DIÁLOGOS COM A EDUCAÇÃO BÁSICA SOB CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA INTERVENTIVA: PERSPECTIVAS PARA UM OLHAR INVESTIGATIVO*

Marcia Torres Neri Soares, Izabel Cristina Lima Dias Alves, Patrícia de Sena Araújo

Resumo


Este texto objetiva apresentar reflexões advindas da realização de pesquisas de intervenção no contexto da educação básica, especificamente sob as contribuições teóricas acerca do tema e suas interfaces com os aportes metodológicos utilizados na construção de uma aproximação com professores à guisa da valorização de suas vozes e práticas. O estudo possibilita ampliar as discussões desenvolvidas para realização de outras investigações sobre objetos complexos no contexto da organização curricular e condições de trabalho docente. O diálogo, na concepção defendida por Freire (1994), constitui-se como via favorável ao desenvolvimento de pesquisas aplicadas e da compreensão do currículo em sua complexidade, haja vista respeitar outras formas de olhar sobre o mesmo objeto e inúmeras possibilidades de enriquecimento da intervenção realizada, este último aspecto a colaborar com a tessitura de um olhar interdisciplinar, porque incontestavelmente fértil de múltiplas intervenções no bojo de um mestrado profissional.

Palavras-chave


Pesquisa de Intervenção; Diálogo; Educação Básica; Interdisciplinar; Currículo.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBIER, Renné. A pesquisa-ação. Trad. Lucie Didio. Brasília: Líber Livro Editora, 2004.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. Tradução de Sandra Trabucco Valenzuela. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

FRANCO, Luiz Fernando. Racionalidade técnica, pesquisa colaborativa e desenvolvimento profissional de professores. In: PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro (org.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2008. p. 219-223.

FRANCO, Maria Amelia Santoro. Prática docente universitária e a construção coletiva de conhecimentos: possibilidades de transformações no processo ensino-aprendizagem. In: PIMENTA, Selma Garrido; ALMEIDA, Maria Isabel (org.). Pedagogia universitária: caminhos para a formação de professores. São Paulo: Cortez, 2011. p. 159-187.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 23. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. Rio de Janeiro: Olho d’água, 1997.

FREIRE, Paulo. Política e Educação. 9. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

GARCIA, Regina Leite. Para quem investigamos – para quem escrevemos: reflexões sobre a responsabilidade social do pesquisador. In: GARCIA, Regina Leite (org.). Para quem pesquisamos para quem escrevemos: o impasse dos intelectuais. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 15-41.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. Para quem e como se escreve no campo do currículo. In: GARCIA, Regina Leite (org.). Para quem pesquisamos para quem escrevemos: o impasse dos intelectuais. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 97-125.

PEREIRA, Antônio. Pesquisa de intervenção em educação. Salvador: Eduneb, 2019.

PERONI, Vera. Política educacional e papel do Estado: no Brasil dos anos 1990. São Paulo: Xamã, 2003.

PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Docência no ensino superior. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

SACRISTÁN, José Gimeno. A educação que ainda é possível: ensaios sobre uma cultura para a educação. Porto Alegre: Artmed, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v30i4.8539

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 12/08/2021)

Fonte: Google Analytics.