O Indivíduo Avulso na Penumbra e nos Escombros da Contemporaneidade: algumas notas sobre a ficção de João Gilberto Noll

Gilson Vedoin

Resumo


Resumo: as ficções de João Gilberto Noll podem ser lidas como uma incômoda reflexão e questionamento acerca da condição humana no âmbito da contemporaneidade. Suas narrativas evidenciam as consequências da vida fraturada dos tempos líquidos modernos em seres anônimos e descentrados que percorrem as margens de uma realidade em que as relações se tornaram instáveis, marcadas pela fluidez e pela transitoriedade do social e do humano. Anônimas, as personagens de Noll seguem errante sua jornada. Não é só o mundo e suas relações que são líquidas, essas próprias consciências marginalizadas se vêem como um fluido escorrendo. E muito embora o ciclo da narrativa de feche em dado momento, ele não encerra a transitoriedade, mas ao contrário, perpetua eternamente esse estado transitório.
Palavras-chave: Contemporaneidade. Subjetividade. João Gilberto Noll.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/gua.v6i1.5676

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


GUARÁ | Departamento de Letras | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-4957 | Qualis B2

Visitantes - (05/09/2017 - 21/10/2019)
País Usuários
Brasil 2.138
França 268
Estados Unidos 162
Portugal 62
Alemanha 41
Iraque 26
Ukrania 22
Yemen 20
Itália 18

Fonte: Google Analytics.