A Congregação do Santíssimo Redentor em Goiás (1894-1925)

Andréia Márcia de Castro Galvão

Resumo


As mudanças legislativas do final do século XIX alteraram o status quo da Igreja Católica, levando-a a desenvolver novas estratégias de ação a fim de defender seu espaço junto à comunidade. Devido a séculos de padroado, a religiosidade brasileira tornara-se uma mescla de práticas medievais e mágicas com características portuguesas, africanas e indígenas. O combate a essas práticas foi intensificado com a implementação do ultramontanismo, que buscava centralizar e verticalizar o poder clerical, diminuir o poder das irmandades leigas, sacralizar os locais de culto, dentre outras. Partindo dessas premissas, esse artigo analisa a vinda de religiosos católicos europeus para Goiás, nomeadamente da Congregação do Santíssimo Redentor – redentoristas –, como parte importante do projeto ultramontano. Esses religiosos reforçaram o clero (então diminuto), contribuíram na propagação da fé com missões, giros paroquiais e desobrigas, criaram um jornal religioso e ainda ajudaram no controle da principal festa religiosa do estado.

The Congregation of the Holy Redeemer in Goiás (1894-1925)

The legislative changes of the late nineteenth century has altered the status quo of the Catholic Church, leading it to develop new strategies of action in order to defend its space with the community. Due to centuries of patronage, Brazilian religiosity had become a mixture of medieval and magical practices with Portuguese, African and indigenous characteristics. The fight against these practices was intensified with the implementation of ultramontanism, which sought to centralize and verticalize clerical power, to reduce the power of lay brotherhoods, to sacralize places of worship, among others. Based on these premises, this article analyzes the coming of European Catholic religious to Goiás, namely the Congregation of the Holy Redeemer – Redemptorists – as an important part of the ultramontane project. These religious strengthened the clergy (then scanty), contributed to the spread of the faith with missions, parochial circuit and disengagement, created a religious newspaper and also helped control the main religious celebration of the state.

Palavras-chave


Catholic Church; Ultramontanism; Congregation of the Holy Redeemer; Goiás; Patronage; greja Católica; Ultramontanismo; Congregação do Santíssimo Redentor; Goiás; Padroado

Texto completo:

PDF

Referências


ÂNUAS da Vice-Província de São Paulo, v. II, (1919-1931)

CORRESPONDÊNCIA da província Redentorista de São Paulo – COPRESP, v. I (1817-1896).

CORRESPONDÊNCIA da província Redentorista de São Paulo – COPRESP, v. X (1928-1930).

CÂMARA NETO, Isnard. A Ação Romanizadora e a Luta Pelo Cofre: D. Epaminondas, primeiro bispo de Taubaté (1909-1935). Tese de doutoramento – Universidade de São Paulo, 2006.

DEUS, Maria. “Normatização do Santuário do Divino Pai Eterno”. História Revista, Goiânia. v. 6 n. 2, pp. 161-178 – jul/dez, 2001. Disponível em:

. Acesso em: 10-12-2013.

DEUS, Maria & SILVA, Mônica. História das festas e religiosidades em Goiás. Goiânia: AGEPEL/UEG, 2002. (Coleção Histórias de Goiás).

GAETA, Maria. “A Cultura clerical e a folia popular”. Revista Brasileira de História, São Paulo. vol. 17 n. 34, 1997. Disponível em: . Acesso em: 10-09-2014.

GIUMBELLI, Emerson. “A Presença do Religioso no Espaço Público: modalidades no Brasil”. SciELO - Religião e Sociedade. v. 28 n.2, Rio de Janeiro, jan, 2008.. Disponível em:

. Acesso em: 11-09-2014.

GOMES FILHO, Robson. “Do Santuário de Trindade ao Jornal 'Santuário da Trindade': reflexões sobre as mudanças de posicionamento religioso dos primeiros Redentoristas alemães em Goiás”. Revista Horizonte, Belo Horizonte. v. 9 n. 23 – out/dez, 2011. Disponível em: . Acesso em: 01-08-2014.

GOMES FILHO, Robson. “O discurso redentorista acerca do 'progresso' e 'atraso' na imprensa escrita em Goiás (1922-1927)”. In: SEMINÁRIO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA HISTORIOGRAFIA – TEORIA DA HISTÓRIA E HISTÓRIA DA HISTORIOGRAFIA: DIÁLOGOS BRASIL-ALEMANHA. 7º, 2013, Mariana, Minas Gerais. (Anais) Ouro Preto: EDUFOP, 2013, pp. 1-11. Disponível em:

. Acesso em: 13-08-2014.

LORENA, Isac. Aqueles que nos precederam, falecidos da província de São Paulo. Edição PDF atualizada por Fl. Castro. Aparecida, São Paulo, 2004.

PORTAL REDENTORISTA: acesso dia 02-06-2014.

QUADROS, Eduardo. “Conversão com diversão? Ou como o catolicismo fez as pazes com o cinema durante a Primeira República em Goiás”. Revista História da UEG. v.2 n.1. pp.15-28. jan./jul. 2013. Disponível em:

. Acesso em: 15-12-2014.

REINATO, Eduardo. “Imaginário religioso nos ex-votos e nos vitrais da Basílica de Trindade – GO”. Fênix Revista de História e Estudos Culturais. v. 7. n. 3. ano VII. pp. 1-21. set/out/nov/dez. 2010. Disponível em:

. Acesso em: 15-03-2014.

SANTOS. Leila. Ultramontanismo e catolicismo popular em Goiás de 1865 a 1907 à luz da sociologia da religião. Tese (doutorado em sociologia). Universidade de Brasília - UnB. Brasília, 2006.

SANTOS, Miguel. N. Trindade de Goiás – Uma Cidade Santuário: conjunturas de um fenômeno religioso no centro-oeste brasileiro. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 1976.

SANTUARIO DA TRINDADE (Jornal). Constantino Xavier Maria. Campininhas das Flores (GO), ano 3, n. 65, p. 2. Goiás, 01/07/1924.

SANTUARIO DA TRINDADE (Jornal). Trinta annos. Campininhas das Flores (GO), ano 3, n. 88, p. 2. Goiás, 13/12/1924.

SANTUARIO DA TRINDADE (Jornal). Dados estatísticos. Campininhas das Flores (GO), ano 7, n. 274, p. 4. Goiás, 06/10/1928.

SILVA, Eduardo. Passagens: autobiografia de Dom Eduardo Silva, bispo de Goiás. Goiânia: Ed. Da UCG, 2007.

SILVA, Maria. Catolicismo e casamento civil em Goiás, 1860-1920. Goiânia: Ed. da UCG, 2009.

SILVA, Mônica. A Festa do Divino. Romanização, Patrimônio & Tradição em Pirenópolis (1890-1988). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2000. (CAP. II, pp. 68-139).

VAZ, Ronaldo. Da separação Igreja-Estado em Goiás à nova cristandade (1891-1955). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/mos.v11i1.6085

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis B3

Flag Counter