Estruturação da Memória Coletiva e Responsabilização por Crimes da ditadura Militar

Lila Maria Spadoni Lemes, Ludimila Machado Jorge

Resumo


Resumo: nesse artigo pretende-se demonstrar a influencia da estruturação da memória sobre a implicação pessoal em questões do presente. Mais especificamente nos referimos a influencia da estruturação da memória do período histórico conhecido como ?ditadura
militar sobre a implicação pessoal dos estudantes de direito na reconstrução e apuração dos crimes cometidos nesse período. Para isso utilizamos de um estudo quase experimental que demonstrou que os aspectos cognitivos da memória aumentam alguns componentes da implicação pessoal que são a identificação pessoal e a possibilidade
percebida de ação. No entanto, os aspectos afetivos apresentam um padrão confuso de influencia sobre a implicação pessoal. A análise dos resultados levanta questionamentos sobre a suposta imunidade brasileira as tentações totalitárias ou sobre o preparo das gerações atuais para defender a democracia.
Palavras-chave: Memória coletiva. Aspectos cognitivos. Ditadura militar.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/mos.v7i2.4121

Rodapé - Mosaico
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND

MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis A3 (Avaliação Preliminar da CAPES/PERIÓDICOS - 2019)

Visitantes - (01/01/2006 - 01/08/2019)
País Usuários
Brasil 8.363
Estados Unidos 407
França 265
Portugal 130
Alemanha 61
Reino Unido 32
Espanha 26
México 24
Rússia 21
Total 9.575

Fonte: Google Analytics.