AS PERFORMANCES CULTURAIS E O ARTESANATO COMO RESISTÊNCIA: UMA REVERBERAÇÃO MIDIÁTICA

Gismair Martins Teixeira Martins Teixeira, MARIA DO SOCORRO PEREIRA LIMA

Resumo


As performances culturais emergiram há pouco tempo como uma nova área do saber. A atividade artesanal ainda persiste enquanto expressão em diferentes culturas, apesar dos processos industriais de produção que o sucederam. Articulamos neste estudo o conceito de performances culturais e sua incidência sobre o etos artesanal como resistência etnográfica, oportunamente difundida em veículo midiático da imprensa goiana.

Palavras-chave


performances culturais – artesanato – mídia – literatura

Texto completo:

PDF

Referências


ARANTES, Antônio A. O patrimônio imaterial e a sustentabilidade de sua salvaguarda. [s.l.]: Cidade Editora, 2004.

AUERBACH, Erich. Mimesis: a representação da realidade na literatura ocidental. São Paulo: Editora Perspectiva, 2002.

BOSI, Alfredo. Plural, mas não caótico. In: BOSI, Alfredo (Org.) Cultura brasileira temas e situações. São Paulo: Ed. Ática S.A, 1987.

BRASIL (País). Universidade Federal de Goiás. Projeto girau de saberes. Disponível em: Acesso em 28 jun. 2019.

BRASIL (País). Ministério da Educação e Cultura. Uma história do povo Kalunga. 2001.

CAMARGO, Robson Corrêa e SCHIFINO, Rejane. Primeiras viagens, algumas estações. 2015. No prelo.

CANCLINI, Nestor García. Culturas híbridas - estratégias para entrar e sair da modernidade. Tradução de Ana Regina Lessa e Heloísa Pezza Cintrão. São Paulo: EDUSP, 2008.

COMUNIDADE KALUNGA. Disponível em:

Acesso em 28 jun. 2019.

COSTA, Vilmar Souza. A Luta pelo território: histórias e memórias do povo Kalunga. 2013. 75 f. Monografia (Licenciatura em Educação do Campo) – Habilitação: Ciências da Natureza e Matemática. Universidade de Brasília, Brasília-DF, 2013. Disponível em:

Acesso em: 27 jun. 2019.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Tradução de The Interpretation of cultures. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

GOIÁS (Estado). Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social de Goiás. Disponível em: . Acesso em 27 jun. 2019.

HOMERO. Odisseia. Tradução de Manoel Odorico Mendes. e-BookBrasil, 2009.

LANGDON, Esther Jean. Performance e sua diversidade como paradigma analítico: A contribuição da abordagem de Bauman e Briggs. In: Antropologia em primeira mão. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, n.1. 2006. Florianópolis, UFSC. Disponível em:

https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/download/18229/17094. Acesso em: 29/04/2006.

LIMA, Maria do Socorro Pereira. Arpilleras: o bordado como performance cultural chilena, em favor do drama social. 2018. 134 p. Dissertação (Mestrado em Performances Culturais) UFG, Goiânia.

NEPOMUCENO, Eric. A memória de todos nós. Rio de Janeiro: Record, 2015.

TEIXEIRA, Gismair Martins; LIMA, Maria do Socorro Pereira. As arpilleras e o etos de Penélope. Diário da Manhã, 13 jan. 2019, Caderno Opinião Pública, p. 5.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/pan.v9i1.7457

Rodapé - Panorama
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


PANORAMA | Comunicação Social | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-1087 | Qualis B4

Visitantes - (04/09/2017 - 21/10/2019)
País Usuários
Brasil 6.269
França 264
Estados Unidos 225
Portugal 141
Angola 40
Itália 29
Alemanha 20
México 16
Moçambique 15

Fonte: Google Analytics.