Diserções e Privilégios: a guerra do Sul da América

Christiane Figueiredo Pagano de Mello

Resumo


Resumo: este artigo se propõe a refletir sobre as resistências ao recrutamento militar no Brasil Colonial, ocorridas durante as guerras ao Sul da América, na segunda metade do século XVIII. O recrutamento era visto pela comunidade local como uma interferência externa, que desarticulava sua estrutura interna. O objetivo será o de analisar tais resistências como manifestações da estratégia corporativista, orientada no sentido de defender os interesses locais, diante das novas diretrizes de organização e de defesa militar.
Palavras-chave: Recrutamento. Deserção. Privilégios.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/mos.v7i2.4143

Rodapé - Mosaico
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND

MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis A3 (Avaliação Preliminar da CAPES/PERIÓDICOS - 2019)

Visitantes - (01/01/2006 - 01/08/2019)
País Usuários
Brasil 8.363
Estados Unidos 407
França 265
Portugal 130
Alemanha 61
Reino Unido 32
Espanha 26
México 24
Rússia 21
Total 9.575

Fonte: Google Analytics.