A Comida como Linguagem

Ellen F. Woortmann

Resumo


Resumo: com base na noção de habitus de Bourdieu e em especial a concepção de Mary Douglas e outros de que a comida constitui uma linguagem, uma modalidade de código,
propõe-se que a comida expressa meios de sociabilidade e aponta para distinções socialmente identificáveis. Nessa perspectiva, discute-se algumas práticas alimentares atuais e historicamente engendradas, que muitas vezes são naturalizadas.
Palavras-chave: Práticas alimentares. Códigos. Distinções Sociais. Memória.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/hab.v11.1.2013.5-17

Direitos autorais

Rodapé - Habitus

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


HABITUS| Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7798 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.