ORGANIZAÇÃO REGIONAL DOS ASSENTAMENTOS GUARANI: UMA PROPOSTA INTERPRETATIVA A PARTIR DA CERÂMICA ARQUEOLÓGICA

Fernanda Schneider, Neli Teresinha Galarce Machado

Resumo


Neste artigo analisamos a organização dos assentamentos Guarani do centro-sul da bacia do rio Taquari-Antas, RS, a partir da análise da cerâmica de uma amostra de 11 sítios. Avaliamos o padrão regional dessa cerâmica, em seguida a existência de diferenças entre as cerâmicas dos sítios, e, por fim, se essas diferenças formariam agrupamentos de sítios com cerâmicas mais similares entre si. Os resultados indicaram que a cerâmica Guarani não é homogênea nesta área. Além da existência de um sítio com cerâmica colonial que foge do padrão regional, observamos dois agrupamentos de sítios com cerâmicas mais similares entre si e que seguem um padrão espacial específico: um estabelecido em sítios do rio Forqueta e o outro em sítios do rio Taquari-Antas. Assumimos, como hipótese de trabalho, que os agrupamentos poderiam indicar que na organização dos assentamentos Guarani da região haveria duas distintas coletividades de aldeias mais aproximadas social e politicamente entre si, e cuja delimitação espacial seguiria os dois recursos hídricos mais importantes da área.

Palavras-chave


Arqueologia Guarani; Análise de Cerâmica; Análise Multivariada de Clusters; Organização Regional de Assentamentos; Bacia do Rio Taquari-Antas.

Texto completo:

PDF

Referências


BECKER, Í. I. B. Lideranças indígenas: no começo das reduções jesuíticas da província do Paraguay. São Leopoldo: Instituto Anchietano de Pesquisas, n. 47, 1992.

BROCHADO, J. J. P. Migraciones que difundiéron la Tradición Alferera Tupiguarani. Relaciones, México, v. 7, p. 7-39, 1973.

BROCHADO. J. J. P. A tradição cerâmica Tupiguarani na América do Sul. Clio, n. 3, p. 47-60, 1980.

BROCHADO, J. J. P. An ecological model of the spread of pottery and agriculture into Eastern South America. 1984. Tese (Doutorado) - Urbana-Champaign: University of Illinois, 1984.

BROCHADO, J. J. P. A expansão dos Tupi e da cerâmica da Tradição Policrômica Amazônica. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, n. 27, p. 65-82, 1989.

BROCHADO, J. J. P.; MONTICELLI, G.; NEUMANN, E. Analogia Etnográfica na reconstrução gráfica das Vasilhas Guarani Arqueológicas. Veritas, v. 35, n. 140, p. 727-743, 1990.

BROCHADO, J. J. P.; MONTICELLI, G. Regras práticas na reconstrução gráfica das vasilhas de cerâmica guarani a partir dos fragmentos. Estudos Ibero Americanos, v. 20, n. 2, p. 107-118, 1994.

CHMYZ, I. Terminologia arqueológica brasileira para cerâmica. Curitiba: CEPA/UFPR, 1969.

CANO, N.; MACHADO, N. T. G.; GENNARIA, R. F.; ROCCA, R.; CASIMIRO; S. M.; WATANABE, S. TL dating of pottery fragments from four archaeological sites in Taquari Valley, Brazil. Radiation Effects & Defects in Solids, v. 167, n. 12, p. 947- 953, 2012.

CHASE-SARDI, M. El tekoha. Su organización social y los efectos negativos de la deforestación entre los Mbyá-Guarani. Suplemento Antropológico, Universidad Catolica, Centro de Estudios Antropológicos, Asunción, v. 24, n. 2, 1989.

CONSERVATION INTERNATIONAL. The Atlantic Forest of South America: biodiversity status, threats, and outlook. Washington, Island Press, 2003.

CORRÊA, Â. A. Pindorama de mboîa e îakaré: continuidade e mudança na trajetória das populações Tupi. 2014. Tese (Doutorado em Arqueologia) - Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

DE SOUZA, J. G. A cerâmica de tradição Itararé-Taquara e a difusão das línguas Jê meridionais: uma reanálise dos dados. 2009. Monografia (Bacharelado em História) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

FUNDAÇÃO ESTADUAL DE PROTEÇÃO AMBIENTAL HENRIQUE LUIZ ROESSLER (FEPAM). Qualidade Ambiental: Região Hidrográfica do Guaíba, c2018. Disponível em: http://www.fepam.rs.gov.br/qualidade/qualidade_taquari_antas/taquariantas.asp./. Acesso em: 15 mar. 2020.

