Reterritorialização e Cultura Popular: as Representações Ritualísticas no Auto do Boi do Rosário em Pirenópolis (GO)

Weberson Ferreira Dias, Sara Pereira de Deus, Geovanna de Lourdes Alves Ramos

Resumo


O Brasil é um país multicultural repleto de diversidades e expressões culturais que se miscigenam e vão dando origens a outras, todas com seus simbolismos e significados. O Bumba meu boi nasce no Brasil na Região Nordeste, às margens do Rio São Francisco, e se dissemina por todo o território nacional. Por assim ser, constata-se que se trata de uma manifestação cultural reterritorializada. Isso acontece em Goiás, mais especificamente em Pirenópolis (GO), com a festa do Boi do Rosário, que foi implantada por um grupo de maranhenses, em agosto de 2010, e envolve crianças e idosos. O ritual é marcado por três momentos-chave durante o ano, no qual o grupo o denomina de “ciclo anual da festa do Boi”: o Nascimento, o Batizado e o Sacrifício. O foco deste artigo é a investigação sobre o ritual que envolve o sacrifício do Boi e as formas de transformação social que merecem ser analisadas e interpretadas.

Reterritorialization and Popular Culture: the Ritualistic Representations in the Auto of the Rosary Ox in Pirenópolis (Go)

Brazil is a multicultural country full of diversities and cultural expressions that mixes and gives origin to others, all with their symbolisms and meanings. Bumba meu boi is born in Brazil in the Northeast Region, on the banks of the São Francisco River, and spreads throughout the national territory. So to be, it is verified that this is a reterritorialized cultural manifestation. This happens in Goiás, more specifically in Pirenópolis (GO), with the celebration of the Ox of the Rosary, which was implanted by a group of Maranhão in August 2010, and involves children and the elderly. The ritual is marked by three key moments during the year, in which the group calls it the "annual cycle of the Ox festival": Birth, Baptism and Sacrifice. The focus of this article is the investigation on the ritual that involves the sacrifice of the Ox and the forms of social transformation that merit to be analyzed and interpreted.

Palavras-chave


Cultura popular. Representações. Ressignificações. Patrimônio cultural. Popular culture. Representations. Resignations. Cultural heritage.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Miriam de Lourdes. A cidade de Pirenópolis e o impacto do tombamento. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

ARANTES, Antônio Augusto. O que é cultura popular. Coleção Primeiros Passos.

São Paulo: Ed. Brasiliense, 1988.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. De tão longe venho vindo: símbolos, gestos e rituais do catolicismo popular em Goiás. Goiânia: Editora da UFG, 2004.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. 19ª Ed. São Paulo: Brasiliense, 1989.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em . Acesso em: 11 mar. 2018.

Brasil Memória em Rede: um novo jeito de conhecer o país. São Paulo: Museu da Pessoa; Itajaí: Editora Casa Aberta, 2010.

CANCLINI, Nestor García. Culturas Híbridas. 4ª Ed. São Paulo: EDUSP, 2011.

CARVALHO, Noel. Aprendendo com o Bumba-meu-boi: contribuições do Bumba-meu-boi para a educação musical. 2013a. 45 f. Monografia (Graduação em Licenciatura em Música) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

CARVALHO, Noel. Boi do rosário de Pirenópolis. 2013b. Vídeo (13min29s). Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2018.

CARVALHO, Noel. Entrevista concedida a professores e alunos do Mestrado Territórios e Expressões Culturais no Cerrado da UEG. Pirenópolis, 04 nov. 2017.

CASTANHEIRA, Karla Alves de Araújo França. Guaimbê: a construção de uma comunidade de participação por meio de práticas de nomeação. Monografia de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Letras, 2013.

COULANGES, Fustel de. A cidade Antiga. São Paulo: Hemus, 1976.

CROATTO, José Severino. As linguagens da experiência religiosa: uma introdução à fenomenologia da religião. São Paulo: Paulinas, 2001.

DAMATTA, Roberto. O que faz o brasil, Brasil. Rio de Janeiro: Rocco, 1984.

DURKHEIM, Émile. As formas elementares da vida religiosa. Paris: PUF, 1968.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

GUAIMBÊ. Página inicial. s/d. Disponivel em: < http://guaimbe.org.br/>. Acesso em: 09 mar. 2018.

HAESBAERT, Rogério. Concepção do território para entender a desterritorialização. In: SANTOS, Milton; BECKER, Bertha K. (Orgs.). Território, territórios: ensaios sobre ordenamento do território. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HAESBAERT, Rogério. O Mito da Desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 7ª Ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

HALL, Stuart. Cultura e Representação. Tradução de William Oliveira e Daniel Miranda - Editorial: PUC-Rio: Apicuri. Rio de Janeiro, Brasil. Ano: 2016.

IPHAN. Bumba-meu-boi do Maranhão é o mais novo patrimônio cultural brasileiro.2011a. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2018.

IPHAN. Complexo Cultural do Bumba-meu-boi do Maranhão. Dossiê do registro como Patrimônio Cultural do Brasil / Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. São Luís: Iphan/MA, 2011b.

ORTIZ, Renato. Mundialização e cultura. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994.

PREFEITURA DE PIRENÓPOLIS. Calendário das Festas Tradicionais. 2018. Disponível em: . Acesso em: fev. 2018.

STEIL, Carlos Alberto. O sertão das Romarias: um estudo antropológico sobre o santuário de Bom Jesus da Lapa - Bahia. Petrópolis: Editora Vozes, 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/mos.v11i2.6325

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis B3

Flag Counter