COMUNICAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E DEMOCRACIA: RELAÇÕES E REFLEXÕES NECESSÁRIAS

Jacks de Mello Andrade Junior

Resumo


Entender os fatores envolvidos no processo de desenvolvimento de uma sociedade é essencial para haver qualquer contribuição que o favoreça. Porém, essa não é uma tarefa fácil. Pretendemos, neste artigo, provocar reflexões acerca desses fatores e apresentar as possíveis relações existentes entre Comunicação, Desenvolvimento e Democracia, buscando entender como a comunicação pode influenciar o processo de desenvolvimento em uma sociedade democrática. As informações aqui apresentadas foram obtidas através de pesquisa do tipo bibliográfica, a partir de autores clássicos e autores contemporâneos, com intuito de proporcionar um raciocínio dialógico entre esses estudos. Pretendemos fomentar o pensamento acadêmico para que se volte a essa inter-relação Comunicação/Desenvolvimento no intuito de estimular novos estudos que possibilitem maior entendimento e novas possibilidades de contribuição social a partir das conclusões que venham a ser encontradas. Acreditamos, conforme Espírito-Santo, Oliveira e Ribeiro (2008), que o homem não pode ser visto somente como objeto ao analisarmos o desenvolvimento, mas como ator participativo desse processo dinâmico que envolve diversas relações sociais. Nesse sentido, concordamos com Sen (2000) ao entender que só é possível haver desenvolvimento se forem garantidas as liberdades individuais básicas a cada membro de uma sociedade. E que enquanto a preocupação estiver centrada na produção de riquezas e não na sua distribuição, será impossível haver um desenvolvimento verdadeiro. E, nesse cenário de relações sociais, direitos e liberdades, não podemos negar a estreita relação que existe entre a Comunicação e o Desenvolvimento, reconhecendo sua influência no comportamento das pessoas e na formação da opinião pública (ARAÚJO; ROCHA, 2015). Essa influência pode ser usada a favor ou contra a liberdade da população. E vemos no Jornalismo o canal para garantir que todos tenham acesso ao desenvolvimento, com qualidade de vida, direitos, liberdade e bem-estar. Porém, identificamos ações que podem ser vistas como esforços no sentido de desvalorizar o jornalismo no Brasil. Não podemos inferir que seja intencional, que haja um objetivo por parte do governo, ou de determinado grupo, de enfraquecer as relações sociais e o acesso à informação por parte da população. Mas podemos recomendar atenção e cautela para que isso não venha a acontecer. Vemos na Educação um caminho eficaz no sentido de proporcionar aos profissionais de jornalismo atuais um reforço ou um despertar de consciência sobre a importância e necessidade de sua função social para favorecer o desenvolvimento.

Palavras-chave


Comunicação; Desenvolvimento; Democracia; Educação

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1985.

ANDRADE JR., J. M. Educomunicação: refletindo o perfil do educomunicador em Minas Gerais. 42 f. Monografia (graduação) - Bacharelado em Comunicação Social, Universidade Federal de Viçosa, 2004.

ARAÚJO, V. T.; ROCHA, L. V. “Jornalismo e Desenvolvimento: Uma breve reflexão teórica”. In: CANÇADO, A.; PINHEIRO, L.; RODRIGUES, W. (orgs.). Desenvolvimento Regional: Uma discussão interdisciplinar. Palmas, TO: Universidade Federal do Tocantins / EDUFT, 2015.

CARLSSON, Ulla; FEILITZEN, Cecilia Von (orgs.). A criança e a mídia: imagem, educação, participação. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2002.

ESPÍRITO-SANTO, P.S. M. F.; OLIVEIRA, P. T.; RIBEIRO, D. F. “O conceito de desenvolvimento social sob a ótica do pensamento complexo”. In: Anais do 4º Congresso Brasileiro de Sistemas – Centro Universitário de Franca Uni-FACEF – 29 e 30 de outubro de 2008. Disponível em: . Acesso em: out. 2016.

FENAJ, Federação Nacional dos Jornalistas. Código de ética dos jornalistas brasileiros. Vitória – ES, 2007. Disponível em: Acesso em: out. 2016.

JUSTIÇA FEDERAL, Tribunal Regional Federal da 3ª Região. JF sentencia ação civil pública dispensando diploma para exercício da profissão de jornalista. Publicado em 10 de janeiro de 2003. Disponível em: Acesso em: out. 2016.

LAGE, Nilson. Estrutura da Notícia. São Paulo: Ática, 2002.

LAGE, Nilson. Linguagem jornalística. 8. ed. São Paulo: Ática, 2007.

MATOS, Olgária C. F. A escola de Frankfurt: Luzes e sombras do Iluminismo. 1. ed. São Paulo: Moderna, 1993.

PEREIRA JUNIOR, Luiz Costa. A apuração da notícia: métodos de investigação na imprensa. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. S. Paulo: Cia. das Letras, 2000.

SOUZA, Nali de J. Desenvolvimento econômico. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

WOLF, M. Teorias da Comunicação. Lisboa: Editorial Presença, 6. ed., 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/pan.v9i1.7401

Rodapé - Panorama
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


PANORAMA | Comunicação Social | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-1087 | Qualis B4

Visitantes - (04/09/2017 - 21/10/2019)
País Usuários
Brasil 6.269
França 264
Estados Unidos 225
Portugal 141
Angola 40
Itália 29
Alemanha 20
México 16
Moçambique 15

Fonte: Google Analytics.