MULHERES INDÍGENAS EM NARRATIVAS JESUÍTICAS DA AMAZÔNIA PORTUGUESA (SÉCULO XVII-XVIII)

Karl Heinz Arenz, Stefanie Leão Gaia

Resumo


Os escritos missionários, redigidos nos séculos XVII e XVIII na Amazônia portuguesa, apontam diversas agências de mulheres indígenas no interior dos aldeamentos. O artigo visa analisar as relações que envolveram as índias e o religiosos enquanto dois agentes-chave na construção do mundo colonial amazônico. Uma leitura nas entrelinhas das fontes jesuíticas, sobretudo dos escritos de João Felipe Bettendorff e João Daniel, possibilita perceber as negociações, ressignificações e embates no âmbito dos aldeamentos que contaram com participação feminina. Focando em aspectos centrais e, ao mesmo tempo, complexos, como sexualidade, matrimônio, trabalho, transmissão de saberes e poder, evidenciam-se o protagonismo e a identidade das mulheres indígenas dentro do sistema de aldeação.

Palavras-chave


Mulheres indígenas; Aldeamentos jesuítas; Sexualidade; Tradições; Poder

Texto completo:

PDF

Referências


AGNOLIN, Adone. Jesuítas e selvagens: o encontro catequético no século XVI. Revista de História, São Paulo, n. 144, p. 19-71, 2001.

AGNOLIN, Adone. O apetite da antropologia: o sabor antropofágico do saber antropológico – alteridade e identidade no caso tupinambá. São Paulo: Humanitas, 2005.

ALENCASTRO, Luiz Felipe de. L’histoire des Amérindiens au Brésil. Annales Histoire, Sciences Sociales, Paris, v. 57, n. 5, p. 1323-1335, set./out. 2002.

ARCHIVUM ROMANUM SOCIETATIS IESU (ARSI). Roma, cód. Bras 9 e 26.

ARENZ, Karl Heinz. A vasta Amazônia em poucas páginas: os tratados do padre João Daniel da ViceProvíncia do Maranhão (século XVIII). In: FLECK, Eliane Cristina Deckmann; DILLMANN, Mauro. Escritas e leituras: temas, fontes e objetos na Iberoamérica (séculos XVI-XIX). São Leopoldo: Oikos/Editora Unisinos, 2017, p. 91-118.

ARENZ, Karl Heinz. Além das doutrinas e rotinas: índios e missionários nos aldeamentos jesuíticos da Amazônia portuguesa (séculos XVII e XVIII). Revista História e Cultura, Franca, v. 3, n. 2, p. 63-88, 2014.

ARENZ, Karl Heinz. Do Alzette ao Amazonas: vida e obra do padre João Felipe Bettendorff (1625-1698). Revista de Estudos Amazônicos, Belém, v. 5, n. 1, p. 25-78, 2010.

ARENZ, Karl Heinz. Não Saulos, mas Paulos: uma carta do padre João Felipe Bettendorff da Missão do Maranhão (1671). Revista de História, São Paulo, v. 168, n. 1, p. 271-322, jan./jun. 2013.

ARENZ, Karl Heinz; SILVA, Diogo Costa. Levar a luz de nossa Santa Fé aos sertões de muita gentilidade: fundação e consolidação da missão jesuíta na Amazônia Portuguesa (século XVII). Belém: Açaí, 2012.

ARQUIVO HISTÓRICO ULTRAMARINO (AHU). Lisboa, cód. ACL-CU-013, cx. 3.

AZEVEDO, João Lúcio de. Cartas do Padre António Vieira. Tomo I. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1925.

BETTENDORFF, João Felipe. Crônica dos Padres da Companhia de Jesus no Estado do Maranhão [1698]. Belém: Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves. Secretaria de Estado da Cultura, 1990.

BIBLIOTECA PÚBLICA DE ÉVORA (BPE). Évora, cód. CXV/2-11.

CARVALHO JÚNIOR, Almir Diniz de. Índios cristãos no cotidiano das colônias do Norte (séculos XVII e XVIII). Revista de História, São Paulo, n. 168, p. 69-99, jan./jun. 2013.

CLASTRES, Hélène. Terra sem mal: o profetismo tupi-guarani. São Paulo: Brasiliense, 1978.

CLASTRES, Pierre. A sociedade contra o Estado: investigações de Antropologia Política. Porto: Edições Afrontamento, 1979.

CRUZ, Roberto Borges da. A farinha de mandioca e suas inconveniências na obra de João Daniel. Outros Tempos, São Luís, v. 10, n. 15, p. 37-55, 2013.

DANIEL, João. Tesouro descoberto no Máximo Rio Amazonas [1776]. Tom. 1. Rio de Janeiro/Belém: Contraponto/Prefeitura Municipal de Belém, 2004.

