Revista Habitus - Revista do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia


Próximas Edições:

A revista Habitus, editada pela PUC Goiás/IGPA está recebendo artigos, resenhas, dossiê acadêmico, entrevistas e resumos de teses e dissertações para os próximos números indicados abaixo:

Dossiê: Conhecimentos tradicionais e biodiversidade no Brasil

A Carta Magna de 1988 alçou o patrimônio genético brasileiro à categoria de bem constitucionalmente protegido. Por patrimônio genético se compreende as informações genéticas oriundas dos seres vivos de todas as espécies. A biodiversidade e os conhecimentos tradicionais associados ao patrimônio genético vêm se tornando cada dia mais importantes nos campos científico e tecnológico, assim como em termos preservacionistas. O Brasil é considerado mundialmente como um país megadiverso, do ponto de vista biológico e social. A Lei nº 13.123/15 foi criada no Brasil para regular o acesso sobre o patrimônio genético e conhecimento tradicional associado, bem como a exploração econômica de produtos derivados deste acesso.

Os conhecimentos tradicionais, frutos de um processo social de aprendizado, são constituídos por saberes articulados entre os mundos cultural, natural e sobrenatural, transmitidos oralmente, de geração em geração, por grupos culturais distintos em seus territórios, e refletem a relação estabelecida entre os povos e seus ambientes. As comunidades tradicionais - indígenas, quilombolas, seringueiros, ribeirinhos, caboclos entre outros -, são detentoras deste rico e complexo conhecimento gestado na sua relação com a natureza. Por estabelecerem, os conhecimentos tradicionais, um estreito vínculo com lugares de referência, a proteção da conhecida megadiversidade do patrimônio genético nacional se encontra também associada às condições de sustentabilidade social destes universos simbólicos compreendidos por saberes dos povos tradicionais e relacionados aos seus territórios. A luta destas comunidades pela demarcação de seus territórios tradicionais se encontra, assim, relacionada, ao mesmo tempo, à luta pela preservação das diversidades naturais e à valorização das suas diversas tradições culturais e intelectuais.

Mediante o presente contexto em que se discute a finitude dos recursos naturais e as crises climática e civilizatória, surge a necessidade de refletirmos sobre a importância da preservação dos conhecimentos tradicionais e sua dependência relativa à preservação ambiental. Considerando a relevância das temáticas que envolvem a biodiversidade e os conhecimentos tradicionais, a revista Habitus, em sua edição de 2022-1, está recebendo, até o dia 30/03/2022, artigos em idioma nacional ou em língua estrangeira, resenhas de obras recentes, estudos de casos e documentos relacionados aos conhecimentos tradicionais e biodiversidade.

Habitus é um periódico revisado por pares do Instituto Goiano de Pré-história e Antropologia. As submissões devem ser feitas online no site da revista, seguindo as orientações da revista: Submissões. Dúvidas devem ser encaminhadas aos editores da revista em habitus@pucgoias.edu.br.

Editores Convidados:
Alexandre Herbetta – Universidade Federal de Goiás/ UFG
Izabel Missagia de Mattos - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro/UFRRJ.

Editores Responsáveis:
Marlene C. Ossami de Moura – PUC Goiás/IGPA)
Sibeli A. Viana – PUC Goiás/IGPA

Thematic Issue: Traditional knowledges and biodiversity in Brazil

The systematic study of warfare and violence in archaeology has led to advances in our understanding of the scale and roles that they played in the past, and how they relate to society and culture. A wide range of archaeological evidence has been used to identify warfare and violence across time and space, such as skeletal trauma, weapons, fighting technologies, war-related ritual paraphernalia and mass graves, fortifications, and martial iconographies, along with ethnographic and ethnohistoric information. This volume welcomes archaeological, anthropological and multidisciplinary papers in English, Portuguese or Spanish from scholars researching violence and/or warfare in any time and place. Topics include, but are not limited to: the social impact of warfare; the ways in which communities have viewed, responded to, and used violence; and the potential interconnections of violence and warfare with gender, childhood, race, ethnicity, and class, as well as with ritual, cosmology, ideology, and other forms of cultural practice and performance. Case studies are particularly welcome, as well as theoretical and methodological discussions of the ways that researchers can study violence and/or warfare in the past.

Habitus is the peer-reviewed journal of the Brazilian Institute Goiano of Prehistory and Anthropology. Submissions should be made online at the journal’s website, following the journal’s guidelines: Submissões. Questions should be directed to the journal’s editors at habitus@pucgoias.edu.br.

Guest Editors:
Alexandre Herbetta – Universidade Federal de Goiás/ UFG
Izabel Missagia de Mattos - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro/UFRRJ.

