Paisagens Extraviadas

Maria Luiza Berwanger da Silva

Resumo


Resumo: este trabalho tem por objetivo estudar em Koa?E, de Luis Serguilha, fatores relacionados a aspectos como a força desestabilizadora do tédio como figura exemplar do desassossego pessoano e nova plasticização da espacialidade e da temporalidade. Esta obra superpõe a voz da fertilidade que o artista extrai das camadas arqueológicas extraídas da ressignificação existencial captada do exercício obstinado do escavar. O conjunto de poemas de Koa?E impõe ao leitor uma postura de infatigável desinstalar-se: transparências evidentes da textualidade pessoana surpreendem-nos sob forma de provocação que estampam impactantes itinerários ainda à espera de transfiguração artística.
Palavras-chave: Koa?E. Espaço polissêmico. Lírica universalizante. Plasticização transformadora.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/gua.v4i1.3901

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


GUARÁ | Departamento de Letras | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-4957 | Qualis B2

Flag Counter