Poesia, Música, Pintura: um jogo dramático

Simone Gorete Machado

Resumo


Resumo: Este estudo foi suscitado pelo desejo de mais bem compreender o poema Erlkönig,
de Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832), devido à representação criada por
Franz Schubert (1797-1828) e transcrita por Franz Liszt (1811-1886). Iniciamos esse
estudo procurando identificar traços culturais presentes no poema Erlkönig, de Goethe.
Um dos objetivos é compreender se tais traços teriam contribuído para que o poema
se reproduzisse em outras linguagens e formas de representação e como se dá o jogo
dramático em diferentes manifestações artísticas. Como amostra, além do poema de
Goethe, foram destacadas as composições: o lied, de Schubert, e a transcrição de Liszt
para piano solo. Além disso, e em meio à farta produção artística por diversos pintores,
escolhemos um quadro representativo dos pintores: os austríacos Moritz von Schwind
(1804-1871) e Eugen Kutzer (1880-1965); o russo filho de pais alemães, Julius Sergius
von Klever (1850-1924). Constatamos que, na sua realização como linguagem os sujeitos,
cada um representando o seu papel, estabelecem elo entre as diversas sensações
e as modula. O manejo das vozes que instituem o discurso narrativo, em verso, traduz
a força persuasiva sobre a personagem sobrenatural representada, no poema, pelo Rei
dos Elfos, denunciando a fragilidade da racionalidade humana.

Palavras-chave: Poema. Música. Pintura. Crenças folclóricas. Interdiscursividade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/gua.v2i1.2156

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


GUARÁ | Departamento de Letras | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-4957 | Qualis B2

Visitantes - (05/09/2017 - 21/10/2019)
País Usuários
Brasil 2.138
França 268
Estados Unidos 162
Portugal 62
Alemanha 41
Iraque 26
Ukrania 22
Yemen 20
Itália 18

Fonte: Google Analytics.