Coordinators:
Marlene C. Ossami de Moura – PUC Goiás/IGPA)
Sibeli A. Viana – PUC Goiás/IGPA

Dossiê: Prática etnográfica e conhecimento arqueológico: etnoarqueologia, etnografia arqueológica e arqueologias indígenas e colaborativas

Ao longo da história da disciplina arqueológica, os dados etnográficos vêm sendo utilizados para embasar as interpretações sobre os registros arqueológicos e, também, para fundamentar as reflexões de arqueólogos e arqueólogas sobre a relação entre as pessoas e as coisas, em diferentes tempos e lugares. Neste dossiê pretendemos reunir trabalhos de pessoas que tem se dedicado à prática etnográfica em suas pesquisas arqueológicas sobre diferentes aspectos da materialidade e da vida das populações humanas (p.ex. tecnologias de produção e uso dos artefatos, padrões de assentamento e subsistência, construção de paisagens e significação de lugares). Nosso objetivo é evidenciar que o encontro de profissionais da arqueologia com comunidades locais e povos originários, e com a sua cultura material tem sido fundamental para o desenvolvimento e transformação das práticas e dos conhecimentos arqueológicos, bem como para mostrar a importância de um compromisso social da disciplina, na contemporaneidade. Neste dossiê também serão acolhidas pesquisas de antropólogos que tratem das relações entre pessoas e coisas, no sentido de que tais estudos também trazem uma contribuição para a reflexão arqueológica. A revista Habitus, em sua edição de 2022-2, está recebendo, até o dia 30/08/2022, artigos em idioma nacional ou em língua estrangeira, resenhas de obras recentes, estudos de casos e documentos relacionados com este tema.

Habitus é um periódico do Instituto Goiano de Pré-história e Antropologia revisado por pareceristas ad hoc. As submissões devem ser feitas online no site da revista, seguindo as orientações da revista: Submissões. Dúvidas devem ser encaminhadas aos editores da revista em habitus@pucgoias.edu.br.

Editores Convidados:
Fabíola Andréa Silva – Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP), São Paulo
Gabriel Uled Ramón Joffré – Pontifícia Universidad Católica del Perú (PUCP), Lima
Jorge Eremites de Oliveira – Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Pelotas

Editores Responsáveis:
Marlene O. de Moura – Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás/IGPA)
Sibeli A. Viana – Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás/IGPA/EFPH)

Thematic Issue: Ethnographic practice and archaeological knowledge: ethnoarchaeology, archaeological ethnography, and indigenous and collaboratives archaeologies

Throughout the history of the archaeological discipline, ethnographic data have been used to support interpretations of archaeological records, and also to support the reflections of archaeologists about the relationship between people and things, in different times and places. Our intend is get together works of people who have been dedicated to ethnographic practice in their archaeological research on different aspects of the materiality and the lifeways of different human populations (e.g. technologies of production and use of artifacts, settlement and subsistence patterns, construction of landscapes and meaning of places). Our objective is to demonstrate that the meeting of archeologists with local communities and indigenous peoples, and with their material culture has been fundamental for the development and transformation of archaeological practices and knowledge, as well as to show the importance of a social commitment of the archaeological discipline in the contemporaneity. This dossier will also include researches of anthropologists about the relationships between people and things, in the sense that such studies also contribute to archaeological reflection. Habitus, in its 2022-2 edition, is receiving, until 8/30/2022, articles in national or foreign language, reviews of recent researches, case studies and documents related to this topic.

Habitus is the peer-reviewed journal of the Brazilian Institute Goiano of Prehistory and Anthropology. Submissions should be made online at the journal’s website, following the journal’s guidelines: Submissões. Questions should be directed to the journal’s editors at habitus@pucgoias.edu.br.

Guest Editors:
Fabíola Andréa Silva – Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP), São Paulo
Gabriel Uled Ramón Joffré – Pontifícia Universidad Católica del Perú (PUCP), Lima
Jorge Eremites de Oliveira – Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Pelotas

Coordinators:
Marlene O. de Moura – Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás/IGPA)
Sibeli A. Viana – Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás/IGPA/EFPH)

Os artigos devem ser enviados, seguindo as normas editoriais da revista e submetidos eletronicamente. Em caso de duvidas, entrar em contato com as editoras: habitus@pucgoias.edu.br


v. 19, n. 1 (2021): Os bens culturais frente a mudança climática


Capa da revista
CAPA: Imagem registrada pelo fotógrafo português Felipe Augusto Fidanza no Engenho do Murutucu/PA, durante uma de suas visitas a Belém na década de 1870. Edição e colorização artística da imagem, Editora PUC Goiás.
Fonte: Diogo Costa, 2021