O Sertão Mineiro como Espaço Político (1831-1850)

Judy Bieber

Resumo


Um estudo de caso, a comarca do Rio São Francisco, mostra que os sertanejos participavam ativamente dos movimentos e debates políticos que foram desenvolvidos nos centros do poder. A evolução política da comarca parecia muito com os caminhos seguidos por regiões litorâneas e urbanizadas durante a Regência (1831-1840). Os homens que dominavam a administração municipal discutiam a natureza do estado brasileiro, a definição de cidadania e a importância de regras legais e judiciais em ofícios dirigidos ao governo provincial e à  imprensa. Estes padrões políticos não condizem com os estereótipos de sertanejos fora da lei que resistiram à  presença do estado. Mais propriamente sugere um compromisso com a cultura política nacional e uma participação em debates ideológicos muito além de interesses estreitamente locais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/mos.v1i1.231

Rodapé - Mosaico
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND

MOSAICO | Programa de Pós-Graduação em História | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7801 | Qualis A3 (Avaliação Preliminar da CAPES/PERIÓDICOS - 2019)

Visitantes - (01/01/2006 - 01/08/2019)
País Usuários
Brasil 8.363
Estados Unidos 407
França 265
Portugal 130
Alemanha 61
Reino Unido 32
Espanha 26
México 24
Rússia 21
Total 9.575

Fonte: Google Analytics.