Religião, Memória e Historiografia

João Miguel Teixeira de Godoy

Resumo


Resumo: a emergência da modernidade, e o processo de laicização do pensamento
ocidental, recolocou as dinâmicas imanentes como critérios explicativos dos processos
históricos. Entretanto, como a modernidade pode ser vista não simplesmente como uma
substituição ou alternância de pólos, do religioso para o laico, mas sim como processo
de dualização, de convivência problemática entre esses pólos, de complementaridade e conflito, cabe a pergunta sobre os mecanismos de continuidade e ingerências das concepções
salvíficas no processo de constituição do estatuto científico da historiografia moderna. O propósito do artigo é apresentar conclusões de pesquisa realizada sobre a produção memorialística elaborada em algumas cidades paulistas desde o final do século XIX. Discutir o modo como essa produção articula de maneira implícita elementos aparentemente contraditórios próprios da modernidade com a visão mítica e concepções providencialistas da história.
Palavras-chave: Providencialismo; historiografia; memória.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/mos.v5i2.2497

Rodapé - Mosaico
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND

MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (05/09/2017 - 25/06/2020)

Fonte: Google Analytics.