GOSSELAIN, O. P. Technology and Style: Potters and Pottery among Bafia of Cameroon. Man, v. 27, n. 3, p. 559-586, 1992.

HAMMER, Ø.; HARPER, D. A. T.; RYAN, P. D. PAST: Paleontological Statistic software package for education and data analysis. Paleontologia Electronica, v. 4, n. 1, p. 1-9, 2001.

KREUTZ, M. R.; SANTOS, P.; MACHADO, N. G.; LAROQUE, L. F. Colonização Guarani nas Planícies do Taquari, Rio Grande do Sul, Brasil. Tellus, Campo Grande, v. 14, n. 27, p. 33-66, 2014.

LA SALVIA, F.; BROCHADO, J. J. P. Cerâmica Guarani. Porto Alegre: Posenato Arte e Cultura, 1989.

MACHADO, N. T. G; DA ROSA, L. W.; WOLF, S.; HOHNE, L.; ETHUR, E. WATANABE, S.; GENNARI; R. Arqueometria na bacia hidrográfica do rio Forqueta/RS: um estudo sobre a cerâmica pré-colonial Guarani. Revista Memorare, v. 5, n. 2, 2018.

MACHADO, A. J. Avançar, adaptar e permanecer: a Tradição Tupiguarani no Médio Rio das Antas. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2008.

MELIÀ, B. El Guaraní Conquistado y Reducido. 1. ed. Asunción: CEADUC, 1986.

MONTOYA, A. R. Tesoro de la lengua Guarani. Madrid: Iuan Sanches, 1639.

MILHEIRA, R. G. Território e Estratégia de Assentamento Guarani na Planície Sudoeste da Lagoa dos Patos e Serra do Sudeste – RS. 2008. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) - Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

MILHEIRA, R. G.; SCUNDERLICK, E. F. D.; ALVES, L. Perfil Tipológico da Indústria Cerâmica Guarani da Região Sul de Santa Catarina. Revista Tempos Acadêmicos, Dossiê Arqueologia Pré-Histórica, Criciúma, Santa Catarina, n. 11, p. 210-233, 2013.

NEUMANN, M. Ñande rekó: diferentes jeitos de ser Guarani. (Dissertação de Mestrado em História) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

NEUMANN, M. Distribuição das Marcas de Uso e Especificidades Funcionais para a Cerâmica Guarani Pré-Colonial. Revista de Arqueologia, v. 24, n. 1, p. 52-65, 2011.

NOELLI, F. S. Sem Tekohá não há Tekó: em busca de um modelo etnoarqueológico da aldeia e da subsistência Guarani e sua aplicação a uma área de domínio no delta do Rio Jacuí-RS. 1993. Dissertação (Mestrado em História) - PUCRS, Porto Alegre, 1993.

NOELLI, F. S.; CORRÊA, A. A; BROCHADO, J. P. A linguagem da cerâmica Guaraní: sobre a persistência das práticas e materialidade (parte 1), v. 10 n. 2, 2018.

OLIVEIRA, G. G.; GUASSELLI, L. A.; BRUBACHER, J. P.; SIRANGELO, F. R. Interpretação e mapeamento geomorfológico da bacia hidrográfica do Rio Taquari-Antas, com suporte de técnicas de geoprocessamento e utilização de dados orbitais e cartográficos. XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Anais... INPE, 2015.

ORTON, C.; TYERS, P.; VINCE, A. Pottery in archaeology. Cambrige: Cambridge University Press, 1993.

PARELLADA, C. I. Tecnologia e Estética da Cerâmica Itararé-Taquara no Paraná: dados etno-históricos e o acervo do Museu paranaense. Revista de Arqueologia, v. 21, p. 97-111, 2008.

PROUS, A. A pintura em cerâmica Tupiguarani. Ciência Hoje, v. 36, p. 22-28, 2005.

ROGGE, J. H. Adaptação na floresta subtropical: A Tradição Tupiguarani no Médio Rio Jacuí e no Rio Pardo. Documentos 6, v. 6, p. 3-156, 1996.

RIBEIRO, P. A. M. Arqueologia do Vale do Rio Pardo, Rio Grande do Sul, Brasil. 1990. Tese (Doutorado em História), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1990.

RICE, P. M. Pottery Analysis: A Sourcebook. The University of Chicago Press, Chicago and London, 1987.

RODRIGUES, A. D. A classificação do tronco lingüístico Tupí. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 12, n. 1-2, p. 99-104, 1964.

