ENCONTROS E DESENCONTROS NAS MARGENS DO RIO ARAGUAIA: EXCLUSÃO DO POVO KARAJÁ

Maria de Fátima Oliveira, Carla Edieni da Silva Alves

Resumo


Este artigo visa analisar a situação do povo Karajá das margens do rio Araguaia mediante as transformações do seu espaço de vivência, ocasionadas pelo incremento do turismo e por políticas voltadas para o aproveitamento econômico do rio Araguaia. A partir da segunda metade do século XX o rio Araguaia passa a ser visto por novas perspectivas, entre elas a que visa o seu aproveitamento como lugar de prática de lazer. Desse modo, o elemento autóctone, que já vinha sendo excluído das outras formas de investimentos nesse espaço, é mais uma vez preterido e colocado à margem desses projetos.

Palavras-chave


Povo Karajá. Rio Araguaia. Exclusão.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCASTRE, J. M. P. de. Relatórios Presidenciais Provinciais: Goiás. Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial de Goiás pelo Exm. Sr. Presidente da Província, em: 01 de julho de 1862. Disponível em: http://ddsnext.crl.edu/titles/168#?c=0&m=35&s=0&cv=2&r=0&xywh=47%2C485%2C2316%2C1634. Acesso em: 03 set. 2020.

BORGES. B. G. Goiás nos quadros da economia nacional – 1930-1960. Goiânia: Ed. da UFG, 2000.

BURKE, P. Hibridismo cultural. São Leopoldo: Ed. da Unisinos, 2008.

CAMPOS FILHO, Romualdo Pessoa. Guerrilha do Araguaia, a esquerda em armas. Goiânia: Ed. da UFG, 1997.

GLOBO REPORTER. Juscelino Kubitschek construiu hotel internacional na Ilha do Bananal. 2016. Disponível em: http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2016/03/juscelino-kubitschek-construiu-hotel-internacional-na-ilha-do-bananal.html. Acesso em: 02 set. 2020.

INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL. Terras Karajá, 2012. Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=Figura+1.+Mapa+das+Terras+Karaj%C3%A1.+mapa+karaja&sxsrf=Ar. Acesso em: 02 abr. 2018.

IPHAN. Bonecas Karajá: Novo Patrimônio Cultural Brasileiro. 2012. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/1190/bonecas-karaja-novo-patrimonio-cultural-brasileiro. Acesso em: 26 fev. 2017.

LIMA FILHO, M. F. Karajá de Aruanã. In: MOURA, M. C. O. (org). Índios de Goiás: uma perspectiva histórico-cultural. Goiânia: Ed. da UCG; Vieira; Kelps, 2006.

LIMA FILHO, M. F. O (Des)encanto do Oeste: memória e identidade social no médio Araguaia. Goiânia: Ed da UCG, 2001.

LIMA FILHO, M. F. Hetohoky: um rito Karajá. Goiânia: Ed. da UCG, 1994.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. O Brasil de JK: a construção de Brasília. Disponível em: http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/JK/artigos/Brasilia/Construcao. Acesso em: 05 fev. 2017.

OLIVER, M. Fatos Curiosos. Como eram as antigas notas de cruzeiro? 2015. Disponível em: http://www.fatosdesconhecidos.com.br/como-eram-as-antigas-notas-de-cruzeiro/: acesso em: 06 ago. 2019.

PORTELA, Cristiane de Assis. Nem ressurgidos nem emergentes: a resistência histórica dos Karajá de Buridina em Aruanã. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2006.

RIBEIRO, Darcy. Os índios e a civilização: a integração das populações indígenas no Brasil moderno. Petrópolis: Vozes, 1996.

ROCHA, Leandro Mendes. Aruanã - Go: Identidades e Fronteiras étnicas no Rio Araguaia. Mosaico. vol. 1, n. 2, 2008. Disponível em: http://seer.ucg.br/index.php/mosaico/article/viewArticle/571. Acesso em: 16 fev. 2017.

SARTRE, Jean-Paul. Prefácio. In: FANON, Frantz. Os condenados da Terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968 (p.3-21).

SILVA, Sandro Dutra et al. Fronteira Cerrado: sociedade e natureza no Oeste do Brasil. Goiânia: América, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v30i3.8125

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 12/08/2021)

Fonte: Google Analytics.