DELUMEAU, Jean. História do medo no Ocidente: 1300-1800. Tradução de Maria Lucia Machado. 3. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

FERNANDES, Florestan. A organização social dos Tupinambá. São Paulo: Editora HUCITEC, 1989.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. São Paulo: Loyola, 1996.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

GASBARRO, Nicola. Missões: a civilização cristã em ação. In: MONTERO, Paula (org.). Deus na aldeia: missionários, índios e mediação cultural. São Paulo: Globo, 2006, p. 67-109.

HAUBERT, Maxime. Índios e jesuítas no tempo das missões: séculos XVII-XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

HOORNAERT, Eduardo. História do Cristianismo na América Latina e no Caribe. São Paulo: Paulus, 1994.

LEITE, Serafim (org.). Monumenta Brasiliae. Tom. I (1538-1553). Roma/Coimbra: Tip. da Atlântida, 1956. (Coleção Monumenta Historica Societatis Lesu, n. 79).

LEITE, Serafim (org.). Monumenta Brasiliae. Tom. II (1553-1558). Roma/Coimbra: Tip. da Atlântida, 1957. (Coleção Monumenta Historica Societatis Iesu, n. 80).

LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Tom. II. Rio de Janeiro/Lisboa: Livraria Portugalia/Instituto Nacional do Livro, 1939.

LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Tom. III. Rio de Janeiro/Lisboa: Livraria Portugalia/Instituto Nacional do Livro, 1943.

LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Tom. IV. Rio de Janeiro/Lisboa: Livraria Portugalia/Instituto Nacional do Livro, 1943.

LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Tom. V. Rio de Janeiro/Lisboa: Livraria Portugalia/Instituto Nacional do Livro, 1945.

LONDOÑO, Fernando Torres. Escrevendo cartas: jesuítas, escrita e missão no século XVI. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 22, n. 43, p. 11-32, 2002.

LUZ, Guilherme Amaral. Os passos da propagação da fé: o lugar da experiência em escritos jesuíticos sobre a América quinhentista. Revista Topoi, Rio de Janeiro, v. 4, n. 6, p. 106-127, mar. 2003.

MÉTRAUX, Alfred. Religión y magias indígenas de América del Sur. Madri: Editora Aguilar, 1973.

MONTERO, Paula. Índios e missionários no Brasil: para uma teoria da mediação cultural. In: MONTERO, Paula (org.). Deus na aldeia: missionários, índios e mediação cultural. São Paulo: Globo, 2006, p. 31-66.

MORAES, José. História da Companhia de Jesus na extinta Província do Maranhão e Grão-Pará [1759]. Rio de Janeiro: Alhambra, 1987.

PERRONE-MOISÉS, Beatriz. Terras indígenas na legislação colonial. Revista da Faculdade de Direito, São Paulo (USP), v. 95, p. 107-120, 2000. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rfdusp/article/view/67457. Acesso em: 17 dez. 2018.

PERROT, Michelle. Os excluídos da História: operários, mulheres e prisioneiros. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

PINHEIRO, Joely Aparecida Ungaretti. Conflitos entre jesuítas e colonos na América Portuguesa: 1640-1700. 274f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Economia, Campinas, 2007.

POMPA, Cristina. Para uma antropologia histórica das missões. In: MONTERO, Paula (org.). Deus na aldeia: missionários, índios e mediação cultural. São Paulo: Globo, 2006.

PY-DANIEL, Anne Rapp et al. Uma Santarém mais antiga sob o olhar da Arqueologia. Belém: MPEG, 2017.

ROOSEVELT, Anna Curtenius. The Maritime, Highland, Forest Dynamic and the Origins of Complex Cultures. In: SCHWARTZ, Stuart; SALOMON, Frank (orgs.). The Cambridge History of the Native Peoples of the Americas. V. 3/1 (South America). Cambridge: Cambridge University Press, 1999, p. 264-349.

SAHLINS, Marshall David. Metáforas históricas e realidades míticas: estrutura nos primórdios da história do reino das Ilhas Sandwich. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

SILVA, Orlando Sampaio. Eduardo Galvão: índios e caboclos. São Paulo: Annablume, 2007.

VAINFAS, Ronaldo. Moralidades brasílicas: deleites sexuais e linguagem erótica na sociedade escravista. In: SOUZA, Laura de Mello e (org.). Cotidiano e vida privada na América Portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1999, p. 221-273. (Coleção História da Vida Privada no Brasil, v. 1).

VIEIRA, Antônio. Direção do que se deve observar nas Missões do Maranhão, 1658-1660. In: LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Tom. IV. Rio de Janeiro/Lisboa: Livraria Portugalia/Instituto Nacional do Livro, 1943, p. 106-124.

VIOTTI, Hélio Abranches (org.). Cartas: correspondência ativa e passiva Pe. José de Anchieta. São Paulo: Edições Loyola, 1984.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/hab.v17i2.7552

Direitos autorais 2020 Karl Heinz Arenz

Rodapé - Habitus

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


HABITUS| Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7798 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.