Poéticas de resistência: a representação do Outro nas fotografias de Claudia Andujar e Miguel Rio Branco

Rafael Castanheira

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar algumas fotografias de Claudia Andujar e Miguel Rio Branco que, diferente de muitos de seus predecessores que atuaram na documentação de determinados grupos sociais no Brasil, buscaram romper com a representação do Outro segundo uma visão externa, estereotipada e unívoca. Ao documentarem grupos marcadamente oprimidos como índios, prostituas e moradores de ruas, eles produziram não apenas imagens libertas do olhar romântico predominante entre fotógrafos viajantes que percorreram o território brasileiro a partir da segunda metade do século XIX, mas, sobretudo, narrativas visuais que transcendem a função exclusivamente informativa e, por vezes, denuncista das fotografias dos dramas sociais do país realizadas em meados do século XX por fotojornalistas nacionais ou estrangeiros.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/mos.v9i1.4757

Rodapé - Mosaico
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND

MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (05/09/2017 - 12/08/2021)

Fonte: Google Analytics.