A Formação do Território Goiano e a Política Indigenista do Século XVIII

Deusa Maria Rodrigues Boaventura

Resumo


Resumo: o presente trabalho discute a formação do território goiano setecentista de dois pontos de vista: o das formas de captura indígena, que permitiram os avanços iniciais em
direção ao território, e o da implantação da política indigenista nesta região, assinalando os conflitos entre nativos e colonos na ocupação do território. A posse do ouro e do próprio território levou a Coroa portuguesa, no início do século XVIII, a incentivar a instalação da missão de São Francisco de Xavier e a construção dos primeiros aldeamentos, uns
no norte e outros no sul, no caminho das minas. Os principais aldeamentos foram estabelecidos no governo de D. José e no de D. Maria I, impulsionados por um conjunto de intervenções orientadas pela gestão pombalina, que incluíam o povoamento de áreas
incultas, a expansão do comércio do Brasil, a expulsão dos jesuítas e a implantação de
diretórios e vigarias subjugadas ao Estado
Palavras-chave: Capitania. Colonização. Território.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/mos.v5i2.2504

Rodapé - Mosaico
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND

MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis A3 (Avaliação Preliminar da CAPES/PERIÓDICOS - 2019)

Visitantes - (01/01/2006 - 01/08/2019)
País Usuários
Brasil 8.363
Estados Unidos 407
França 265
Portugal 130
Alemanha 61
Reino Unido 32
Espanha 26
México 24
Rússia 21
Total 9.575

Fonte: Google Analytics.