PROGRAMAS DE INTEGRIDADE E A COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL EM ESTATAIS: UMA VISÃO DE GESTORES DAS ÁREAS DE COMUNICAÇÃO E COMPLIANCE

Marina Soares Sabioni Martins, Robson Dias, Victor Márcio Laus Reis Gomes, João José de Azevedo Curvello

Resumo


Artigo discute a importância da área de comunicação na implantação de Programas de Integridade/Compliance em estatais brasileiras. Relatórios públicos de quatro estatais (Correios, Banco do Nordeste, Eletronorte e Furnas), produzidos pelo Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União (CGU), em 2015, foram descritos quanto à comunicação. Uma pesquisa qualitativa, descritiva e exploratória, que utilizou como técnica de pesquisa uma entrevista semiestruturada, foi realizada em uma dessas estatais investigadas, aqui chamada de empresa Alfa. Os resultados preliminares são apresentados nesse artigo e mostram as diferenças presentes nas opiniões dos gestores das áreas de Comunicação Interna e Departamento Compliance.

Palavras-chave


Comunicação Organizacional; Corrupção; Estatais; Programas de Integridade; Compliance

Texto completo:

PDF

Referências


BALDISSERA, Rudimar. Comunicação organizacional: uma reflexão possível a partir do paradigma da complexidade. In: OLIVEIRA, Ivone de L.; SOARES, Ana Tereza N. Interfaces e tendências da comunicação no contexto das organizações. São Caetano do Sul, SP: Difusão, 2008.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

Brasil. Tribunal de Contas da União. Referencial de combate a fraude e corrupção: aplicável a órgãos e entidades da Administração Pública/ Tribunal de Contas da União. Brasília: TCU, Coordenação Geral de Controle Externo dos Serviços Essenciais ao Estado e das Regiões Sul e Centro-Oeste (Coestado), Secretaria de Métodos e Suporte ao Contrle Externo (SEMEC), 2017. Disponível em < http://portal.tcu.gov.br/lumis/portal/file/fileDownload.jsp?fileId=8A8182A258B033650 158BAEFF3C3736C&inline=1> Acesso em 26/04/2017

CARRARO, André; FOCHEZATTO, Adelar; HILLBRECHT, Ronald O. O impacto da corrupção sobre o crescimento econômico do Brasil: aplicação de um modelo de equilíbrio geral para o período 1994-1998, 2000

CGU. Relatório da Avaliação de Integridade em Empresas Estatais nº 201503942. 2015. Disponível em < http://sistemas.cgu.gov.br/relats/uploads/7804_%20ECT%20-%20Avalia%C3%A7%C3%A3o%20de%20Integridade%20-%20Relat%C3%B3rio%20Final.pdf> Acesso em 05/12/2016

CGU. Relatório da Avaliação de Integridade em Empresas Estatais nº 201504023

. 2015. Disponível em < http://sistemas.cgu.gov.br/relats/uploads/7806_%20FURNAS_Relat%C3%B3rio%20Integridade_%2006-11-2015.pdf> Acesso em 05/12/2016

CGU. Relatório da Avaliação de Integridade em Empresas Estatais nº 201503925

. 2015. Disponível em < http://sistemas.cgu.gov.br/relats/uploads/7805_%20ELN%20-%20RELAT%C3%93RIO%20DE%20FINAL%20-%20AVALIA%C3%87%C3%83O%20DA%20INTEGRIDADE.pdf> Acesso em 06/12/2016

CGU. Relatório da Avaliação de Integridade em Empresas Estatais nº 201503928

. 2015. Disponível em < http://sistemas.cgu.gov.br/relats/uploads/7807_%20BNB%20-%20AVALIA%C3%87%C3%83O%20DA%20INTEGRIDADE.pdf> Acesso em 06/12/2016

DUARTE, Jorge (Org); BRANDÃO, Elizabeth. Comunicação Pública: Estado, mercado, sociedade e interesse público. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2012.

GIOVANINI, Wagner. Compliance: a excelência na prática. São Paulo, 2014.

HABERMAS, Jurgen. A crise de legitimação no capitalismo tardio. Rios de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2002.

KUNSCH, Margarida Maria Krohling; PARAVENTI, Ágatha. Comunicação organizacional estratégica: aportes conceituais e aplicados. São Paulo: Summus, 2016.

OLIVEIRAI, L,; M, A, PAULA; MARCHIORI, M. Um giro na concepção de estratégias comunicacionais: dimensão relacional. Encontro do Fórum Iberoamericano de Estratégias de Comunicação. Anais... República Dominicana, 2012. Disponível em http://www.uel.br/grupo- estudo/gecorp/images/fisec_2012_painel_texto_final_130712.pdf.

PARAVENTI, Ágatha. Comunicação para o desenvolvimento da ética organizacional: desafios, estratégias e resultados em quatro organizações brasileiras. São Paulo, 2013.

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. O que são empresas estatais? Disponível em: < http://www.planejamento.gov.br/servicos/faq/governanca-das-empresas-estatais/visao-geral-das- empresas-estatais/o-que-sao-empresas-estatais> Acessado em 05/12/2016

MORAIS, Wilma. Comunicação e corrupção. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2011.

PARAVENTI, Ágatha Eugênio Franco de Camargo. Comunicação para o desenvolvimento da cultura ética organizacional: desafios, estratégias e resultados em quatro organizações brasileiras / Ágatha Eugênio Franco de Camargo Paraventi – São Paulo: A. E. F. C. Paraventi, 2013.

SELLTIZ, Claire et allii. Métodos de pesquisa nas relações sociais. Tradução de Maria Martha Hubner de Oliveira. 2a edição. São Paulo: EPU, 1987.

SUÁREZ, Adriana Amado; ZUÑEDA, Carlos Castro. Comunicaciones públicas: el modelo de la comunicación integrada. Buenos Aires: Tema Grupo Editorial, 1999.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/pan.v9i2.7246

Rodapé - Panorama
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Não Comercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0)


PANORAMA | Comunicação Social | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-1087 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B2

Visitantes - (04/09/2017 - 03/13/2019)

Fonte: Google Analytics.