The Great Gatsby: Love and the Accumulation of Financial Capital and Symbolic

Gilson Vedoin, Ingra Cristina Silvestre, Victor Vinícius do Carmo

Resumo


This paper aims to highlight the capital relations that permeate the story the Great Gatsby, Francis Scott Fitzgerald, considered here as the hipotexto, founding text on design of Gerard Genette (2010) and your the most recent film adaptation, hypertext (GENETTE, 2010, p. 12) that works as transposition and/or updating the previous text made by the Australian Director Baz Luhrmann in 2013. In this sense, from the theoretical formulations proposed by Pierre Bourdieu (1996) about the art as social, historical and cultural phenomenon, the product of a structured and stratified society, we use the concepts of capital and symbolic power to highlight the logic financier that articulates the personal relationships and emotional in the narrative of Fitzgerald, above all, from a reading of their analytical structural elements. In this analysis, we focused on conflict cells established between the characters, the Narrator, the spaces and the temporal dynamics established in hipotexto interaction written with filmic hypertext.

O Grande Gatsby: Amores e o Acúmulo de Capitais Financeiros e Simbólicos

O presente trabalho se propõe a evidenciar as relações capitais que permeiam a narrativa O Grande Gatsby, de Francis Scott Fitzgerald, considerada aqui como o hipotexto, texto fundante na concepção de Gerard Genette (2010) e sua adaptação cinematográfica mais recente, hipertexto (GENETTE, 2010, p.12) que funciona como transposição e/ou atualização do texto anterior realizada pelo diretor australiano Baz Luhrmann em 2013. Nesse sentido, a partir das formulações teóricas propostas por Pierre Bourdieu (1996) acerca da arte como fenômeno social, histórico e cultural, produto de uma sociedade estruturada e estratificada, utilizamos as noções de capital e poder simbólico para evidenciar a lógica financista que articula as relações pessoais e afetivas na narrativa de Fitzgerald, sobretudo, a partir de uma leitura analítica de seus elementos estruturais. Nessa análise, enfocamos as células de conflito estabelecido entre as personagens, o discurso do narrador, os espaços e a dinâmica temporal que se estabelece na interação do hipotexto escrito com o hipertexto fílmico.


Palavras-chave


Narrative; Hypertext; Cinema; Literature; Narrativa. Hipertexto. Cinema. Literatura.

Texto completo:

PDF (portuguese)

Referências


BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

BOURDIEU, Pierre. Razões práticas: sobre a teoria da ação. São Paulo: Papirus, 1996.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

EISENSTEIN, Sergei. O sentido do filme. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

FIGUEIREDO, Vera Lúcia Follain de. Literatura e cinema: interseções In_____. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, n. 37. Brasília, janeiro-junho de 2011, p. 13-26.

FITZGERALD, Francis Scott. Crack-Up. Porto Alegre, L&M, 2007.

FITZGERALD, Francis Scott. O grande Gatsby. Porto Alegre, L&M, 2011.

HORKHEIMER, Max. Eclipse da razão. São Paulo: Centauro, 2002.

NABUCO, Carolina. Retrato dos EUA à luz de sua literatura. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

PIKETTY, Thomas. O capital no século XXI. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013.

ROYOT, Daniel. A literatura americana. São Paulo: Ática, 2009.

VISCARDI, Roberta Fabbri. A posição do narrador em O grande Gatsby, de Fitzgerald. São Paulo, USP, 2011. Dissertação de Mestrado.

Filme

O grande Gatsby (Austrália/USA, 2013). Direção: Baz Luhrmann. Roteiro: Craig Pearce. Elenco: Leonardo DiCaprio; Carey Mulligan; Joel Edgerton; Isla Fischer; Tobey Maguire e Elizabeth Debicki.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/gua.v7i1.6254

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


GUARÁ | Departamento de Letras | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-4957 | Qualis B2

Flag Counter