A Noção de Ideologia em Durkheim

Nildo Viana

Resumo


O presente artigo discute a noção de ideologia no pensamento de Durkheim. A partir de uma análise do discurso de Durkheim e seu uso do termo ideologia, busca-se reconstituir o significado desta noção. Uma análise rigorosa do uso do termo em As Regras do Método Sociológico e em outras obras deste autor, permite entender o significado implícito da noção de ideologia e assim explicitá-la. A noção de ideologia em Durkheim é explicada pelo contexto social, cultural e discursivo do autor, sendo que ela remete ao problema da história das ciências e à transição do pensamento pré-científico para o pensamento científico, sendo que toda ciência, no seu período de nascimento, possui uma fase ideológica.

The Notion of Ideology in Durkheim

This article discusses the notion of ideology in Durkheim’s thought. From an analysis of Durkheim’s discourse and his use of the term ideology, one seeks to reconstitute the meaning of this notion. A rigorous analysis of the use of the term in The Rules of Sociological Method and other works of this author, allows to understand the implicit meaning of the notion of ideology and thus to make it explicit. Durkheim’s notion of ideology is explained by the social, cultural and discursive context of the author, which refers to the problem of the history of science and the transition from pre-scientific thought to scientific thought, all science in its period of birth, has an ideological phase.

Palavras-chave


Ideology; Notion; Science; Speech; Speech Analysis; Ideologia; Noção; Ciência; Discurso; Análise do Discurso.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. (1989). Aparelhos ideológicos de Estado. 4ª edição, Rio de Janeiro: Graal.

BACON, Francis. (1979), Novum Organum ou Verdadeiras Indicações Acerca da Interpretação da Natureza. 2ª edição, São Paulo: Abril Cultural.

BADIOU, Alain. (1989), Sobre o Conceito de Modelo. Rio de Janeiro: Mandacaru.

BANCAL, Jean. (1984), Proudhon: Pluralismo e Autogestão. Fundamentos. Brasília: Novos Tempos.

BOURDIEU, Pierre. (1994), O Campo Científico. In: ORTIZ, R. (org.). Bourdieu. São Paulo: Ática.

BOURDIEU, Pierre; CHABOREDON, Jean-Claude; PASSERON, Jean-Claude. (1999), A Profissão do Sociólogo. Preliminares Epistemológicas. Petrópolis: Vozes.

BOUTHOUL, Gaston. (1959), História da Sociologia. 2ª edição, São Paulo: Difusão Europeia do Livro.

BRANDÃO, Helena N. (1997), Introdução à Análise do Discurso. 6a edição, Campinas: Unicamp.

BUNGE, Mario. (1985), Seudociência e Ideología. Madrid: Alianza Editorial.

CANGUILHEM, Georges. (1977), Ideologia e Racionalidade nas Ciências da Vida. Lisboa: Edições 70.

CHAUÍ, Marilena. (1992), O Que é Ideologia. 32ª Edição, São Paulo: Brasiliense.

COMTE, Augusto. (1976), Discurso Sobre o Espírito Positivo. Ordem e Progresso. Porto Alegre: Globo.

CUIN, Charles-Henry e GRESLE, François. (1994), História da Sociologia. Belo Horizonte: Ensaio.

CUVILLIER, Armand. (1992). Sociologia da Cultura. São Paulo: Martins Fontes.

DURKHEIM, Émile. (1970), Representações Individuais e Representações Coletivas. In: Sociologia e Filosofia. Rio de Janeiro: Forense.

DURKHEIM, Émile. (1974), As Regras do Método Sociológico. 6a edição, São Paulo: Nacional.

DURKHEIM, Émile. (1975a), A Sociologia na França no Século 19. In: DURKHEIM, Émile. A Ciência Social e a Acção. São Paulo: Difel.

DURKHEIM, Émile. (1975b), A Concepção Materialista da História. In: DURKHEIM, Émile. A Ciência Social e a Acção. São Paulo: Difel.

DURKHEIM, Émile. (1978), Educação e Sociologia. 11a edição, São Paulo: Melhoramentos.

DURKHEIM, Émile.. (1983), Lições de Sociologia. A Moral, O Direito e o Estado. São Paulo: T. A. Queiroz.

DURKHEIM, Émile. (1993), Definição e Origem do Socialismo. In: DURKHEIM, Émile e WEBER, Max. Socialismo. Rio de Janeiro: Relume-Dumará.

