Fundamentalismo e Modernidade na Metodologia de Eisenstadt: religião, utopia, revolução

Marcos Gonçalves

Resumo


O artigo propõe um diálogo com as perspectivas teóricas do sociólogo Shmuel Noah Eisenstadt acerca da relação entre fundamentalismo e modernidade. Infere-se que a partir da contribuição decisiva e original de Eisenstadt ampliou-se o horizonte analítico de tal relação. O distanciamento gradativo do conceito de fundamentalismo de um eixo puramente teológico-religioso abriu possibilidades de estudá-lo sob outras variações, especialmente no contexto dos movimentos revolucionários utópicos que inauguraram a agenda política da modernidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v17i6.505

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.