AS TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM: O MERCADO MUNICIPAL DA CIDADE DE GOIÁS

Marcelo Iury Oliveira, Cristiane Loriza Dantas, Fernanda Fonseca Cruvinel de Oliveira

Resumo


Este artigo apresenta algumas reflexões competentes às transformações paisagísticas ocorridas no Mercado Municipal da Cidade de Goiás ao longo dos séculos XIX e XX. Assim, além dos contextos históricos conferidos à sua implantação no plano urbanístico, destacam-se as análises que se concentraram sobre os registros arqueológicos e estratigráficos, documentos textuais, iconografias e informações orais. Por meio deste conjunto de fontes, e a partir de inferências teórico-metodológicas interdisciplinares, especialmente no plano da arqueologia, geoarqueologia, antropologia e história, pôde-se compreender como as transformações ocorridas no Mercado Municipal estiveram associadas às dinâmicas do Rio Vermelho, bem como às ações transcorridas pelos vilaboenses. Entremeio a esta articulação, que contribuíram para a formação da paisagem do lugar social-mercadológico, essas ações estiveram concatenadas à formação do registro arqueológico, ou seja, aos testemunhos materiais que representam as mudanças no decorrer do tempo histórico-social, e, consequentemente, às configurações dos depósitos sedimentares que foram arquitetados para elevação do piso de ocupação, como se observa a partir dos dados obtidos e discorridos neste trabalho.

Palavras-chave


Arqueologia Histórica; Mercado; Paisagem; Patrimônio.

Texto completo:

PDF

Referências


ANGELUCCI, D. A partir da terra: a contribuição da geoarqueologia. In: MATEUS, J. E.; MORENO-GARCÍA, M. (orgs.). Paleoecologia humana e arqueociências: um programa multidisciplinar para a arqueologia sob a tutela da cultura. Lisboa, 2003.

ARAÚJO, A. G. M. Teoria e método em arqueologia regional: um estudo de caso no Alto Paranapanema. São Paulo, 2001.

ASSUNÇÃO FILHO, B. M.; RIBEIRO, S. N. Ações Públicas Preventivas a Enchentes nas Margens Urbanas do Rio Vermelho – Cidade de Goiás. Universidade do Estado de Goiás, 2006.

BERTRAN, P.; GALVÃO JÚNIOR, J. L. Evolução Urbana da Cidade de Goiás no Período Colonial. Arquimemória II. Belo Horizonte, 1987.

BOSI, E. Memória e Sociedade: lembranças de velhos. 3. ed. São Paulo: Companhia das. Letras, 1994.

CHEMECOV, Y. F. Tecnogenics Deposits. Inqua Congress, 11, Moscow. Abstracts, v. 3, 1983.

COELHO, G. N. Guia dos bens imóveis tombados em Goiás. Goiânia: Instituto dos Arquitetos do Brasil, 1999.

COELHO, G. N. O espaço urbano em Vila Boa: entre o erudito e o vernacular. Goiânia: Ed. da UCG, 2001.

CRESSEY, P. J. The City as a Site: the Alexandria model for urban archaeology. The Conference on Historic Site Archaeology Papers. Columbia University of South Carolina, 1978.

CRIADO BOADO, F. Construcción social del espacio y reconstrucción arqueológica del paisaje. Boletín de Antropología Americana, v. 24, p. 7-29, 1991.

DANTAS, C. L.; OLIVEIRA, F. F. C. Projeto de Monitoramento e Salvamento Arqueológico da Restauração e Requalificação do Mercado Municipal da Cidade De Goiás. Goiânia, 2014.

DANTAS, C. L.; OLIVEIRA, F. F. C. Relatório Final do Projeto de Monitoramento e Salvamento Arqueológico da Restauração e Requalificação do Mercado Municipal da Cidade De Goiás. Goiânia, 2018.

FAGUNDES, M.; PIUZANA, D. Estudo teórico sobre o uso conceito de paisagem em pesquisas arqueológicas. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, v. 8, n. 1, 2010.

FERRO, M. O livro negro do colonialismo. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.

LEITÃO, Tania Maria de Maio. Abastecimento Alimentar em Goiás na Primeira Metade do Século XIX. Dissertação (Mestrado do Programa de Pós-Graduação em História da Faculdade de História) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2012.

