La Evolucion del Mestizaje en la Nueva España. Las Aportaciones Recientes de la Historia Demográfica

Chantal Cramaussel Vallet

Resumo


Resumo: no século XVII foi configurado um segmento da sociedade colonial da Nova Espanha de sangue misturado, designado como mestiço ou mulato, que eram categorias equivalentes. As pessoas que integravam esses grupos aparentemente se multiplicaram muito rápido
em detrimento dos índios. Mas essa rápida mestiçagem não era biológica. Quando os índios deixavam seus povos e se incorporavam às fazendas para estarem livres dos tributos, eles e seus filhos adquiriam a categorização de mestiços ou mulatos. Outros se juntaram a pessoas
de outras classes e surgiram assim, famílias pluriétnicas cujos filhos possuíam fenótipos e categorizações diferentes entre si. Ao final da época colonial, caiu em desuso a categoria de mulato e a sociedade se dividiu em índios, mestiços e espanhóis. A divisão entre pessoas “de
razão” e índios ou índios e “vizinhos” é uma herança colonial que permanece até hoje em muitas regiões indígenas do México.
Palavras-chave: Mestiçagem. Nova Espanha. Mulato. Índios. Demografia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/hab.v14.2.2016.157-174

Direitos autorais 2017 Chantal Cramaussel Vallet

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


HABITUS | Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7798 | Qualis B2