MOVIMENTO RADICAIS LIVRES: O VIRTUOSISMO HEROICO NA JUVENTUDE CONTEMPORÂNEA

Cristiano Santos Araujo

Resumo


Este artigo objetiva perceber a função sócio-cultural da religião na juventude do movimento Radicais Livres, da Igreja Videira de Goiânia (BERGER, 1985; BAUMAN, 2003). Analisaremos a proposta de sexualidade chamada de corte, o namoro radical sem contato íntimo, como um virtuosismo heroico para a regulamentação do prazer (FOUCAULT, 2012) dentro deste agrupamento social religioso (WEBER, 2002; BOURDIEU, 1998). O percurso metodológico para analisar esta ambiência comunitária juvenil encontrará em duas obras literárias oficiais do movimento, escritas pelo seu fundador, o pastor Naor Pedroza (2007, 2009), cujo teor doutrinário é amplamente divulgado entre os jovens. O primeiro livro chama-se Geração radical: jovens na contramão, e o segundo, Corte e namoro: o desafio de um relacionamento radical, ambos os livros publicados pelo canal oficial da Igreja Videira, a editora Vinha. Perceberemos que há uma grande tensão entre a ética da esfera profana de uma sociedade erotizada e a santidade da respectiva fraternidade religiosa, que é vivenciada nas dimensões existenciais do caos e da ordem, o caos é visto nos usos da sexualidade de forma livre, e a ordem, nos processos de doutrinação e regulamentação do prazer implementado pela corte do movimento Radicais Livres.

Palavras-chave: Radicais Livres - Jovens - Virtuosidade - Foucault

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v27i1.5104

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 25/06/2020)

Fonte: Google Analytics.