A Filosofia no Ensino Secundário em Portugal: tradição, modernidade e pós-modernidade

João Boavida, Anne Schippling

Resumo


Procuramos fazer uma síntese da evolução do ensino da filosofia em Portugal desde o século XVI até ao presente. Analisando os programas tentámos reflectir a constante luta entre tradição e modernidade, a qual implica mudanças significativas ao nível pedagógico. Na transição da modernidade para a pós-modernidade, a pluralidade de aspectos tradicionais e progressistas no ensino da filosofia, torna-se radical, provocando desorientação. Chamamos a atenção para a necessidade de consciencializar a vivência pós-moderna, os seus perigos, referindo o contributo positivo que o ensino da Filosofia pode proporcionar.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v18i4.708

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis B3

Visitantes - (01/01/2006 - 01/08/2019)
País Usuários
Brasil 34.046
Estados Unidos 1.488
Portugal 776
França 293
Moçambique 281
Angola 222
Espanha/td> 95
Chile 83
Colombia 74
Total 38.451

Fonte: Google Analytics.