Fronteira Cultural e Política Nacional: a revolução de 1930 em Goiás

Cristiano Alencar Arrais

Resumo


Este artigo pretende identificar, a partir da análise sobre o tema da fronteira no Brasil, alguns aspectos da história política brasileira, que, articuladas a elementos que atuam plasticamente dentro da sociedade, tais como patrimonialismo, clientelismo e conservadorismo, determinaram as condições de existência e persistência, após a revolução de 1930, da estrutura política existente anteriormente. Neste caso, o exame da documentação selecionada indica que a vitória daquele movimento não pode ser tomada como fonte de renovação política, mas de golpe.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v17i5.470

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.