"Remanescentes das Comunidades dos Quilombos": memória do cativeiro, patrimônio cultural e direito à reparação

Hebe Mattos, Martha Abreu

Resumo


Resumo: partindo da análise do processo de identifi cação como remanescente
de quilombo de três comunidades negras do estado do Rio de Janeiro,
este artigo aborda historicamente a construção de novos marcos legais cujos
efeitos infl etem na produção de novos atores políticos coletivos a partir da
valorização da identidade negra e da memória de antepassados cativos.
Sendo assim, observa-se como a memória da escravidão e a valorização do
Jongo, enquanto patrimônio cultural herdado e reconstruído pelos descendentes
de escravos, passam a contribuir efetivamente para o reconhecimento
dos territórios negros.

Palavras-chave: Quilombo. Memória. Patrimônio cultural. Reconhecimento
étnico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/hab.v7.1.2009.%25p

Direitos autorais

Rodapé - Habitus

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


HABITUS| Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7798 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (04/09/2017 - 25/06/2020)

Fonte: Google Analytics.