PROJETO ARQ-GEO: MEMÓRIA INFORMACIONAL E GEOPROCESSAMENTO EM ARQUEOLOGIA

Jorge Eremites de Oliveira, Luana Carla Martins Campos Akinruli, Samuel Ayobami Akinruli

Resumo


Esse texto apresenta os resultados do Projeto ARQ-GEO que, organizado para a Sociedade de Arqueologia Brasileira (SAB), tem o objetivo de reunir informações sobre a formação profissional em Arqueologia no Brasil. Por meio da programação criada e disponível na plataforma (https://arqgeo.insod.org/en) é possível pesquisar informações estatísticas e utilizar ferramentas de geolocalização sobre os cursos de Arqueologia. Além de um balanço sobre esse campo científico, em seus aspectos institucionais de formação profissional e que indicam sobre as áreas (temáticas e geográficas) de concentração da pesquisa em Arqueologia no país, o Projeto ARQ-GEO ressaltou discussões sobre os procedimentos de acesso à informação em uma ação voltada à memória social da ciência.

Palavras-chave


Arqueologia; Memória Organizacional; Geoprocessamento

Texto completo:

PDF

Referências


ANGELO, C. Com pouco controle, arqueologia vive explosão no Brasil. Folha de São Paulo, 10 jul. 2011. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe1007201101.htm. Acesso em: 11 dez. 2019.

AKINRULI, S. A.; AKINRULI, L. C. M. C.; EREMITES DE OLIVEIRA, J. Access to information and organizational memory using GIS geoprocessing methods in archeology. In: GARCÍA, M. G.; MARTÍN-PENA, D. (org.). Identidade y cultura. Creación del conocimiento. Zaragoza: Universidad Zaragoza; Ediciones Egregius, 2020. p. 35-58. (Colección Comunicación e Información Digital, v. 23).

AKINRULI, S. A.; AKINRULI, L. C. M. C.; EREMITES DE OLIVEIRA, J. Projeto ARQ-GEO. 2019. Disponível em: https://arqgeo.insod.org/en. Acesso em: 03 set. 2019.

AZEVEDO NETTO, C. X. de (org.). Informação, patrimônio e memória: diálogos interdisciplinares. João Pessoa: Ed. da UFPB, 2015.

BARRETO, C. Brazilian archaeology from a Brazilian perspective. Antiquity, v. 72, n. 277, p. 573-581, 1998.

BARRETO, C. Arqueologia brasileira: uma perspectiva histórica e comparada. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, Suplemento 3, p. 201-212, 1999.

BARRETO, C. A construção de um passado pré-colonial: uma breve história da arqueologia no Brasil. Revista da USP, v. 44, n. 1, p. 32-51, 2000.

BEZERRA, M. Bicho de nove cabeças: os cursos de graduação e a formação de arqueólogos no Brasil. Revista de Arqueologia, v. 21, n. 2, p. 139-154, 2008.

BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Edunesp, 2004.

BUENO, L. (ed.). Temas e debates: como se formam arqueólogos no Brasil. Arqueologia em Debate. Jornal da Sociedade de Arqueologia Brasileira, n. 3, p. 6-29, 2011.

CADASTRO Nacional das Instituições de Guarda e Pesquisa (CNIGP/IPHAN). Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/cna/pagina/detalhes/1429. Acesso em: 30 dez. 2019.

CASTRO FARIA, L. de. Antropologia: escritos exumados 2: dimensões do conhecimento antropológico. Niterói: EDUFF, 2000.

EREMITES DE OLIVEIRA, J. A Arqueologia Brasileira da década de 1980 ao início do século XXI: uma avaliação histórica e historiográfica. Estudos Ibero-Americanos, v. XXVIII, n. 2, p. 25-52, 2002.

EREMITES DE OLIVEIRA, J. Arqueologia Pantaneira: história e historiografia (1875-2000). Dourados: Ed. da UFGD, 2008.

EREMITES DE OLIVEIRA, J. A história indígena no Brasil e em Mato Grosso do Sul. Espaço Ameríndio, v. 6, p.178-218, 2012.

EREMITES DE OLIVEIRA, J. Jus Sperniandi: proposta de criação de uma graduação em Antropologia em Mato Grosso do Sul, Brasil. Cadernos do LEPAARQ, v. 11, p. 9-43, 2014.

EREMITES DE OLIVEIRA, J. (Re)aproximando os campos da antropologia social e da Arqueologia no Brasil: etnoarqueologia em laudos antropológicos judiciais sobre terras indígenas em Mato Grosso do Sul. In: PACHECO DE OLIVEIRA, J.; MURA, F.; SILVA, A. B. da (org.). Laudos antropológicos em perspectiva. Brasília: ABA, 2015. p. 234-261.

