Hibridisms and Dialogy in the Folia dos Santos Reis: an Introdution

Clóvis Ecco, José Reinaldo Martins Filho

Resumo


In this work we chose to approach the concept of dialogism developed by Bakhtin and his circle in treating discourse as a dynamic and responsive construction, and the notion of hybridization, also present in Bakhtin, but, in our view, best presented by Canclini in his analysis of contemporary culture. Starting from these two theoretical approaches, we will try to establish a dialogue between the concepts of dialogism and hybridization, elucidating them through examples extracted from the specific context of Folia de Reis. Among other contributions, this will help us to understand the creative reciprocity existing between the dictates of the sacred and the profane, without one necessarily having to cancel out for the other to take effect.

Hibridismos e Dialogia na Folia dos Santos Reis:
uma Introdução


Neste trabalho optamos por abordar o conceito de dialogismo desenvolvido por Bakhtin e seu círculo ao tratarem o discurso como uma construção dinâmica e responsiva, e a noção de hibridação, também presente em Bakhtin, mas, a nosso ver, melhor apresentada por Canclini em suas análises sobre a cultura contemporânea. Partindo destas duas abordagens teóricas, tentaremos estabelecer diálogo entre os conceitos de dialogismo e hibridação, elucidando-os por meio de exemplos extraídos do contexto específico da Folia de Reis. Entre outras contribuições, isso nos ajudará a entender a reciprocidade criativa existente entre os ditames do sagrado e do profano, sem que um tenha que, necessariamente, se anular para que o outro se efetive.

Palavras-chave


Sacred; Profane; Dialogism; Hybridization; Folia de Reis; Sagrado; Profano; Dialogismo; Hibridação; Folia de Reis.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVAR, Manuel. Libro de Apolônio. Barcelona: Planeta, 1984. (Colección “Clássicos universales Planeta”, 80)

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética. São Paulo: Hucitec, 1988.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2006a.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. 12ª ed. Trad. Michel Lhud e Yara F. Vieira. São Paulo: Hucitec, 2006b.

CANCLINI, Nestor García. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Tradução de Heloísa Pezza Cintrão, Ana Regina Lessa; tradução da introdução de Gênese Andrade. 4ª.ed. 5ª.reimp. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2011. (Ensaios Latino-americanos, 1)

FARACO, Carlos Alberto. Linguagem e diálogo – as ideias linguísticas do círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola, 2009.

FIORIN, José Luiz. Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: editora Ática, 2008.

GEGe. Palavras e contrapalavras – Caderno de estudos I – Glossariando conceitos, categorias e noções de Bakhtin. São Carlos: Pedro & João Editores, 2009.

GEGe. Palavras e contrapalavras – Caderno de estudos II – Conversando sobre os trabalhos de Bakhtin. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

MIOTELLO, V. Ideologia in Bakhtin conceitos-chave. Beth Brait (org.) São Paulo: Editora Contexto, 2008. pp. 167-176.

SOUZA, Ana Guiomar R.; CLÍMACO, Magda de Miranda. “Música, Gênero e Retórica – uma abordagem interdisciplinar de estudos musicológicos”. In. Atas do Congresso da Sociedade Musical de Guimarães, Portugal, 2012.

TREMURA, W. A. A música caipira e o verso sagrado na folia de reis. Disponível em http://www.iaspmal.net/wp-content/uploads/2011/12/WelsonTremura.pdf Acessado em 12 de janeiro de 2015.

VAN DER POEL, Franciscus Henricus. Dicionário da religiosidade popular: cultura e religião no Brasil. Curitiba: Nossa Cultura, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v27i4.6051

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis B3

Flag Counter