DURKHEIM, Émile. (1996), As Formas Elementares da Vida Religiosa. São Paulo: Martins Fontes.

DURKHEIM, Émile. (2004), Pragmatismo e Sociologia. Florianópolis: UFSC.

DURKHEIM, Émile. (2007), As Regras do Método Sociológico. São Paulo: Martins Fontes.

DURKHEIM, Émile. (2008), A Educação Moral. Petrópolis: Vozes.

DURKHEIM, Émile.. (2010), Educação e Sociologia. São Paulo: Hedra.

DURKHEIM, Émile. (2012), As Regras do Método Sociológico. 6a Reimp, São Paulo: Martim Claret.

DURKHEIM, Émile.(2008), Montesquieu e Rousseau: Pioneiros da Sociologia. São Paulo: Madras.

DUVIGNAUD, Jean. (1982), Durkheim. Lisboa: Edições 70.

EAGLETON, T. (1997). Ideologia: uma introdução. São Paulo: Boitempo.

GIANNOTTI, José Arthur. (1982), Exercícios de Filosofia. 4ª ed. Petrópolis: Vozes.

GRAMSCI, A. (1989), Concepção Dialética da História. 7ª edição, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

GREIMAS, A. J. (1976), Semiótica do Discurso Científico. Da Modalidade. São Paulo: Difel.

HOBSBAWN, Eric. (1988), A Era do Capital. Rio de Janeiro, Paz e Terra.

JACCARD, Pierre. (1977), Introdução às Ciências Sociais. Lisboa: Horizonte.

KORSCH, Karl. (1977), Marxismo e Filosofia. Porto: Afrontamento.

LABRIOLA, Antonio. (1979), La Concepción Materialista de la História. Madrid: Editorial 7.

LENK, Kurt. (1974), El Concepto de Ideologia. Buenos Aires: Amorrortu.

LÖWY, Michael. (1985), Ideologias e Ciência Social - Elementos Para Uma Análise Marxista. 7ª edição, São Paulo: Cortez.

LÖWY, Michael. . (1987), As Aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchausen. Marxismo e Positivismo na Sociologia do Conhecimento. Rio de Janeiro: Busca Vida.

LUNGARZO, Carlos. (1995), O Que é Ciência. 7ª edição, São Paulo: Brasiliense.

MANNHEIM, Karl. (1986), Ideologia e Utopia. 4a edição, Rio de Janeiro: Guanabara.

MARX, Karl e ENGELS, Friedrich. (1982), A Ideologia Alemã (Feuerbach). 3ª Edição, São Paulo: Ciências Humanas,.

MARX, Karl e ENGELS, Friedrich. (1988), Manifesto do Partido Comunista. Petrópolis, Vozes.

MARX, Karl (1986), O Dezoito Brumário e Cartas a Kugelman. 5ª Edição, Rio de Janeiro: Paz e Terra.

MASSELA, Alexandre. (2006), O Naturalismo Metodológico de Durkheim. Goiânia: UFG.

MASSELA, Alexandre.(2011), O Problema da Definição em Durkheim. In: OLIVEIRA, Márcio e WEISS, Raquel (orgs.). David Émile Durkheim: A Atualidade de um Clássico. Curitiba: UFPR.

MAUSS, Marcel. (1993), Introdução de Marcel Mauss à Primeira Edição Francesa. In: DURKHEIM, Emile e WEBER, Max. Socialismo. Rio de Janeiro: Relume-Dumará.

ORTIZ, R. (1989), Durkheim: arquiteto e herói fundador. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v.4, n.11:5-22, out.

RICOER, Paul. (1988), Interpretação e Ideologias. 3ª edição, Rio de Janeiro: Francisco Alves.

SCIACCA, Michele. (1962), História da Filosofia. Vol. 2. São Paulo: Mestre Jou.

TIMASHEFF, N. (1965), Teoria Sociológica. Rio de Janeiro: Zahar.

VIANA, Nildo. (2003), A Dialética Como Ideologia. Fragmentos de Cultura (Goiânia), Goiânia, v. 12, n. Especial: 95-115.

VIANA, Nildo.. (2009), Linguagem, Discurso e Poder – Ensaios sobre Linguagem e Sociedade. Pará de Minas: Virtualbooks.

VIANA, Nildo. (2011), Introdução à Sociologia. 2ª edição, Belo Horizonte: Autêntica.

ZIZEK, Slavoj (org.). (1999) Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/mos.v10i0.5707

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis B3

Flag Counter