LEVI-STRAUSS, C. Saudades do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

MAGALHÃES, A. C. Encantos do oeste. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1945.

MARTINS, F. M. A arquitetura vernacular de Goiás: análise de um patrimônio cultural. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – UnB, Brasília, 2004.

NORA, P. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Revista do Programa de Estudos em Pós-Graduados em História e do departamento de História da PUC-SP, n.10, p 7-28, 1993.

OLIVEIRA, M. I. Das margens ao centro histórico: patrimônios e turismo na perspectiva dos moradores das áreas periféricas na Cidade de Goiás – Goiás. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social) – Universidade Federal de Goiás, 2014.

OLIVEIRA, M. I. Arqueologia da Paisagem no Sítio Histórico Mercado Municipal da Cidade de Goiás. Monografia (Bacharelado em Arqueologia) – PUC Goiás, Goiânia, 2015.

ORSER JR, C. E. Introdução à arqueologia histórica. Belo Horizonte: Oficina de Livros, 1992.

GOIÁS. Presidente da Província. Relatorio apresentado á Assembléa Legislativa Provincial de Goyaz na sessão ordinaria de 1864 pelo exm. vice-presidente da provincia, Dr. João Bonifacio Gomes de Siqueira, 1864 (volume: 1864).

GOIÁS. Relatorio que o Exm. Sr. Dr. Ernesto Augusto Pereira, Presidente da Provincia de Goyaz, leu na abertura da Assembléa Legislativa da mesma Provincia a 1.º de Junho de 1869, 1869 (volume: 1869).

RICCOMINI, C.; GIANNINI, P. C. F.; MANCINI, F. Rios e Processos Aluviais. In: TEXEIRA, W.; TOLEDO, M. C. M.; FAIRCHILD, T. R.; TAIOLI, F. (orgs). Decifrando a Terra. São Paulo, 2000.

RUBIN, J. C. R.; SILVA, R. T.; GARCIA, G. V. A Geoarqueologia no Projeto Pelourinho. In: NAJJAR, R. (org.). Arqueologia no pelourinho. Brasília: IPHAN, 2010. p. 104-115.

SANJUÁN, L. Introducción al resgistro arqueológico. Barcelona: Ariel, 2005.

SCHIFFER, M. B. Archaeological Context and Systemic Context. American Antiquity, v. 37, p. 156-165, 1972.

SCHIFFER, M. B. Toward The Identification of Formation Processes. American Antiquity, v. 48, n. 4, p. 5-29, 1983.

SCHIFFER, M. B. Formation Processes of The Archaeological Record. Albuquerque: University of New Mexico Press, 1991.

SILVA, J. R.; RUFINO JUNIOR, L.; FERREIRA, M. E.; VIEIRA, P. A. Análise Morfométrica do Perímetro Urbano de Goiás / Rio Vermelho com dados por VANT’s. In: XVII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO – SBSR. João Pessoa-PB, Anais... 2015.

STEIN, J. K. Deposits for Archaeologists. Advances in Archaeological Method and Theory, v. 11, p. 337-395, 1987.

TAMASO, I. M. Em Nome do Patrimônio: representações e apropriações da cultura na cidade de Goiás. Tese (Doutorado em Antropologia) – UnB, Brasília/DF, 2007.

TER-STEPANIAN, G. Beginning of The Tecnogene. Bulletin of International Association of Engineering Geology, n. 38. p. 133-142, 1988.

TILLEY, C. A phenomenology of landscape: places, paths and monuments. Oxford/ Providence: Berg Publishers, 1994.

TOCCHETTO, F. B.; THIESEN, B. A memória fora de nós: a preservação do patrimônio arqueológico em Áreas urbanas. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 33, p. 174-199, 2007.

VIEIRA, P. A.; FERREIRA, N. C.; FERREIRA, L. G. Análise da Vulnerabilidade Natural da Paisagem em Relação aos Diferentes Níveis de Ocupação da Bacia Hidrográfica do Rio Vermelho, Estado De Goiás. Sociedade & Natureza, Uberlândia, v. 26, n. 2, p. 385-400, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/mos.v12i0.6805

Rodapé - Mosaico
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND

MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis B3

Visitantes - (01/08/2017 - 10/06/2019)

Fonte: Google Analytics.