EREMITES DE OLIVEIRA, J. Arqueologia de contrato, colonialismo interno e povos indígenas no Brasil. Amazônica: Revista de Antropologia, v. 7, p. 354-374, 2016.

EREMITES DE OLIVEIRA, J. Relatório da Coordenação da Área de Antropologia e Arqueologia na CAPES sobre a Avaliação Quadrienal 2013-2016. Pelotas: CAPES, 2018. (não publicado) Disponível em: https://www.academia.edu/35853108/2018_-_Relatório_da_Coordenação_da_Área_de_Antropologia_e_Arqueologia_na_CAPES_sobre_a_Avaliação_Quadrienal_2013-2016. Acesso em: 22 mar. 2020.

EREMITES DE OLIVEIRA, J. Regulamentação da profissão de arqueólogo no Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=sL5AmQSiFQk. Acesso em: 15 jun. 2020.

FELDMAN-BIANCO, B; SIMIÃO, D. S. (org.). O campo da antropologia no Brasil: retrospectiva, alcances e desafios. Rio de Janeiro: ABA, 2018.

FERREIRA, L. M. Território primitivo: a institucionalização da arqueologia no Brasil (1870-1917). Porto Alegre: EdiPUCRS, 2010.

FERREIRA, L. M.; CERQUEIRA, F. V. A Graduação em Arqueologia na UFPel: um currículo na interface entre Arqueologia e Antropologia. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, n.19, p.79- 86, 2009.

FUNARI, P. P. A. Brazilian archaeology and world archaeology: some remarks. World Archaeological Bulletin, n. 3, p. 60-68, 1989.

FUNARI, P. P. A. Arqueologia brasileira: visão geral e reavaliação. Revista de História da Arte e Arqueologia, n. 1, p. 23-41, 1994.

GASPAR, M. D. Resenha de Antropologia: escritos exumados 2. Dimensões do conhecimento antropológico. Mana, v. 6, n. 2, p. 171-173, 2000.

GASPAR, M. D. História da construção da Arqueologia Histórica Brasileira. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, n. 13, p. 269-301, 2003.

GNECCO, C; DIAS, A. S. Sobre a arqueologia de contrato. Revista de Arqueologia, v. 28, n. 2, p. 3-19, 2015.

GNECCO, C; DIAS, A. S. (Org.). Crítica de la razón arqueológica: arqueología de contrato y capitalismo. Bogotá: Instituto Colombiano de Antropología e Historia, 2017.

LIMA, T. A. Arqueologia histórica no Brasil: um balanço bibliográfico (1960-1991). Anais do Museu Paulista, v. 1, n. 1, p. 225-262, 1993.

MORALES, W. F.; MOI, F. P. (org.). Cenários regionais em arqueologia brasileira. São Paulo: Annablume; Porto Seguro: Acervo, 2009.

PLATAFORMA Sucupira (CAPES). Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/. Acesso em: 30 dez. 2019.

PELLINI, J. R. Uma fisiologia da paisagem: locomoção, GIS e sites catchment: uma Nova Perspectiva. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, v. 17, p. 23-37, 2007.

PELLINI, J. R. Movimento e GIS: uma percepção da paisagem. Habitus, v. 6, p. 171-186, 2008.

PROUS, A. Arqueologia brasileira. Brasília: Ed. da UnB, 1992.

RIBEIRO, L. et al. A saia justa da arqueologia brasileira: mulheres e feminismos em apuro bibliográfico. Estudos Feministas, v. 25, n. 3, p. 1093-1110, 2017.

ROCHA, B. C. da et al. Arqueologia pelas gentes: um manifesto: constatações e posicionamentos críticos sobre a arqueologia brasileira em tempos de PAC. Revista de Arqueologia, v. 26, n. 1, p.130-140, 2013.

SALADINO, A.; MACHADO, G. de A. A Arqueologia na formação do museólogo: um olhar a partir do Curso de Museologia (1932-2010). Cadernos de Sociomuseologia, n. 7, p. 107-128, 2016.

SANTOS, T. de L. P. Memória e identidade: o que vem primeiro, Annette Laming Emperaire ou a Missão Franco Brasileira? Revista Memorare, v. 2, n. 2, p. 72-84, 2015.

SCHAAN, D. P; BEZERRA, M. Construindo a arqueologia no Brasil: a trajetória da Sociedade de Arqueologia Brasileira. Belém: SAB; GK Noronha Editora, 2009.

SOUZA, A. M. de. História da Arqueologia Brasileira. Pesquisas (Série Antropologia), São Leopoldo, v. 46, p. 1-157, 1991.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/hab.v18i1.7956

Direitos autorais 2020 Luana Carla Martins Campos Akinruli, Samuel Ayobami Akinruli, Jorge Eremites de Oliveira

Rodapé - Habitus

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


HABITUS| Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7798 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (04/09/2017 - 25/06/2020)

Fonte: Google Analytics.