Próximas Edições: Congadas: Memória e Tradição Afro-Brasileira

Um dos muitos resultados da diáspora africana é a presença de reis negros nas Américas, representantes de grupos étnicos específicos, presentes no interior de quilombos e de irmandades católicas negras. Nessas irmandades também os reis negros se tornam referências daquilo que no Brasil, tempos depois, resulta nos festejos das Congadas. Os estudos das situações em que existiram esses reis nas Américas esclareceram como africanos e europeus interagiram no contexto da colonização americana sob um regime escravista criando novas perspectivas para se reescrever a história desse período dando voz a outros protagonistas do processo de construção da nação brasileira. O dossiê “Congadas: memória e tradição afro-brasileira” abordará estudos sobre a memória da Brasil escravocrata sob a perspectiva dos festejos que nasceram em terras brasileiras mas que tem raiz africana, festejos estes que devem ser entendidos também como espaço de resistência, e berço de ressignificações simbólicas que proporcionaram aos seus fiéis a possibilidade de se reafirmar enquanto africanos. Com ênfase nas irmandades negras, na Congada e nos vários desdobramentos que a mesma recebeu de acordo com cada região do país em que esse festejo é comemorado. Concebemos que discutir temas como este em uma perspectiva histórica é, acima de tudo, discorrer sobre memórias, tradições e religiosidade afrobrasileira. Assim, o presente dossiê visa fomentar discussões acerca do tema proposto presente em diferentes estados do Brasil, e convida autores a submeterem artigos que tratem dessa questão por meio de pesquisas de campo, etnográficas ou com vivência respaldada pelo meio acadêmico.