RODRIGUES A. D.; CABRAL, A. S. Tupían. In: CAMPBELL, L; GRONDONA, V. (orgs.). The Indigenous Languages of South America. Mouton de Gruyter, p. 495- 574, 2012.

RYE, O. S. Pottery technology: principles and reconstruction. Washington: Taraxacum, 1981.

SALDANHA, J. D. M. Paisagem, lugares e cultura material: uma arqueologia espacial nas terras altas do sul do Brasil. Dissertação (Mestrado em História) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

SECRETARIA DO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (SEMA). G040 - Bacia Hidrográfica do Rio Taquari-Antas, c2018. Disponível em: http://www.sema.rs.gov.br/g040-bacia-hidrografica-do-rio-taquari-antas. Acesso em: 10 mar. 2020.

SILVA, F. A.; NOELLI, F. S. Arqueologia e Linguística: Construindo as trajetórias histórico-culturais dos povos Tupí. Crítica e Sociedade: Revista de Cultura Política, v. 7, n. 1, p. 55-87, 2017.

SILVA, F. A. O significado da variabilidade artefatual: a cerâmica dos Asurini do Xingu e a plumária dos Kayapó-Xikrin do Cateté. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Ciências Humanas v. 2, n.1, p. 91-103, 2007.

SCHMITZ, P. I. As tradições ceramistas do Planalto Sul-Brasileiro. Arqueologia do Rio Grande do Sul. Documentos 2, Instituto Anchietano de Pesquisas, São Leopoldo, v. 2, p. 74-130, 1988.

SCHMITZ, P. I.; BROCHADO, J. P. Datos para uma sequência cultural del Estado de Rio Grande do Sul, Brasil. Porto Alegre: Gabinete de Arqueologia da UFRGS, 1972.

SCHNEIDER, Fernanda. Poder, Transformação e Permanência: a dinâmica de ocupação Guarani na Bacia do Rio Taquari-Antas, Rio Grande do Sul, Brasil. 2019. 376 f. Tese (Doutorado em Ciências) - Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento, Universidade do Vale do Taquari - Univates, Lajeado, 2019.

SCHNEIDER, F.; WOLF, S.; KREUTZ, M. R.; MACHADO, N. T. G. Tempo e Espaço Guarani: um estudo acerca da ocupação, cronologia e dinâmica de movimentação pré-colonial na Bacia do Rio Taquari/Antas, Rio Grande do Sul, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 12, n. 1, p. 31-56, 2017a.

SCHNEIDER, F.; KREUTZ, M. R.; MACHADO, N. T. G.; WOLF, S. Investigações Arqueológicas no Vale do Taquari, Rio Grande do Sul, Brasil. Clio Arqueológica, v. 32, n. 2, p.139-186, dez. 2017b.

SHEPARD, A. O. Ceramic for the archaeologist. Carvigie Instituition: Washington Publications, 1995.

SILVA, F. A. A organização da produção cerâmica dos Asurini do Xingu: uma reflexão etnoarqueológica sobre variabilidade e padronização artefatual. Arqueología Suramericana, v. 5, p. 2, p. 121-137, 2009.

SOARES, A. L. R. Guarani: organização social e arqueologia. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1997.

SUSNIK, B. Etnohistoria de los guaranities: Epoca colonial. Assuncion, Paraguay: Museu Etnográfico “Andrés Barbeiro”, 1979-1980.

SUSNIK, B. Los aborígenes de lo Paraguay. Etnohistoria de los guaranities, Epoca colonial. Assuncion: Museo Etnografico Andrea Barbero, Tomo II, 1982.

WOLF, S. Arqueologia Jê no Alto do Forqueta e Guaporé: um novo cenário para um antigo contexto. 2016. Tese (Doutorado em Ciências) - Universidade do Vale do Taquari, Lajeado, 2016.

WOLF, S.; MACHADO, N. T. G. Arqueologia da Paisagem Aplicada ao Estudo de Sítios Arqueológicos Jê Meridionais nas Bacias Hidrográficas dos Rios Forqueta e Guaporé/Rio Grande do Sul. Revista Ra’e Ga, Curitiba, v. 45, p. 268-280, 2018.

ZEDEÑO, M. N. Landscapes, land use, and the history of territory formation: an example from the Puebloan Southwest. Journal of Archaeological and Theory, v. 4, n. 1, p. 67-103, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/hab.v18i2.8642

Direitos autorais 2021 Fernanda Schneider, Neli Teresinha Galarce Machado

Rodapé - Habitus

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


HABITUS| Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7798 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (04/09/2017 - 12/08/2021)

Fonte: Google Analytics.