais.

Palavras-chave


desinformação; mídia social; aspecto educacional; solução computacional.

Texto completo:

PDF

Referências


ALPAYDIN, E. Introduction to machine learning. 4. ed. Cambridge, Massachusetts: The MIT Press, 2020.

BUNTAIN, C.; GOLBECK, J. Automatically identifying fake news in popular Twitter threads. IEEE — International Conference on Smart Cloud. Nova York, NY, EUA: [s.n.]. 3-5 nov. 2017. p. 208-215.

FORGAS, J.; BAUMEISTER, R. The social psychology of gullibility: fake news, conspiracy theories, and irrational beliefs. Nova York: Routledge, 2019.

GRANIK, M.; MESYURA, V. Fake news detection using naive bayes classifier. IEEE — First Conference on Electrical and Computer Engineering. Kiev, Ucrânia: [s.n.]. 2017. p. 900-903.

GUESS, A.; NAGLER, J.; TUCKER, J. Less than you think: prevalence and predictors of fake news dissemination on Facebook. Science Advances, Washington, D.C., EUA, v. 5, n. 1, p. 1-8, 09 jan. 2019.

HARARI, Y. N. Sapiens: uma breve história da humanidade. Tradução de Janaína Marcoantonio. Porto Alegre: L&PM Editores, 2018.

HARRISON, M. A.; JOUBERT, A. French language policies and the revitalisation of regional languages in the 21st century. 1. ed. Houndmills: Palgrave Macmillan, 2019.

HAZELWOOD, K. et al. Applied machine learning at Facebook: a datacenter infrastructure perspective. IEEE — International Symposium on High Performance Computer Architecture. Vienna, Austria: : [s.n.]. 24-28 fev. 2018. p. 620-629.

JAIN, A.; KASBE, A. Fake news detection. IEEE — international Students' Conference on Electrical, Electronics and Computer Sciences. Bhopal, Índia: [s.n.]. 24-25 fev. 2018. p. 1-5.

LINDÉN, C.; TUULONEN, H. News automation: the rewards, risks and realities of 'machine journalism'. World Association of Newspapers and news Publishers. Frankfurt, Alemanha, p. 1-56. 2020.

MANJOO, F. True enough: learning to live in a post-fact society. Hoboken, Nova Jersey: Wiley, 2008.

MARCHI, R. With Facebook, blogs, and fake news, teens reject journalistic “objectivity”. Journal of Communication Inquiry, Iowa, v. 36, n. 3, p. 1-17, 3 out. 2012.

NAFTULIN, D. H.; WARE, J. E.; DONNELLY, F. A. The doctor Fox lecture: a paradigm of educational seduction. Journal of Medical Education, Tehran, v. 48, n. 7, p. 630-635, jul. 1973.

O'REILLY, T. What is web 2.0: design patterns and business models for the next generation of software. Communications & Strategies, Sebastopol, Califórnia, v. 1, n. 65, p. 17-37, mar. 2007.

SÁ MARTINO, L. M. Teoria das mídias digitais: linguagens, ambientes e redes. 2. ed. Petrópolis, RJ.: Editora Vozes, 2014.

SUMPTER, D. Outnumbered: from Facebook and Google to fake news and filter-bubbles. 1. ed. Londres, UK.: Bloomsbury Sigma, 2018.

VALLONE, R. P.; ROSS, L.; LEPPER, M. R. The hostile media phenomenon: biased perception and perceptions of media bias in coverage of the Beirut massacre. Journal of Personality and Social Psychology, Filadélfia , v. 49, n. 3, p. 577-585, abr. 1985.

WARDLE, Claire. Fake news. It’s complicated. First Draft News, v. 16, 2017. Disponível em: https://firstdraftnews.org/fake-news-complicated/. Acesso em: 18/06/2020.

WOLTON, D. Penser la communication. Paris: Flammarion, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/pan.v10i2.8341

Rodapé - Panorama
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Não Comercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0)


PANORAMA | Comunicação Social | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-1087 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B2