O EFEITO DA PROPAGANDA NA PREFERÊNCIA DE ESCOLHA DAS CRIANÇAS

ANDRÉ VASCONCELOS DA SILVA, LUCIANA MESQUITA DA SILVA

Resumo


O objetivo do presente estudo foi investigar o efeito de estímulo discriminativo na escolha e preferência de crianças por bebidas. Para tanto foi realizado um experimento com 16 crianças de ambos os sexos, com idade entre 10 e 12 anos, com a utilização de um jogo de tabuleiro e apresentação de propagandas de bebidas: suco, refrigerante e uma propaganda de brinquedo. Os participantes foram divididos em quatro grupos, para cada grupo foi apresentado uma das propagandas antes do início do jogo, quando os mesmos teriam que fazer a escolha entre suco ou refrigerante durante 20 tentativas em cada sessão, sendo que foram realizadas duas sessões. Os resultados demonstraram que as propagandas não exerceram influência nas escolhas dos participantes, pois independente da propaganda exibida, as crianças demonstraram preferência pelo suco em detrimento ao refrigerante.

Palavras-chave


comportamento do consumidor; preferência de escolha; escolha alimentar de crianças; análise do comportamento

Texto completo:

PDF

Referências


Ainslie G. Impulse control in pigeons. Journal of the Experimental Analysis of Behavior, 21, 485-489,1974.

Ainslie G., & Herrnstein, R. J. Preference reversal and delayed reinforcement. Animal Learning e Behavior 9, 476-482, 1981.

Baum, W. M. Compreender o Behaviorismo: comportamento, cultura e evolução. Trad. Maria Tereza Araújo Silva. 2. ed. – Porto Alegre: Artmed, 2006.

Buijzen, M., Schuurman, J., & Bomhof, E. Associations between children’s television advertising exposure and their food consumption patterns: a household diary–survey study. Appetit, Elsevier. 231-239, 2008.

Crescitelli, E. Crise de Credibilidade da Propaganda: Considerações Sobre Seu Impacto na Eficácia da Mensagem. Revista da faculdade de Comunicação – FAAP n,12 1º semestre, p. 51-59, 2004.

Deluty, M. Z. Self-control and impulsiveness involving short-term and long-term punishing events. Quantification of steady-state operant behavior (p. 127-138). Amsterdam: Elsevier/north Holland Biomedical Press, 1981.

Foxall, G. R., James, V. K., Oliveira-Castro, J. M., & Ribier, S. Product substitutability and the matching law. The Psychological Record.v. 60, p. 165/216, 2010a.

Foxall, G. R., & Yani-De-Soriano, M. Influence of reinforcement contingencies and cognitive styles on affective responses: an examination of rolls’ theory of emotion in the context of consumer choice. Journal of Applied Social Psychology, V. 41,P. 2508/2537, 2011.

Foxall, G.R. Consumer behavior analysis and the marketing firm: bilateral contingency in the context of environmental concern. Journal of Organizational Behavior Management, v. 35: 1-2, p. 44/69, jun, 2015.

Green, L., & Rachlin, H. Commitment using punishment. Journal of the Experimental Analysis of Behavior, 65, 593-601, 1996.

Hanna, E. S., & Ribeiro, M. R. Autocontrole: um caso especial de comportamento de escolha. Análise do Comportamento: Pesquisa Teoria e Aplicação. Porto Alegre: Artmed, 2005.

Harrison, K. Is “fat free” good for me? a panel study of television viewing and children’s nutritional knowledge and reasoning. Health Commun, v. 17, n. 2, p. 117¬ 132, 2005.

Herrnstein, R. J. On the law of effect. Journal of the Experimental Analysis of Behavior, 13, 243-266, 1970.

Hunziker, M. H. L., & Moreno, R. Análise da noção de variabilidade comportamental. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 16, 135-143, 2000.

Melo, L. G. N. S., & Veiga-Neto, A. R. Fatores que influenciam crianças em seu comportamento de compra de alimentos. EMA, ANPAD, Curitiba/PR, mai, 2012.

Mendes, M. E. P. A criança brasileira como um fenômeno de consumo: perspectivas no mercado de iogurtes a partir da análise de grupos motivacionais, 1998.

Oliveira-Castro, J. M., & Foxall, G. R. Análise do comportamento do consumidor. Porto Alegre: Artmed, 2005.

Pohl, R. H. B. F., Oliveira-Castro, J. M., Bertoldi, L., & Lourenzo, A. L. Efeitos do nível de benefício utilitário sobre a duração do comportamento de procura por produtos. rPOT, vol 6; n. 1: 233-264. jan-jun, 2006.

Porto, R. B., & Oliveira-Castro, J. M. Preditores da correspondência intenção-compra: experimento natural com reforço das marcas. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 29, n. 1, p. 61/70, jan/mar, 2013.

Rachlin, H., & Green, L. Commitment, choice, and self-control. Journal of the Experimental Analysis of Behavior, 17, 15-22, 1972.

Siegel, E., & Rachlin, H. Soft commitment: self-control achieved by response persistence. Journal of the Experimental Analysis of Behavior, 64, 117-128, 1995.

Todorov, J. C. Análise experimental do comportamento de escolha: algumas considerações sobre método em psicologia. Ciência e Cultura, 23, 585-594, 1971.

Todorov, J. C., & Hanna, E. S. Quantificação de escolhas e preferências. Análise do Comportamento: Pesquisa Teoria e Aplicação. Porto Alegre: Artmed, 2005.

Ueda, M. H., Porto, R, B., & Vasconcelos, L. A. Publicidade de alimentos e escolhas alimentares de crianças. Psicologia Teoria e Pesquisa, vol 30; 53-61, jan-mar, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/pan.v9i2.7226

Rodapé - Panorama
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Não Comercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0)


PANORAMA | Comunicação Social | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-1087 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B2

Visitantes - (04/09/2017 - 03/13/2019)

Fonte: Google Analytics.