A Poética Rizomático-Holográfica de Luis Serguilha ou da Inseminação Impertinente do Impossível

Fernando - Segolin

Resumo


Resumo: faz-se, neste texto, um estudo da obra Kalahari, de Luis Serguilha, onde se configura a impotência da palavra em face da irrepresentatividade irreversível do real, fator que se instaura nos interstícios da nossa indisfarável inessencialidade diante da inquietante indiferença do universo em relação ao mundo humano. Segue-se, aqui, a orientação criadora que vem da gênese da poiesis, que foi concebida pelo homem como um texto ritualístico empenhado em pôr em cena o drama cósmico de sua orfandade, fator que o atrai e o chama na melodia envolvente da música das esferas.
Palavras-chave: Kalahari. Poética labiríntica. Criação transgressiva.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/gua.v4i1.3902

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


GUARÁ | Departamento de Letras | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-4957 | Qualis B2

Flag Counter