Efeitos de um Programa de Fisioterapia Preventiva na Autoestima e a Capacidade Funcional de Mulheres Acima de 50 Anos

Danielle Cunha de Oliveiros, Lorena Carvalho dos Santos

Resumo


Resumo: este estudo objetivou verificar a autoestima e capacidade funcional de mulheres acima de 50 anos, frequentadoras do programa de extensão da UCG - UNATI através da comparação do antes e depois das atividades propostas, em dois grupos. A amostra foi constituída por 25 idosas, sendo que 11 participaram das aulas teóricas de ?Fisioterapia Preventiva (grupo controle) e 14 que além da disciplina teórica, voluntariamente manifestaram interesse em participar da oficina prática de ?Fisioterapia Preventiva (grupo experimental). O instrumento usado para avaliar a autoestima foi a Escala de autoestima, criada por Rosemberg (1965) e a capacidade funcional pela subescala funcional (BOMFAQ), aplicada em forma de entrevista individual. O tratamento estatístico foi descritivo, tendo nível de significância de p<0.05. Verificamos que tanto as atividades fisioterapêuticas teóricas como as práticas, atingiram resultados satisfatórios para a melhora da capacidade funcional e da autoestima, com destaque para as atividades práticas.
Palavras-chave: Autoestima. Capacidade funcional. Mulheres idosas. Terceira idade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v24i0.3577

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.